Ir para o conteúdo
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

Computerworld

Invalid feed format.

Wwwhat's New?

Invalid feed format.

PC World

Invalid feed format.

IDG Now!

Invalid feed format.

Info

Invalid feed format.

Users SL Argentina

No route to host - connect(2) for "drupal.usla.org.ar" port 80

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Linux Colômbia

Invalid feed format.

 Voltar a FREE SOFTWAR...
Tela cheia

Android 2.2: um doce

28 de Maio de 2010, 21:00 , por Desconhecido - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 2876 vezes

Tags: Android

O titulo acima é da longa matéria do Gizmodo Brasil, da qual separei um trechinho:

O Android 2.2 – mais conhecido como Froyo – é a versão mais fácil de usar e de interação mais elegante até então. Mas mais importante do que isso, esse é o primeiro lançamento verdadeiramente atraente do Android para um público mais amplo. As atualizações do Froyo não são assim tão radicais, mas várias melhorias e refinamentos escondidos por trás das peças do robô o tornam ainda mais acessível e agradável de se usar.

Android 2.2: um doce | Gizmodo Brasil (http://www.gizmodo.com.br/conteudo/review android 22 um doce) ” src=”http://img.efetividade.net/img/xtra/500x_froyotalkwide_top1.jpg”]

Sem cair em termos muito técnicos, o Android roda seus aplicativos sob uma camada dentro de seu núcleo Linux OS em uma máquina virtual chamada Dalvik. Uma das maiores mudanças escondidas na versão 2.2 é um compilador em tempo real para o Dalvik, que – é aqui que chega o chocolate granulado do seu pedido – resulta em um aumento de velocidade de 2x a 5x para a CPU. Isso significa aplicativos mais rápidos – tudo mais rápido. (O Google demonstrou a mudança na semana passada com o jogo Replica Island, que manteve um framerate mais alto na versão 2.2 rodando outro aplicativos do que a versão 2.1.)

No uso diário, o novo compilador combinado com o eficiente controle de memória do Android significa que praticamente tudo o que você faz, tanto nas operações mais comuns dentro do SO como nos aplicativos, torna-se muito mais sensível, com melhor resposta. O aumento da velocidade em si não é surpreendente, mas os efeitos subconscientes de uma experiência mais suave e menos arrastada são reais. A lentidão e os engasgos que eu já esperava do Android (mesmo com processadores mais rápidos) foram quase todos eliminados. E após um ano e meio lidando com eles, é até marcante não sentir mais raiva das persistentes lerdezas do Android.  (via gizmodo.com.br)


Fonte: http://br-linux.org/2010/android-2-2-um-doce/

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.