Tags: Chrome, KDE, Rekonq

O Rekonq, navegador web Qt que está escalado (até o momento, ao menos) para ser o default no próximo Kubuntu, continua reunindo razões para ser apresentado como exemplo de reaproveitamento de esforço em projetos de código aberto.

Além de ser baseado inicialmente num navegador da Nokia, e usar o engine WebKit, mantido pela Apple (e originado no KHTML, do KDE), agora seus desenvolvedores anunciam que ele irá incorporar o suporte às extensões do Chrome, graças à API aberta do projeto do Google.

A nova versão 0.5 do Rekonq está agendada para o final de junho. (via omgubuntu.co.uk)