Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Guarux

- -
Tela cheia

Conheça o Guarux, uma nova distrbuição Linux

25 de Fevereiro de 2013, 0:00 , por Marcos da Paz - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 467 vezes

Linux: Guarux O final de 2009 e começo de 2010 foi uma época de grandes mudanças na gestão municipal de Guarulhos. Nesta época foi lançado o Programa Tecnologia Cidadã, implantado para adequar a cidade às demandas de inclusão sociodigitais e para iniciar um amplo processo de desenvolvimento de tecnologias como foco no benefício humano.

Uma das preocupações do Departamento de Informática e Telecomunicações da Prefeitura foi adequá-la à Instrução Normativa Nº1 da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, atualizando a IN 04/2008, que qualifica o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação (TI) pelo Governo Federal.

Esta nova instrução fornece importantes indicativos no campo da TI no Brasil, como a manutenção da preferência da União pelo software livre. Além disso, proíbe que o Serviço Público Brasileiro dependa apenas de softwares e componentes proprietários, e que dependa de um único fornecedor.

Na época de lançamento do programa a Prefeitura trabalhava com softwares proprietários que, além de não estarem em conformidade com a Instrução Normativa Nº1, eram responsáveis por um gasto elevado de recursos financeiros. Portanto foi estabelecido como meta que o software livre fosse utilizado por todos os funcionários públicos.

O primeiro passo para esta implantação foi o uso do Linux Educacional 3.0, que passou por várias customizações de aplicativos e do próprio sistema para ser utilizado no projeto. Ele foi usado por dois anos, porém, não teve boa aceitação dos usuários finais porque seu ambiente gráfico era diferente do sistema operacional proprietário comum que eles tinham em suas residências.

Através de reuniões e debates com a equipe desenvolvedora foi decidido criar uma solução dentro da Prefeitura que agradasse aos usuários da ponta e que serviria tanto para a aplicação nos Telecidadanias (centros de inclusão digital) quanto para uso corporativo.

Para tanto o Linux Educacional foi deixado de lado e passou a ser utilizada a distribuição Ubuntu, originada do conhecido sistema Debian.

O Ubuntu foi escolhido por diversas características, como: foi eleito o sistema mais bem aceito no nível doméstico, tem fácil customização na área gráfica, suporte LTS (Long Term Support – Assistência em Longo Prazo) e é farto no quesito de drivers para periféricos. Contudo, não agregava todas as condições necessárias para a aplicação do projeto.

Depois de pesquisas para a escolha de aplicativos, soluções e nome da distribuição, nasceu uma nova distribuição chamada Guarux, pioneira em nível governamental, principalmente por estar focada nos aplicativos de acessibilidade (visual e motora), sem deixar de lado o foco educacional e profissional, com um ambiente gráfico muito fácil de ser utilizado, que ajuda os usuários a interagir facilmente com outros sistemas operacionais.

Para a escolha do nome da distribuição foi feita uma pesquisa interna com os funcionários do Departamento de Informática e Telecomunicações e uma pesquisa da História municipal. Guarux relaciona-se com as origens da cidade de Guarulhos e seus primeiros habitantes, os índios Guarus, e com o Unix, que é a plataforma que deu origem ao Linux (Guaru+X=Guarux).

Para que a solução fosse o mais amigável possível, foi feita uma customização detalhada na parte gráfica, envolvendo menus personalizados, de forma que o usuário não tivesse dificuldade em utilizar o sistema nos Telecidadanias ou em casa. Na parte de acessibilidade foram incorporados softwares para deficientes visuais e para pessoas com grande dificuldade motora, como os paraplégicos, com a colaboração de voluntários deficientes para testá-los. Estes softwares, disponibilizados nas Telecidadanias, permitem que a inclusão digital seja estendida a deficientes, o que não ocorre normalmente por falta de softwares inclusivos.

Como esperado, essa distribuição foi bem aceita pelos usuários finais, apesar da natural resistência inicial a algo novo. Atualmente mil computadores da Prefeitura possuem o Guarux instalado e os usuários estão perfeitamente adaptados. Além disso, com ele, vieram diversos benefícios como:

A padronização do sistema em todos os computadores; Login com perfil específico, impressoras cadastradas no servidor; Autenticação no servidor AD (Active Directory); Atualização, quando necessário, de um pacote e aplicativos em massa, ou especifico para usuário, configurado para rodar um Terminal Service (Windows) para aplicações que não funcionam no ambiente GNU/Linux; Qualquer problema no sistema em princípio pode ser averiguado por atendimento remoto; O perfil do usuário o acompanha em qualquer lugar da prefeitura onde já existe esse novo padrão de imagem; Inventário automático de cada local padronizado; Comunicador instantâneo Spark para uso corporativo e compartilhamento de arquivos entre sistemas GNU/Linux e Windows.

Com isso, Guarulhos se tornou uma das poucas prefeituras brasileiras a ter seus funcionários usando software livre no dia a dia de trabalho, e não só isso, usando uma distribuição desenvolvida internamente.

Além disso, o Guarux atinge uma grande parcela da população através dos Telecidadanias, que têm mais de 6000 (seis mil) acessos mensais e mais de 7000 (sete mil) usuários cadastrados, e fornecem cursos profissionalizantes e cursos básicos de informática.

Normalmente, os frequentadores dos Telecidadanias pertencem a comunidades carentes e tem pouco contato com inovações tecnológicas e pouca possibilidade de acesso à Internet. Ainda, foi constatado que essas comunidades abrigam um grande número de deficientes, que tem ainda mais dificuldade em se beneficiar da tecnologia.

Pensando nisso, a equipe Guarux inovou ao priorizar o atendimento global pela distribuição, criando os softwares acessíveis e também um jogo desenvolvido para crianças com Transtorno Global de Desenvolvimento, chamado TDGrux.

Portanto, o objetivo da distribuição não é só ter excelência no uso diário no escritório, mas servir de ferramenta de aprendizado e inclusão.

Por ser baseado em Software Livre (GNU/GPL – General Public License – Licença Pública Geral), qualquer cidadão ou profissional com conhecimento em programação e um pouco de conhecimento em GNU/Linux pode alterar o código do Guarux para melhorias ou para customizações particulares, dado que estes códigos acompanham o sistema para que o usuário possa se sentir livre para criar e customizar.

Esse software não apresenta custo nenhum e está disponível para uso. Pode ser baixado através do site abaixo, que também disponibiliza manuais de instalação:

http://guarux.guarulhos.sp.gov.br

Equipe Técnica: Fausto Peralta, Elton Santolin e Marcos da Paz

Contribuição: Carol Francesse