Ir para o conteúdo
29 JUN / 02 JUL 2011
Centro de Eventos PUCRS - Porto Alegre - Brasil
Agende-se para o fisl13! De 25 a 28/07/2012
ou

<a href='/fisl12/patrocinadores'><span>Patrocinadores</span></a>

<a href='/fisl12/mostra-de-solucoes-e-negocios-livres'><span>Mostra de Negócios Livres</span></a>

Transmissão

Tvsl_horizontal

Nossa Rede!

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

A Revolução Energética

2 de Julho de 2011, 0:00 , por Desconhecido - 7171 comentários | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 4324 vezes
Traduções

ThomasAs ideias revolucionárias quando apresentadas causam espanto e um consequente descrédito, em um primeiro momento. Sabedor disso, Thomas Soares, buscou agregar seguidores ao movimento em favor da “Revolução Energética”, em palestra realizada na tarde deste sábado, durante o fisl12. O movimento trata do fim da depência dos cidadãos em relação ao pagamento de taxas por fontes de energia providas pelo sistema atual. Thomas, engenheiro metalúrgico e Coordenador Adjunto da Associação Software Livre.Org, imagina uma estrutura de sociedade onde a energia abundante e livre esteja à disposição do cidadão.

O carro-chefe da proposta trata do Campo de Flutuação Quântica, de onde pode ser tirada energia através de um sistema de geradores e imãs. Carros movidos à agua também foram apontados como possibilidades reais.

“Existe energia para todos e gratuita”, afirmou.

O principal problema no desenvolvimento destas tecnologias, segundo Soares, é a pressão exercida por parte das “elites” que não aceitam a popularização, e consequente independência, em relação a toda a estrutura do setor energético mundial.

“Se alguém tenta patentear esse tipo de tecnologia acaba sendo sabotado, comprado ou morto”, denunciou.

Mesmo diante de um cenário de pesquisa perigoso, existem projetos neste sentido espalhados pelo mundo como o gerador Searl, e os motores Bedini, Perendev, além do brasileiro Kepp, este que apresenta rendimento superior aos tradicionais alimentados por combustíveis fósseis, utilizando tecnologia limpa e livre. A iniciativa nacional está em fase final de desenvolvimento podendo ser disponibilizado ainda no ano de 2011.

Para Thomas uma revolução além de possível é necessária.

“ No início ridicularizavam o software livre e hoje estamos mais fortes do que nunca. Temos que nos unir”, analisou.


7171 comentários

Enviar um comentário
Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.