Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Software Livre é coisa de esquerda?

16 de Setembro de 2011, 0:00, por Desconhecido - 1Um comentário

tux

Um dia enquanto ministrava palestra na UNISUL da cidade de Tubarão em SC, um aluno daquela universidade me perguntou de pronto sem dar tempo nem de pensar se software livre era coisa de esquerda, pois naquele momento ele só via militantes políticos discutirem a questão no cenário nacional. Fiz uma resposta de maneira resumida, mas o questionamento me fez pensar até hoje (faz tempo) nos motivos que nos levaram pelo Brasil inteiro a provocar o debate sobre o software livre nas instituições e no mercado brasileiro.

Claro que subtraindo o preconceito muitas vezes presente nesses questionamentos e comentários, talvez nosso atento aluno queria apenas entender se o software livre é um partido político, característica tal que desqualificaria a intenção de tudo que pregávamos, ou se seria realmente uma via estratégica como vendíamos ideologicamente.

Precisamos conceituar nossa militância inicialmente não desmerecendo essa ou aquela sigla partidária, até porque, deveríamos ter no seio destas a qualificação de política ciência, a política pública de fomento e não de bandeira partidária. Por acreditar que o software livre não é maior do que nenhuma sigla, nem menor, e nem faça parte de qualquer bandeira politico eleitoral, é que abraçamos a ideia e passamos a estuda-la para melhor conceitua-la na inserção social de suas vantagens para a sociedade mundial.

No Brasil, talvez pelo mundo, alguns acéfalos, às vezes tentam desqualificar o estudo das ideias (ideologia) e seus emissores por conta de o mesmo ter uma filiação partidária ou militância politico partidária, o que é um erro injusto e leviano destes. Independente das bandeiras que defendo e do que escolhi nessa camada, o importante pra mim, é que o que defendo eu possa de uma maneira didática e intuitiva demonstrar que os resultados são satisfatórios para atender demandas vitais para o crescimento de nossa sociedade em todas as estâncias e níveis.

Se falar e disseminar o uso de software livre, que para mim e para tantos outros, que cientificamente podemos comprovar, que esse modelo de negócios traz vantagens imensuráveis do ponto de vista econômico, estratégico, transparente e de qualquer forma que for atribuído ao mercado fomenta valores agregados importantes na geração de emprego, renda e impostos para nosso país é coisa de esquerda, que bom, quero um lugar na esquerda brasileira, pois acredito que esse modelo é o melhor para nosso tesouro e para nossa gente.

Antes do software livre surgir no meio informacional brasileiro, perdíamos horas, meses e anos apenas assistindo palestras de ferramentas e suas funcionalidades, sem saber de suas reais intenções e o que era feito com nossa valiosa informação. Fornecíamos com isenção de impostos verdadeiras fortunas (ainda o fazemos) aos cofres do exterior por sistemas que não nos garantiam segurança e confiabilidade. A liberdade de você continuar nesse modelo é presente, e ninguém lhe impede, porém, passamos a travar país a fora, grandiosos debates tratando profundamente e com transparência tudo aquilo que nos pertence, sabendo como e quanto custa cada processo realizado nesse modelo. Criamos uma opção estratégica que por consequência fez acordar um mercado forte e economicamente viável, nos fornecemos uma opção transparente e coerente com nossa capacidade de desenvolver coisas maravilhosas sem pagar pedágio para o obscuro e frágil, além de inseguro mercado proprietário. Hoje temos  a opção de não atirar no escuro, criar soluções ao invés de comprarmos problemas, hoje pelo menos temos a livre escolha, e esta opção pode ser minuciosamente estudada, adaptada e compartilhada. Se construir o que vem construindo o software livre no Brasil é coisa de esquerda, então somos companheiros.

Jean Carlos Sestrem



start: Gestão de TIC em Ambientes Open Source

9 de Junho de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Já era sem tempo, mas vocês sabem como é: trabalho, faculdade, família... E o espaço para o blog, onde fica?!

O projeto vem evoluindo desde março deste ano, estamos focando 4 áreas:

  • CRM
  • Gerenciamento de Projetos
  • Gerenciamento de Serviços de TI
  • Segurança da Informação

A idéia inicial era fazer trabalhos técnicos e submeter palestras relacionadas à eles no FISL12, mas após inúmeros encontros decidimos transformar este projeto em um programa. Então apartir de hoje vamos fazer desta comunidade um repositório de conhecimentos sobre ferramentas open source para apoio à gestão de TI.

 

CRM

Estamos testando o openCRX para o apoio às estratégias de CRM, veja estes artigos da linux magazine:

Forte, não gordo - openCRX

Visão de cliente - openCRX

O conceito de CRM ainda é um mistério para muitas empresas, assunto para um próximo post, contudo há um conseso de que é necessário mudar a forma como lidamos com os clientes. Devido à grande concorrência e a comodidade da compra online os negócios precisam repensar sua forma de contato e tentar criar um 'relacionamento' com seus compradores, daí vem a necessidade desse tipo de estratégia.

Pensamos no openCRX por sua alta capacidade de usuários e pela forte comunidade de desenvolvimento (empresas como a Crixp Corporation e a Omex AG estão por trás da marca).

 

Gerenciamento de Projetos

O gerenciamento de projetos é tratado por muitos como um commodity, na concepção de alguns especialistas esta competência deve ser de conhecimento de qualquer profissional, o que não deixa de ser correto; partindo do princípio de que qualquer atividade que possua mais de uma ação já é um projeto. No entando, o mercado ainda não possui esta cultura e são necessárias áreas específicas somente para este fim.

Nesta última semana o portal Olhar Digital fez uma pesquisa sobre as quatro profissões mais demandadas dentro da área de TI e uma delas é justamente ligada a projetos - confira aqui.

Na L-GTIC temos nos dedicado a compreender e discutir os conceitos do Guia PMBOK, da PMI, como ferramenta estamos testando o OpenProj, a evolução dos testes será divulgada nos próximos posts.

 

Gerenciamento de Serviços de TI

Quando falamos de gestão de TI a primeira coisa que nos vem a cabeça é ITIL, sem dúvidas, a framework da OGC é uma das mais utilizadas e conhecidas dentro do mercado de TI. Contudo, ela contempla somente o gerenciamento de serviços de TI, sendo muito superficial em outros temas, como: governança e segurança da informação. 

O gerenciamento de serviços de TI é o coração da área de TI, mas nada sairá da forma correta se não estiver alinhado com o negócio, ter ciência de que o ITIL é meio, e não o fim, é algo que ainda está sendo percebido pelo mercado.

Dentro deste cenário resolvemos testar soluções livres para automatizar a central de serviços, a opção escolhida foi o Ocomon a evolução dos testes também será divulgada neste canal.

 

Segurança da Informação

Importante em qualquer negócio, mas só lembrada quando as falhas acontecem.

A segurança possui diversas áreas de atuação: identidade, criptografia, bloqueio de conteúdo, antivírus... Contudo, mesmo sendo identificada, nas mais diversas formas, ainda não está amadurecida dentro da maioria das organizações. 

Contribuiremos inicialmente pela criptografia, apartir dos testes com o TrueCrypt que é capaz de emular um drive virtual criptografado para armazenamento de dados.

 

Por hoje é só... Gostaria do feedback de vocês sobre as soluções, já conheciam estes softwares? Qual a experiência de vocês com eles?



Liderando a Evolução Digital

1 de Abril de 2011, 0:00, por Dennis Freitas - 0sem comentários ainda

p { margin-bottom: 0.21cm; }

Desde a década de 80, quando houve o “boom” dos primeiros computadores pessoais, pouco se sabia da capacidade das pessoas em utilizar as novas tecnologias que estavam surgindo. A criação da Internet, a portabilidade de equipamentos, o aumento da capacidade de processamento e de armazenamento são algumas das melhorias fundamentais que mudaram a forma do trabalho moderno nos dias atuais. Com esta crescente evolução, surgiu a necessidade de capacitar pessoas a fim de produzir informação cada vez mais rápida, segura e eficaz possível.

A TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação se traduz na evolução dos procedimentos que permitem alcançar este objetivo. Cada vez mais lidamos com novas tecnologias e padrões que tem por finalidade valorizar a qualidade final da informação. Não obstante, devemos estar atentos à boa qualificação profissional, que tão importante quanto as tecnologias, o conhecimento deve ser constantemente fortalecido, a fim de que conquistemos o maior percentual possível do aproveitamento dos recursos disponíveis.

Na gestão de TIC precisa haver preocupação com a criação de um plano de ação que envolva a manutenção dos sistemas existentes em concomitância com a adequação aos novos padrões de mercado, fazendo uso de recursos de treinamento e desenvolvimento em novas frentes tecnológicas. Um bom exemplo é arquitetar novas versões de sistemas baseados em frameworks Java, sem prejuízo da manutenção das versões existentes em linguagens mais antigas. No lado da equipe, disponibilizar um tempo específico para dedicação aos estudos é fundamental, uma vez que há todo o interesse na evolução pessoal desse profissional por parte da organização em que este profissional trabalha: O resultado é lucrativo para ambos.