Ir para o conteúdo
29 JUN / 02 JUL 2011
Centro de Eventos PUCRS - Porto Alegre - Brasil
Agende-se para o fisl13! De 25 a 28/07/2012
ou

<a href='/fisl12/patrocinadores'><span>Patrocinadores</span></a>

<a href='/fisl12/mostra-de-solucoes-e-negocios-livres'><span>Mostra de Negócios Livres</span></a>

Transmissão

Nossa Rede!

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Site faz denúncias de corrupção na área científica

30 de Junho de 2011, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1236 vezes
Traduções

 Dscf1264Com o objetivo de tornar público a corrupção no meio científico o site Science Leaks foi criado por um grupo de cientistas em que Paulo Henrique Bastos faz parte.  O site, segundo Bastos, mostra tudo que está acontecendo de errado em clínicas médicas e na área da pesquisa científica brasileira e mundial. "Buscamos divulgar a população o que vem acontecendo", enfatiza o palestrante que falou durante uma hora sobre o Science Leaks e as dificuldades de se fazer denúncias no Brasil, em palestra realizada no segundo dia do fisl12.

Bastos explicou que o grupo é formado por pesquisadores em sua maioria da área biológica. Eles desconstroem artigos e ao encontrarem erros fazem as denúncias no site. Eles também recebem denúncias de forma anônima, que são investigadas antes da publicação por eles próprios, jornalistas e integrantes do ministério. Possuem parcerias com o Associação dos jornalistas investigativos (ABRAJI) e com o Ministério Público de São Paulo. Disse que os mais corruptos na parte da ciência são "as clínicas de reprodução humana, pois é um negócio milionário".

Paulo salienta o quão é complicado fazer denúncias deste tipo no País. "Aqui é muito complicado, somos acusados de injúria, diflamação e ainda pode-se sofrer ameaças. É um jogo pesado, pois diversas vezes o grupo questiona pesquisadores renomados". Há uma forte oposição dos cientístas, segundo Bastos, eles "creem que determinados assuntos não devem ser divulgados e que só eles podem resover, isso é uma questão pública".

O palestrante cita como exemplo a política dos Estados Unidos, onde quem denuncia tem proteção. Para ele a corrupção nas pesquisas científicas só vai ter solução quando houver uma maior fiscalização das clínicas de fertilização e do dinheiro utilizado nas pesquisas. Durante a palestra Paulo Henrique Bastos citou vários exemplos de corrupção, dentre elas as alterações genéticas de óvulos humanos e de uso indevido dos mesmos.