Tags: Borg, Google, OSI, WebM

Logo após o anúncio do Google sobre a disponibilização do formato de vídeo WebM, surgiram observações de que não se podia afirmar que a licença dele (estilo BSD) fosse open source, pois a mesma não foi analisada pela Open Source Initiative. Ato contínuo, Bruce Perens tomou a iniciativa e submeteu independentemente a licença à consideração da OSI.

E agora chega a informação de que o Google solicitou que a análise pela OSI seja adiada por algumas semanas, até que o Google conclua algumas análises internas e decida se quer ou não submetê-la, pois compartilha da preocupação com a proliferação de licenças – e, pelo jeito, talvez prefira ver-se impedido de usar a expressão “open source” (ou receber um relato do que precisaria ser mudado para poder usá-la) do que ver o número de licenças aprovadas pela OSI crescer ainda mais.

E não só isso: a empresa também informa, na mesma mensagem, que no caso de submeter mesmo a licença para a avaliação, vai preferir que ela faça a análise publicamente, e não da forma reservada que é usual.

Para mais detalhes, os links acima têm a íntegra das mensagens publicadas, e o link a seguir tem um acesso à thread da discussão a respeito. (via lwn.net)