Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

A Microsoft domina São Paulo

29 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 2059 vezes

Por Heraldo

Veja só que horror está acontecendo na Educação de Sp e a compra desenfreada de softwares Microsoft pela FDE em licitações pra lá de estranhas. Será que aquilo tudo é necessário pra fazer funcionar a educação? Quase cem milhões em software de que? Não teria outra opção no gov. Serra? Pesquisar é tudo de bom mesmo. Isto precisa ser divulgado com urgência ou as farras nunca terão fim Nassif.

Corre lá: clique aqui e clique aqui.

Comentário

O Secretário de Educação Paulo Renato não se emenda. Na sua gestão como MInistro da Educação tentou enfiar licenças do Office em todas as universidades públicas, a partir de um acordo guarda-chuva com a notória TBA de Brasília.

Os reitores resistiram, já que havia a oferta da Sun, de Openoffice de graça, e da Lotus, do SmartSuite mais uma licença do Notes por R$ 5,00 por cabeça. Disseram isso ao Secretário Geral do Ministério, em uma reunião tumultuada. A resposta do Secretário era a de que o Ministério tinha um acordo guarda-chuva com a TBA e, por isso, as licenças sairiam de graça - para as Universidades, não para o MEC. A proposta da TBA era de R$ 200,00 por sistema, sem sequer enviar o CD de instalação: bastaria os reitores comunicarem a identificação do aparelho que tinha o programa pirata.

Depois, na gestão de Maria Helena Cardoso, sua antecessora e consultora, a venda de notebooks (da Positivo!), financiados pela Nossa Caixa e com o Office embutido - para professores da rede escolar. Não era lhes dado sequer a possibilidade de optar pelo notebook sem o Office.

Sem contar a vinda de Steve Balmer a São Paulo para, em uma cerimônia com o governador José Serra, entregar “de graça”  para a rede escolar acesso ao Hotmail - que é de graça! Um baita presente para a Microsoft, que engordou sua base de usuários do Hotmail sem nenhum gasto em campanhas.

É tão escancarado o jogo que, no edital, é colocado que:

    que deveria utilizar o CRM Dynamics Microsoft e o banco de dados SQL Server 2008 para a implementação do Software para a Central de Atendimento, contemplando características básicas conforme Item 6 do Anexo II – Especificações Técnicas. A licença de software para o produto CRM Dynamics Microsoft será fornecida pela FDE.

O lógico seria o contratado se responsabilizar pela compra dos softwares. Mas o FDE não abriu mão desse direito.

Hoje em dia há soluções CRM pela web em que se paga pelo serviço, sem a necessidade de aquisição de licenças. Todas as grandes multinacionais estão caminhando nessa direção.

Por André Simões

Em tempo, onde trabalho a opção de CRM também foi pelo Dynamics, que a princípio é muito bom mas no dia-a-dia é quase impossível de fazer ajustes e os especialistas sempre afirmam que não é possivel promover os ajustes.

Eu e a equipe que trabalho descobrimos que muito do que foi pedido e foi dito que não era possível poderia ser feito, o que me lava a pensar, se este é o nível do serviço prestado a uma empresa privada, nem consigo imaginar como deve ser a uma empresa pública e pior, quando a empresa pública está trabalhando para que este sistema seja um case da Microsoft.

Só posso dizer uma coisa, lamentável.


Fonte: Luis Nassif Online


Tags deste artigo: microsoft educação são paulo

Eventos de Software Livre no Brasil