Sou um feliz cliente da CEF que de uma hora para outra resolveu fazer algumas transações por computador. Meu sistema operacional: Debian lenny; meu navegador: Iceweasel 3.0 (FF). Mensagem ao tentar o primeiro acesso ao internet banking: "serviço temporariamente indisponivel". Bom, pensei que fosse realmente algo temporário, mas após dois dias de tentativas sem sucesso comecei a ficar incomodado. Liguei no help desk da caixa e daí a surpresa: "senhor, que sistema operacional usa?" Pensei, lá vem esse cara me dizer que preciso daquele outro sistema!!! Dito e feito. O cara começou a falar que a caixa tinha implementado um novo sistema que proporcionava maior segurança para os clientes, mas que para que isso funcionasse, o primeiro acesso precisava ser feito de uma máquina com Windows Xp ou Vista de 32 bits e do navegador Internet Explorer. Fiquei muito aborrecido com isso. Procurei a ouvidoria da caixa e reclamei por email argumentando que achava isso um absurdo. A resposta veio informando que qualquer computador poderia ter acesso sim, bastando que eu entrasse em contato novamente com o help desk e dissesse para ele que desabilitasse a opção de registro do computador. O cara não sabia o que estava falando. O help desk, de novo, confirmou a informação. O primeiro acesso tinha que ser feito da maneira explicada acima, não teve jeito. De saco cheio procurei uma máquina com o win instalado e fiz o primeiro acesso e depois testei no meu debian o segundo acesso e funcionou normal.

De qualquer modo fico pensando que há uma contradição deste governo federal que diz apoiar o uso indiscriminado do software livre e até adotar o linux e outros programas livres, como o BrOffice.org dentro do governo e, na cara dura, a CEF toma uma decisão dessas.

É como a história da certificação digital. Muito esquisita para o meu gosto. O Governo quer todo mundo com certificação digital (e-cpf). Mas cobra por isso um valor absurdo, chegando até a R$ 300, 00 em muitos casos, isso para pessoa física. Não aceita certificados gratuitos disponibilizados pela CAcert ou Thawte nas transações feitas na Receita Federal, por exemplo. Porquê? Sem contar o fato de que a motivação para a disseminação do uso de certificados fornecidos pelo governo guarda ainda algumas intenções não esclarecidas. Porque será que a malha fina está conseguindo "barrar" mais gente ultimamente? E porque o governo aumentou tanto a arrecadação do IR? Será que tem algo relacionado a certificação digital e outras peripécias? Para mim sim.