Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a FISL
Tela cheia Sugerir um artigo

Admirável Mundo Open Source

10 de Março de 2020, 0:07 , por João Santos Vieira Junior - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 31 vezes

Atualmente,basta dar uma olhada nos computadores à venda nas lojas,principalmente naquelas chamadas “Populares”,para ver que o Linux deixou de ser algo restrito a uma elite de aficionados por computadores para se tornar um fenômeno real.
Mas Afinal O que é Linux? Linux é o Kernel núcleo do sistema operacional,ao qual eu chamo de coração do sistema,pois é ele quem dá vida ao mesmo.
Quem usa computador já ouviu falar no famosíssimo Windows,o sistema mais popular do mundo,o Linux surgiu como uma forma mais econômica e confiável de sistema, para colocar no computador de acordo com seus seguidores.
De fato,hoje milhões de pessoas escolhem uma das distribuições Linux justamente por causa da sua estrutura sólida e estável.E mais:O Linux é o ícone e a bandeira daqueles que sustentam e apoiam a bandeira do software livre.Sim,porque muitos sabem que a maior vantagem do Linux é que ele é gratuito,isso mesmo,não é preciso desembolsar nenhum centavo para ter esse maravilhoso sistema.
O Movimento mundial para a distribuição de software livre,um projeto ao qual o Linux pertence,está assumindo a conotação de um fenômeno internacional,cuja ideia é o tanto utópica,é acabar com o conceito de software proprietário e direitos intelectuais que há muito tempo dominam nossa cultura,o Linux e outros software gratuitos são os produtos de um grupo consistente de pessoas que publicaram e compartilharam o resultado de seu trabalho para que todos pudessem utilizá-lo livremente.
Se analisarmos essa ideia com um pouco de atenção,veremos claramente a simplicidade e a grandeza de seu alvo,principalmente porque nós Brasileiros,cidadãos daquele país que alguém achou melhor classificar como “Terceiro Mundo” estamos em contato com algumas realidades chocantes e injustas.Um exemplo:Pensemos em uma escola estadual numa minuscula cidade do interior,que não recebe verbas do governo, o suficiente para proporcionar aos alunos um laboratório de informática adequado(Indispensável hoje),Agora,façamos algumas contas,cada computador que custa 1000 reais equipado com um sistema operacional,pacote Office,se for Windows sairá em torno de 1500 reais,se o sistema é Linux o custo com programas Office e etc é nulo,é o dinheiro que sobrou poderia ser gasto para comprar outros computadores.
Obviamente,“Nem tudo que brilha é ouro”,primeiramente porque usar um sistema Linux precisa de treinamento especifico e também a maioria dos programas de Windows não são disponíveis para Linux(Será coincidência?),a maioria dos Webdesigners,arte-finalistas,Projetistas de AutoCAD,entre outros ainda precisaram trabalhar com sistema proprietário por um longo tempo,entretanto temos alternativas para Linux e certos programas e jogos podem ser executados no Wine/Lutris.

Para entender melhor o Linux, é preciso compreender suas origens, isto é, seu histórico e as razões que levara-o ao sucesso. Continue lendo e conheça!

Um pouco de história

Tudo começou com o Unix, o Pai de todos os sistemas operacionais, este era distribuído em diversas versões, sendo sua versão mais famosa o Linux.

O Unix foi criado no final da década de sessenta pelos programadores Ken Thompson, Dennis Ritchie e Brian Kerninghan. O nome Unix, que originalmente era escrito como ‘Unics’, é um acrônimo de Uniplex Information and Computig System.

Foi a AT&T que o nomeou como Unix, inicialmente qualquer um que tivesse interesse no sistema podia pedir ao Bell Labs uma fita com o software e os manuais impressos por um preço muito acessível, e por não se tratar de um software proprietário qualquer um podia modificar o sistema a partir de suas necessidades, que é o que acontece hoje com o Linux.

Em 1970, desenvolvedores da Universidade de Berkley na Califórnia, realizaram um trabalho de extrema importância no código fonte do Unix, era o surgimento do protocolo TCP/IP. O resultado desse trabalho, foi a versão BSD (Berkley System Distribution) do Unix, de tamanha importância que, até os dias atuais existem distribuições baseadas nesse sistema, tais como a OpenBSD e a NetBSD.

Ao longo do tempo a popularidade do Unix só aumentou, e desde a concessão a AT&T, o código fonte do Unix se tornou proprietário, dando origem ao AT&T UNIX.

Softwares proprietários acabaram se tornando uma tendência, e um número maior de empresas começaram a aderir a esse modelo. No entanto na década de oitenta, com desenvolvimentos liderados por Richard Stallman, a situação começara a mudar. Foi então que revoltado com a ideia de não poder compartilhar suas descobertas e melhoras nos produtos existentes, que Richard começaria um projeto de criar uma espécie de Unix, só que agora, com código aberto e livre. Assim nascia o GNU no final de 1983.

A licença do GNU permitia a qualquer usuário copiar, distribuir e alterar sua cópia do programa, ou seja, tendo liberdade total de criar sua própria distribuição do sistema.

O que significa Open Source?

O termo Open Source, se refere as iniciativas de código aberto e disponíveis para programadores, surgiu pela primeira vez em 1998, e é usado para se referir a softwares livres, ou seja, que não são proprietários.

Havia um medo de que a o termo ‘livre’, trouxesse consigo uma rejeição por parte das pessoas não familiarizadas com os softwares livres. O que levou então, a necessidade de se criar a OSI (Open Source Iniciative), que foi fundada com o propósito de promover softwares de acordo com a Open Source Definition.

Como surgiu o Linux?

No inicio da década de noventa, um estudante finlandês graduando em Ciência da Computação pela Universidade de Helsinque, teve a brilhante ideia de modificar o Kernel do Minix, com a ambição de criar uma versão melhor do mesmo.

Para publicar o Linux, ele utilizou a licença GPL, assim o sistema poderia ser copiado, utilizado e alterado livremente, e com o auxílio da internet, o Linux começou a se popularizar e ser modificado por diversos programadores diferentes.

O Linux se tornou tão popular que suas distribuições hoje são seguras, confiáveis, modernas e práticas, exemplos do sucesso são o Ubuntu, o Mint e o Mageia.

Diretórios do Linux

  • / = É a raiz,ou seja,o diretório principal do sistema. Todos os outros diretórios são sub-diretórios da raiz.
  • /home = Armazena diretórios e arquivos de trabalho dos usuários comuns do sistema.
  • /root = Armazena diretórios e arquivos de trabalho do superusuário (root).
  • /boot= Contém o kernel e todos os arquivos necessários para a inicialização do sistema.
  • /bin = Contém aplicativos e utilitários do sistema.
  • /sbin= Contém ferramentas de configuração e manutenção do sistema. Alguns aplicativos acessíveis apenas ao superusuário são instalados neste diretório.
  • /srv = Dados de serviços fornecidos pelo sistema.
  • /lib = Contém as bibliotecas compartilhadas e os módulos do kernel.
  • /media = Ponto de montagem para mídia removível.
  • /dev = Contém todos os dispositivos do sistema, tais como: modem, HD, PenDrive, CD-ROM, entre outros. Esses diretórios são utilizados para troca de informações, não possuindo existência real.(“dev” é a abreviação de device, que significa dispositivo em inglês).
  • /etc = Contém todos os arquivos de configuração do sistema.
  • /tmp = Diretório reservado aos arquivos temporários utilizados por algumas aplicações. Como ocorre em muitos outros sistemas operacionais, durante a execução de programas são gerados arquivos temporários, inúteis após a conclusão do processo. Esse tipo de lixo digital é colocado no diretório /tmp para que possa ser removido rapidamente, sem risco de apagar arquivos importantes.
  • /mnt = Diretório reservado para montagem de dispositivos e sistemas de arquivos em partições e discos locais e de rede.
  • /proc = Contém informações sobre os processos em execução no sistema. Assim como no diretório /dev, os arquivos e subdiretórios aqui contidos não são reais, sendo utilizados apenas como arquivos de troca.
  • /usr = Programas de usuários, sistemas de janelas X, jogos entre outros. Os links de alguns programas costumam ser instalados aqui.
  • /var = Contém arquivos de dados variáveis como log do sistema e diretórios de spool.
  • /opt = Diretório reservado para instalação de aplicações de terceiros como OpenOffice, softwares pagos etc.
  • /usr/bin = Contém ferramentas e aplicativos de cada usuário. Ao criar uma nova conta de usuário, o sistema cria automaticamente uma pasta /usr/bin.
  • /usr/dict = Diretório em que são armazenados os dicionários (o nome dict deriva do inglês dictionary) e as listas de termos do usuário.
  • /usr/doc = Esse diretório contém a documentação do sistema em uso.
  • /usr/games = Quem disse que no Linux não se pode jogar? Esse diretório traz alguns aplicativos interessantes para a diversão dos usuários.
  • /usr/info = Nesse diretório encontramos os arquivos peara o sistema GNU Info,baseado em hipertextos.

O que é uma distribuição?

Para entendermos o que é uma distribuição, precisamos antes, entender o que é um sistema operacional. Um sistema operacional é composto por um conjunto de programas e comandos,que precisam ser organizados, testados e atulizados de acordo com as exigências que surgem ao longo do tempo, e o Linux não foge desse conceito.

Algumas distribuições:

  • Ubuntu: É uma distribuição Linux completa proveniente da Africa do Sul,baseada na premissa de que o sistema deve ser totalmente livre,multilíngue,personalizável,e passível de edição por qualquer usuário. O Ubuntu é um projeto voltado a comunidade com o propósito de criar e distribuir um sistema operacional Open Source.
  • Suse: Esta distribuição traz diversos recursos para usuários domésticos, incluindo instalador fácil de utilizar, ferramentas para internet, chat, multimídia, editores de texto, redes e desenvolvimento.
  • Red Hat: É a distribuição mais famosa, e que inspirou diversas distribuições pelo mundo, como a distribuição brasileira, Conectiva, que no início era só uma recompilação da Red Hat. Essa distribuição foi responsável por criar ferramentas como a sndconfig, Xconfigurator e outras. Além disso possui um ótimo gerenciador do sistema, o linuxconf, que funciona como um painel de controle do Windows.
  • Debian: Uma distribuição mantida por voluntários, foi inovadora ao criar o gerenciador de pacotes apt-get via shell, resolvendo problemas nas atualizações e dependências de programas.
  • Slackware: Profissionais adoram essa distribuição, por ser toda configurada em modo texto. Destaca-se também por ser uma das distribuições mais estáveis do Linux.
  • Gentoo: Uma distribuição que pode ser demorada para instalar, pois é necessário que você compile programa por programa, e fazer cada configuração, porém, isso tem como vantagem que só o necessário para o usuário em específico haja no sistema, tornando-o muito rápido.

Fonte: João Santos Vieira Junior

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Eventos de Software Livre no Brasil