Uma iniciativa apoiada no uso de aplicações abertas esta revelando dados desconhecidos das contas públicas no Brasil e dando dor de cabeça a políticos que têm aversão à transparência.

Chamada de Transparência Hacker, a iniciativa do programador Bruno Barreto e da relações públicas Daniela Silva está disseminando pelo país aplicações que permitem ler os dados publicados pelos sites oficiais de órgãos públicos, agregar e cruzar dados.

Um exemplo do trabalho feito pelos hackers é o serviço SAC SP. “No site da prefeitura de São Paulo, é possível a cada cidadão verificar o andamento de sua reclamação, mas não é liberado ver a reclamação de todos os munícipes. Criamos um robozinho que lê todas as queixas e seu andamento e as publicada de modo organizado na web”, diz Daniela.

O SAC SP também cruza dados e permite que o cidadão veja quais áreas (transportes, educação, saúde, etc.) geram mais queixas, em quais regiões há mais reclamações e quanto a prefeitura está gastando em cada área.

“Muitos políticos falam de transparência, mas na prática publicam dados pela metade, sem significado. Nossa ideia é organizar essas informações e revelar onde há falhas na administração pública, o que pode ser melhorado e combater desperdícios”, disse Bruna que apresentou o projeto Hacker Transparência durante a Feira Internacional do Software Livre (FISL), em Porto Alegre.

Como as aplicações são abertas, podem ser copiadas por outros programadores e adaptadas a diferentes realidades, diz Daniela. “Nós incentivamos que mais programadores abracem a iniciativa e ajudem a vigiar o poder público em seus bairros, cidades e Estados”, diz. (via info.abril.com.br)