Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia

Tutorial - Primeiros passos no desenvolvimento com o web2py

25 de Junho de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1227 vezes

Primeiros passos no desenvolvimento com o web2py – Tutorial parte 1

logo

Web2py é um framework livre de código aberto, utilizado para o desenvolvimento ágil de aplicações web seguras,
baseadas em banco de dados; foi desenvolvido em Python e é programável com Python.
Trata-se de um framework “full-stacked”, ou seja, ele já vem com todos os componentes necessários para o desenvolvimento básico de aplicações para web.
As aplicações no web2py são desenvolvidas seguindo o padrão MVC, que permite a melhor organização entre as camadas de dados, lógica e apresentação.
Além de diversos facilitadores para as tarefas de modelagem de banco de dados, criação de formulários com validação e Ajax, marcação de templates e upload de arquivos, o web2py também possui uma estrutura pronta para servir conteúdo nos mais diversos formatos, como por exemplo feeds RSS, webservices XML-RPC e permite a utilização de módulos e plugins adicionais.
O web2py possibilita que o desenvolvedor dedique-se integralmente à criação da aplicação, pois não demanda instalações nem configurações complicadas: basta baixar o framework e começar a desenvolver.

Uma das principais características do web2py é o fato de não demandar instalação para o início do desenvolvimento: basta baixar o binário executável, que já vem, inclusive, com o interpretador Python, banco de dados e o WebServer. Caso seu sistema operacional já tenha o Python 2.5+ instalado, você pode baixar o fonte do web2py e executar.

Apesar de você ter a possibilidade de desenvolver utilizando seu IDE ou editor favorito, o web2py vem com uma interface administrativa bastante completa, que permite administrar bases de dados, gerenciar aplicações e editar códigos em um editor web-based. O web2py já vem com o plugin doZen-Coding habilitado.

O web2py utiliza o padrão de MVC, que possibilita uma separação inteligente entre o modelo de dados (Model), a lógica da aplicação (Controller) e a interface de apresentação (View). Este padrão permite que o programador desenvolva os Models e Controllers, e que um designer trabalhe com as Views de uma forma muito intuitiva, com liberdade de criação do HTML. Porém, o web2py tem um modelo próprio de marcação de template que dá a liberdade de, em alguns casos, executar o código Python mais complexo diretamente na VIEW, sendo assim um framework bastante dinâmico.

De acordo com o seu criador, o web2py foi inspirado no Ruby on Rails, por permitir o desenvolvimento ágil. Também foi inspirado no Django, no sentido de fornecer facilitadores, geradores de formulários e camada de abstração do acesso a dados.

Antes de começar o tutorial, que irá mostrar como desenvolver um blog com administração de posts e inserção de comentários com pesquisa via Ajax, vou listar as principais características do framework.

  • Livre, OpenSource
  • Mecanismos de segurança em formulários
  • Autenticação integrada RBAC
  • Garantia de compatibilidade entre versões
  • Fácil de executar, não necessitando instalação, permitindo executar e armazenar projetos em um pen-drive
  • Não necessita de configuração inicial (mas possibilita configuração refinada, caso seja necessário)
  • MVC – Model – View – Controller
  • Roda em Mac, Unix, Linux, Windows, Google App Engine, Amazon EC2, e quase todos os webservers através do Python ou via Java com o Jython
  • Roda no Apache e em qualquer webserver com CGI, fastCGI, WSGI, mod_proxy ou mod_python
  • Conversa com a maioria dos bancos SQL, incluindo SQlite, PostGre, MySQL, MSSQL ORACLE, entre outros
  • Muitas maneiras de servir informações como HTML/XML, ATOM, RSS, RTF, JSON, AJAX, XML-RPC, REST, RDF
  • Permite distribuir as aplicações compiladas
  • Sistema facilitado para internacionalização, permitindo múltiplas línguas em uma única aplicação

Agora vamos ao que interessa! Na próxima página, daremos início ao tutorial.

Clique aqui para continuar...


Fonte: Bruno Cezar Rocha

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.