Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade Metareciclagem

17 de Junho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

MetaReciclagem é uma rede auto-organizada que propõe a desconstrução da tecnologia para a transformação social.


Janxs - versão epub

23 de Março de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Lançamos ontem a edição verão 2011 do MutSaz, inspirado por Janxs. Nas nossas publicações mais recentes, eu já estava flertando com formatos de ebook. Fiz algumas experiências convertendo com o calibre o HTML gerado pelo Lyx. Foram relatados problemas de encode, de quebra de capítulos e outros.

Para Janxs, resolvi retomar a pesquisa. Depois de ler dois livros lançados no formato epub (um padrão livre e aberto, com bons clientes em muitas plataformas), resolvi me concentrar nele. Cheguei até a elencar a busca de softwares para editar ebooks nas minhas prioridades para 2011.

Testei o módulo epub do drupal que poderia gerar ebooks automaticamente. O módulo é complexo demais, gerou um epub pesado e que não funcionava. Tentei debugar, mas acabei deixando de lado. Depois de pesquisar mais um pouco, encontrei o Sigil - um software que simples e objetivamente fazia exatamente o que eu precisava: formatar um epub de maneira clara e sem frescuras. E melhor: livre e multiplataforma.

Para editar Janxs, comecei usando o módulo book do drupal para montar os textos na ordem da publicação. Depois de tudo organizado e revisado, exportei o livro inteiro para HTML (é só acessar /book/export/html/NID, onde NID é o número do node do livro). Salvei o HTML, importei no Sigil e dividi os capítulos. Inseri os metadados e pronto, em pouco tempo o ebook estava pronto. Pelos testes que fiz aqui, está funcionando ok. Aceito ajuda de quem puder testar em outras plataformas além de Linux e Android. Baixem o epub aqui.



UID

17 de Março de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Há alguns meses já estávamos com problemas em alguns posts do site da MetaReciclagem: apareciam de repente sem estar associados a nenhumx autorx, e isso atrapalhava o acesso e a edição do conteúdo. Não consegui descobrir a causa do problema (que afeta, em verdade, uma proporção ínfima do site - duas páginas em um universo de mais de 2000), mas hoje aprendi a consertar, com ajuda do Wundo. Lá vai:

Entrar no mysql

#mysql -u usuario -p

Selecionar o banco de dados

mysql> use bancodedados;

Verificar se o problema é mesmo o id de usuárix

mysql> SELECT uid from node where nid=XXX;

(onde XXX deve ser substituído pelo ID do node em questão)

O resultado aqui foi:

 

+-----+

| uid |

+-----+

|   0 | 

+-----+

Ou seja, o node está associado ao usuário 0, que não existe. Então vou associá-lo ao usuário 1 (que é o superusuário do drupal) e posteriormente posso atribuir a quem eu quiser através da interface web:   mysql> UPDATE node SET uid = 1 WHERE nid = XXX;   E pronto, os nodes voltaram a ser associados a usuários do site: EventosEtc e APH-no-Recife. Atualizando: apesar de ter resolvido por aqui, o problema continuou em uma página do site do MutGamb. Essa discussão me leva a crer que o módulo vertical tabs pode ser o culpado, então vou temporariamente desativá-lo.

 



Redada - Barcelona - 02 de março

1 de Março de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Repassando o anúncio que Raquel Rennó mandou na lista RedeLabs: debate amanhã (02 de março) às 19hs de Barcelona (15hs de Brasília). Estrimado ao vivo.

 

#Redada 1 Barcelona Modelos de negocios para la cultura en red y licencias libres
Miércoles 2, 19:00h en Centro de Cultura Contemporánea de Barcelona, Aula 1 | Montalegre, 5. 08001 Barcelona
Tras cuatro encuentros #redada en Madrid, este miércoles se celebrará en Barcelona el primer encuentro gracias a la colaboración del colectivo ZZZINC. Este encuentro estará dedicado a analizar y profundizar en los diferentes modelos de negocio de negocio que usan Internet como plataforma natural y en los usos de las licencias libres.

Presenta: José Luis de Vicente, comisario e investigador cultural y miembro del colectivo ZZZINC

Modera: Eva SoriaJurist Doctor, experta en propiedad intelectual y derecho internacional.  Coordinadora de Arts Visuals i Àrea de Creació del Institut Ramon Llull

Participantes confirmados:

- Ignasi Labastida, líder de Creative Commons España 
- Jaume Ripoll Vaquer, director de la plataforma de distribución de cine en línea Filmin 
Simona Levi, impulsora del Free Culture Forum y fundadora de La Ex
Daniel Granados, músico y responsable de Producciones Doradas, sello independiente que edita bajo licencias libres.
Cesc Gay, director de cine y guionista
Tomás Aragaydramaturgo y actor.

  Entrada Libre hasta conmpletar aforo.  Nota: Habrá streaming en directo y grabación en vídeo.

 

 



Fóruns e linguagens

1 de Março de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

 Desde o inicio de fevereiro temos participado como ouvintes e palpiteiros dos foruns de linguagens de Jampa, principalmente do forum da musica. Desde de então tudo que temos apresentado, interado a galera sobre, vem surtindo efeito.

Desde o Dominio Público das obras de Pedro Osmar até o debate sobre a coletanea que está para ser prensada; do debate de fomento a produção cultural até a revisão dos conselhos - municipal e estadual - de cultura, editais regionais e criterios de avaliação. 

Discussões tão amplas assim esbarram em assuntos delicados à primeira vista: MinC, Lei Rouanet, Direito Autoral, Sustentabilidade, Economia Viva, Produção Colaborativa e envolvimento com o governo.

Tantos poréns e receios foram deixados de lado ontem a noite. Toda última segunda feira de mês o fórum da música de João Pessoa promove um debate de formação ou desinformação. Dessa vez fomos convidados- por estarmos presentes sempre - a orientar um debate sobre direito autoral. Assunto complexo pra quem está tentando sobreviver de música em moldes antigos, artistas que muitas vezes ainda não se adaptaram ao mundo digital, ou até não tem a dimensão da nova forma de lidar com a arte resultante de seu trabalho nesses novos paradigmas culturais. Pois bem apresentamos slides, videos, debatemos, falamos muito, ouvimos muitas duvidas, questionamentos e sugestões. Acabamos com um punhado de musicos, compositores interessados em novas formas de direito autoral, cheios de desapontamento com o sistema vigente que muitos não tinham ideia de como funcionava, de porque a musica que comporam rendeu apenas 50 centavos pelo ECAD nesses anos todos. Artistas carentes de novos caminhos e esperanças para ter sua obra aceita e divulgada por ai. Carentes de show com público, de ouvintes de amantes de suas poesias e melodias.

Saimos de lá elogiados por estes e incubidos de levar essa mensagem as outras linguagens, saimos com um folego extra dado por antigos que estão prontos a se adaptar ao novo. Saimos daquela sala num prédio histórico subutilizado com um pé numa nova realidade para a cena cultural da paraiba. 

Se é otimismo nosso não sei, mas que os figurinhas e figurões ali presentes botaram mais fé que imaginavamos, botaram, e a curiosidade e a trilha que começou a se abrir foram os alimentos pra isso.

Os poréns viraram bandeiras, e estas bandeiras levantadas pelos artistas até então alheios a tudo isso, vão para rua, para ação para a colaboração com todos os interessados nisso. #tamojunto