Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Está no ar o novo site oficial do Guia Foca GNU/Linux

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O guia Foca GNU/Linux está de casa nova! Criamos um novo site com conteúdo mais organizado e seguindo padrões da web 2.0:

  • Novo visual
  • Melhorias na navegação on-line
  • Barra de últimos seguidores do @focalinux no Twitter exibidos no
    rodapé da página
  • Agregadores RSS em todas as páginas
  • Novos ítens: FAQ, sobre o autor, formulários para envio de sugestões e
    correções.
  • Novo sistema de aviso de atualizações
  • Download mais fácil
  • E outras

Características do guia

  • Referência consagrada nacionalmente para o aprendizado, reforço de conhecimentos em Linux, administração/segurança de servidores, redes, etc.

  • Linguagem clara permitindo uma ótima compreensão do assunto por usuários iniciantes.

  • Organização do guia de forma linear; o aprendizado é feito de forma progressiva e interativa sem links quebrados e outras coisas que atrapalham a navegação e o aprendizado.

  • Código fonte em SGML.

  • Versão para impressão em formato PDF.

  • Disponível em formato HTML e Texto.

  • Separação do guia em três versões: Iniciante, Intermediário e Avançado. Uma única versão pode ser gerada a partir de um único código SGML.

  • Atualizações e revisões frequentes do conteúdo.

  • Marcação de itens a serem explicados (em especial a descrição detalhada de comandos, observações, opções utilizadas com os comandos e exemplos). Desta forma, você pode gerar uma versão sem exemplos e descrição detalhada (isto é uma leitura entediante para alguém que já conhece estas explicações).

  • Caso conheça a linguagem SGML e quiser tentar gerar sua própria cópia do guia, faça o download do código fonte SGML na área de downloads. A versão disponível nesta área é sempre última versão estável e compilável do guia.

  • Suporte a diversas distribuições Linux. A versão Iniciante é independente de distribuição (exceto pela parte de configuração), mas para as versões Intermediário, e Avançado será indispensável versões explicando os detalhes de cada uma em separado da mesma forma que as ferramentas de gerenciamento e pacotes existentes em uma mas não existente em outra.

NÍVEIS:

Para facilitar a leitura do guia, eu o dividi em três níveis de aprendizado: Iniciante, Intermediário e Avançado.

Iniciante

  • Ideal para quem NUNCA usou o computador e resolveu adotar o GNU/Linux como seu sistema. A versão iniciante também desenvolvida para aqueles que já ultilizam outros sistemas operacionais (como Windows, OS/2, UNIX) e desejam ou, por simples curiosidade, testar o GNU/Linux. Os assuntos explicados na versão Iniciante vão desde conceitos básicos sobre computadores e sistemas operacionais, o que cada comando faz. A versão Iniciante é independente de distribuição assim você pode usa-la em sistemas Debian, Slackware, RedHat etc.

Intermediário

  • Mantém as características da versão iniciante e entra em assuntos de configuração do sistema, compilação, manutenção, configuração básicas de rede, interfaces, disposistivos, segurança etc. É uma versão do guia indicada para aqueles que desejam explorar mais a fundo o sistema GNU/Linux. Foram introduzidos comandos mais complexos e novas opções aos comandos já disponíveis na versão iniciante.
  • A versão intermediário também visa a educação do usuário sobre a escolha e compra de bons periféricos a configuração de dispositivos do sistema (IRQ, DMA e I/O), como evitar conflitos de dispositivos e resolvê-los. Este assunto será útil para qualquer técnico de informática ou usuário (independente se ele é usuário do GNU/Linux ou não) que deseja recomendar ou comprar um bom periférico, sabendo pelo que está pagando.

Avançado

  • Escrita dando especial atenção ao foco de segurança, tendo como objetivo evitar acessos indevidos ao conteúdo da máquina, proteção com barreiras de segurança (autenticação, firewall restritivo, proxy, politicas de segurança de contas, etc.), análise de segurança da máquina, solução de vulnerabilidades, monitoramento, criptografia para transmissão segura de dados, politicas de segurança, como limitar recursos do sistema (como uso de memória pelos usuários, métodos de autenticação, limite de tempo de acesso, etc.).

  • O nível Avançado também documenta diversos tipos de serviços de rede (como o Apache, ssh, cvs, etc.), a configuração de seus respectivos clientes. Todos os capítulos documentados com foco objetivo sobre o assunto, com muitos exemplos e mantendo o padrão de organização de conteúdo (como nas tradicionais versões do Foca Linux), links para assuntos relacionados, observações importantes, considerações sobre o que se deve evitar e os riscos, etc. Este nível também traz configurações especiais de rede (como hosts multihomed, bridges).

Dúvidas, consulte as Perguntas Mais Frequentes, clique aqui

Sobre o Guia Foca Linux

O Foca Linux é um guia escrito de forma clara, linear e didática. Seu conteúdo é organizado em 3 níveis de aprendizado: Iniciante, Intermediário e Avançado. As explicações são diretas e dotadas de exemplos práticos e comentados para ajudar também os mais apressados e que já entendem do assunto abordado.

Pode ser baixado em formato para leitura off-line como HTML, PDF, Texto e ou on-line através do site oficial. Seu conteúdo sempre faz referência a outras partes ligados ao assunto que estiver lendo, possibilitando um aprendizado rápido e proveitoso. O guia abrange desde usuários que estão iniciando na informática, técnicos em manutenção/operação de sistemas a administradores unix experientes.

O Autor: Gleydson Mazioli da Silva

Nos visite em http://www.guiafoca.org e dê sua opinião preenchendo o formulário de sugestões do site ou no Twitter: @focalinux

* fonte: Guia Foca GNU/Linux



Como instalar o Inkscape 0.48 no Ubuntu

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Após 9 meses de desenvolvimento, foi lançada a nova versão do nosso editor de imagens vetoriais preferido!

Inskscape 0.48

O Inkscape 0.48 trás diversas novidades, como o edição de vários caminhos simultaneamente, uma nova ferramenta Spray, melhor edição de máscara e clip, novas opções e melhorias na ferramenta de nós, nova extensão JessyInk para criar apresentações, gerenciador de camadas, além de melhorias na ferramenta de texto como subscrito e sobrescrito, entrada numérica para kerning, localização e mais.

Veja mais detalhes da nova versão do Inkscape 0.48

Instalando via PPA no Ubuntu

Podemos fazer a instalação do Inkscape 0.48 no Ubuntu através de um repositório PPA (dica do blog Unixmen). Para isso, basta ir até o terminal e digitar os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:ricotz/ppa
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get install inkscape

O Inkscape 0.48 trouxe muitas melhorias para a ferramenta de texto. Há atualmente controles para sobrescrito, subscrito, espaçamento entre linhas, espaçamento de letras, espaçamento entre palavras, kerning horizontal, kerning vertical e rotação.

Inkscape 0.48

O Inkscape 0.48 agora suporta edição de vários caminhos simultaneamente. Antes a edição com a ferramenta de nó tinha a limitação de trabalhar apenas com um caminho por vez.

Inkscape 0.48

Instalou? Testou? Gostou?

O que você achou das novas ferramentas do Inkscape 0.48? Deixe um comentário e compartilhe suas impressões aqui :)

Ah, e siga-me no Twitter.

* fonte: AGNI



Como instalar o Inkscape 0.48 no Ubuntu

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Após 9 meses de desenvolvimento, foi lançada a nova versão do nosso editor de imagens vetoriais preferido!

Inskscape 0.48

O Inkscape 0.48 trás diversas novidades, como o edição de vários caminhos simultaneamente, uma nova ferramenta Spray, melhor edição de máscara e clip, novas opções e melhorias na ferramenta de nós, nova extensão JessyInk para criar apresentações, gerenciador de camadas, além de melhorias na ferramenta de texto como subscrito e sobrescrito, entrada numérica para kerning, localização e mais.

Veja mais detalhes da nova versão do Inkscape 0.48

Instalando via PPA no Ubuntu

Podemos fazer a instalação do Inkscape 0.48 no Ubuntu através de um repositório PPA (dica do blog Unixmen). Para isso, basta ir até o terminal e digitar os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:ricotz/ppa
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get install inkscape

O Inkscape 0.48 trouxe muitas melhorias para a ferramenta de texto. Há atualmente controles para sobrescrito, subscrito, espaçamento entre linhas, espaçamento de letras, espaçamento entre palavras, kerning horizontal, kerning vertical e rotação.

Inkscape 0.48

O Inkscape 0.48 agora suporta edição de vários caminhos simultaneamente. Antes a edição com a ferramenta de nó tinha a limitação de trabalhar apenas com um caminho por vez.

Inkscape 0.48

Instalou? Testou? Gostou?

O que você achou das novas ferramentas do Inkscape 0.48? Deixe um comentário e compartilhe suas impressões aqui :)

Ah, e siga-me no Twitter.

* fonte: AGNI



Plano de banda larga decide eleição na Austrália

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O plano australiano de estender cabos de fibra óptica a 93% dos domicílios, garantindo conexões de 100 Mbps (as demais terão conexão sem fio de 12 Mbps) foi desde o início considerado ambicioso, mas mesmo seus mais entusiastas defensores jamais poderiam imaginar que ele seria crucial para a formação do novo governo do país.

Nas últimas duas semanas, prevaleceu o impasse por conta do resultado eleitoral de 21 de agosto. Nenhum dos partidos conseguiu maioria no parlamento, o que complicou a formação de um novo gabinete. É certo que vários assuntos influenciaram o resultado alcançado na quarta-feira, 8/9, mas a principal diferença entre os partidos é a posição de cada um sobre a estatal NBN, criada para gerir a construção e a operação da rede nacional de banda larga.

O Partido Trabalhista e os Verdes entendem a banda larga – especialmente via fibra óptica – como chave para o futuro da Austrália e, por isso, sustentam o investimento de AU$ 43 bilhões (R$ 65 bilhões), no projeto de 10 anos. Já o Partido Liberal defende o fim do projeto, a eliminação da NBN e, no lugar, a oferta de incentivos para tornar as conexões DSL mais acessíveis. Com o impasse nas eleições – nenhum dos partidos obteve a maioria de 76 cadeiras – ficou claro que a coalizão vencedora determinaria o futuro do plano australiano de banda larga.

O impasse foi superado pelos três parlamentares independentes eleitos. Um deles se alinhou com os Liberais, outro com os trabalhistas. O terceiro, Tony Windsor, representante da área rural australiana, ficou também com o Partido Trabalhista. “Há uma enorme oportunidade para os australianos do interior acessarem a infraestrutura deste século. Acho que uma oportunidade boa demais para ser desperdiçada”, disse o parlamentar em entrevista após a decisão.

Com isso, a coalizão liderada pelos trabalhistas garantiu a maioria com 76 votos – contra 74 da oposição – e, portanto, o direito de formar um novo governo. O resultado significa que a Austrália vai manter o plano de compensar a concessionária de telefonia Telstra em AU$ 11 bilhões (R$ 16,5 bilhões) pela posse da infraestrutura construída e pela substituição da rede de cobre. Com a conclusão do projeto, a NBN não vai se tornar provedor de acesso, mas garantir as conexões no atacado para que pequenos provedores possam competir pela oferta de serviço.

* Com informações da imprensa australiana

* fonte: Convergência Digital



ITI e empresas discutem estratégias para a inclusão do certificado digital no RIC

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Renato Martini, e o diretor de Infraestrutura de Chaves Públicas do ITI, Maurício Coelho, se reuniram ontem (09/09), com os representantes das Autoridades Certificadoras para debater sobre a certificação digital no Registro de Identidade Civil (RIC).

Martini expôs a baixa receptividade que a maior parte dos membros do Comitê Gestor do Sistema Nacional de Registro de Identificação Civil (SINRIC) têm apresentado em relação ao tema. Apenas alguns ministérios apoiaram a inclusão do Certificado Digital na emissão da nova identidade dos brasileiros. “Tenho a impressão que nem todos do grupo estão sensibilizados para a questão dos benefícios que uma identidade eletrônica pode trazer para o cidadão”, avaliou Martini

Martini e Coelho ficaram responsáveis de apresentar na próxima reunião do Comitê Gestor do SINRIC, que acontecerá nas próximas quarta e quinta-feira (14 e 15/09), como a ICP-Brasil funciona, para que serve e como tem ajudado o cidadão brasileiro. Segundo Martini, o preço da certificação digital assustou bastante o Comitê, mas não é necessário se alarmar.

“O custo é uma fotografia da realidade de hoje. Essa realidade mudará quando o certificado digital for emitido para os milhões de brasileiros”, conclui Martini. Coelho ainda agregou que “o certificado digital é uma ferramenta de segurança para o cartão, ou seja, para o cidadão brasileiro”.

O presidente de Negócios de Identidade Digital da Serasa Experian, gestora da AC-Serasa, Igor Rocha, acrescentou que o RIC ganhou força e notoriedade graças a certificação digital, pois em um primeiro momento as duas eram associadas. “É necessário um trabalho de formação de base do Comitê Gestor do SINRIC para poderem tomar uma decisão mais embasada”, opinou Rocha.

Ele ainda falou que o certificado digital é essencial no RIC, pois o Brasil ruma para uma sociedade virtualizada. Martini concordou e completou afirmando que “a certificação digital não é jogar dinheiro fora, é investir no país”.

* Com informações do ITI

* fonte: Convergência Digital



CPM Braxis minimiza presença do Serpro na oferta de serviços de TI

13 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Em discurso divergente da maioria das empresas do setor de software, a CPM Braxis minimiza a presença do Serpro e da Dataprev no mercado de serviços de TI e diz que a participação das estatais é pequena e não afeta a competitividade na vertical governo. Com 55% do seu controle recém-adquirido pela francesa CapGemini, a prestadora de serviços refuta ainda a tese de que deixou de ser uma empresa nacional.

Em entrevista exclusiva ao Convergência Digital, o presidente da CPM Braxis, José Luiz Rossi, não se furtou ao falar do impacto da fusão com a francesa CapGemini, anunciada na semana passada. "Essa é a minha quarta fusão como executivo - a primeira foi quando a Price foi comprada pela IBM. Sei que há processos para serem cumpridos, mas nós fizemos uma escolha. Havia outras propostas e ficamos com a CapGemini porque ela tem uma estratégia global onde não retira a capacidade da empresa adquirida", explicou Rossi.

Tanto é assim que a CPM Braxis manterá o seu nome e marca, incorporando apenas o slogan de uma empresa CapGemini. "Temos contratos globais e queremos muito mais. Estamos na verdade reforçando a marca. O fato de ter uma francesa no nosso controle não significa que deixamos de ser uma empresa brasileira. Todo o staff é local, nossos produtos são locais. O que vamos fazer é agregar conhecimento e abrir novas frentes", enfatizou o presidente da prestadora de serviços de TI.

Rossi lembrou ainda que todos os acionistas anteriores continuaram à frente da empresa. "Ninguém saiu. Os 45% restantes do controle são nossos. Não houve venda para deixar a empresa. O que houve foi, sim, um investimento", completou. Indagado se houve falta de incentivo governamental para que a CPM Braxis se tornasse uma gigante 100% nacional, Rossi garantiu que não. "Nos últimos 18 meses houve várias ações importantes para consolidar o setor de software no Brasil. Precisamos fazer uma capitalização em função dos negócios. Porque queremos atuar como uma empresa global".

E falando de governo, Rossi encampou um discurso divergente da maioria das empresas prestadoras de serviços de TI no Brasil. Segundo ele, a presença mais forte do Serpro e da Dataprev no mercado não é um fator de preocupação. O presidente da CPM Braxis assegura que se o governo está revendo sua área de TI, significa que há a intenção de reforçar o Governo Digital.

"A competição é saudável para todos. O mercado de governo digital é tão promissor que há muito por fazer. Além disso a participação do Serpro, mesmo que seja concorrendo, é pequena. Há todo uma cadeia - do poder Federal ao municipal - onde ainda há muito para se contratar na área de Tecnologia da Informação. Entendo que se o governo fortalece o Serpro, ele está, na verdade, prestando atenção à TI", sinalizou.

Sobre os novos planos, Rossi destacou que há áreas importantes para serem conquistadas. Uma delas é a de smart grid - tecnologia que leva inteligência aos sistemas elétricos e que permite, por exemplo, que o consumo de energia seja cobrado como serviço. "A CapGemini tem forte solução nessa área e o Brasil - através da Eletrobrás e Aneel - já trabalha para adotar o smart grid. Acreditamos muito nesse mercado", completou.

:: Ana Paula Lobo
:: Convergência Digital



Abranet tem nova diretoria executiva

13 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Associação Brasileira de Internet (Abranet) contratou Paulo de Tarso Pacífico para o cargo de diretor-executivo.

Com larga experiência na área de Telecomunicações, o executivo usará todo o seu conhecimento e network para estruturar, promover e fortalecer ainda mais a entidade.

Pacífico já atuou em diversas empresas do setor de telecomunicações e tecnologia da informação, como IBM, Itautec, AT&T, Avaya, Iqara Telecom, Telefonica Empresas, entre outras.

* fonte: IT Careers - Convergência Digital



Com suporte técnico da Celepar, Paraná em ação reúne 30 mil pessoas em Curitiba

13 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Com a presença de mais de 30 mil pessoas e 90 mil atendimentos, a Feira de Serviços Paraná em Ação realizada em Curitiba no último final de semana contou com a participação decisiva da Companhia de Informática do Paraná (Celepar), que desde o início do programa em 2004 é responsável pelo suporte técnico do evento.

Além da instalação das redes lógica e elétrica e manutenção de máquinas e programas de computador, a Celepar também executa os serviços de conexão com a Internet através de redes sem fio para todos os estandes das secretarias e demais órgãos que prestam serviços de atendimento ao público durante os cinco dias da feira. A empresa também mantém um telecentro dentro da Feira para acesso à internet e a outros serviços que exigem o uso de processos informatizados. A manutenção e monitoramento dos diferentes sistemas de comunicação, como os de confecção de carteira de identidade, carteira de habilitação e registro de veículos, também é feito pelos técnicos da Celepar.

JosecastroDurante visita à feira, o presidente da Celepar, José Antonio de Castro, acompanhou de perto a atuação dos técnicos da empresa e ouviu muitos elogios e sugestões por parte dos organizadores do evento. Segundo Marcírio Machado Sobrinho, sem o suporte da Celepar o sucesso do evento estaria comprometido, já que uma de suas características é a agilização de processos que a tecnologia da informação e comunicação possibilita. Este fato foi comentado pela chefe da Defensoria Pública do Estado Josiane Fruet Benetti Lupion, que na Feira presta atendimento aos casos relacionados à família, como as denúncias de violência contra a mulher, abusos de menores, entre outros.

Orlando_pessutiPolítica Pública – Durante a feira o governador Orlando Pessuti comemorou a aprovação do Projeto de Lei 208/2010 que transforma o Paraná em Ação em Política Pública do Estado. Ele disse que até o final desse mês de setembro o projeto de lei deve chegar às suas mãos para ser sancionado.

Paraná em Ação“O Paraná em Ação deverá permanecer não como um programa de governo e sim como programa de estado, garantindo a continuidade desses serviços independente do governot que assuma nosso Estado”. O Paraná em Ação está em sua 84ª edição e já beneficiou mais de 2 milhões de paranaenses, com atendimentos gratuitos em todas as regiões do Estado.

A próxima edição está marcada para os dias 24 a 26 de setembro em Umuarama, no extremo Oeste do Estado.

*Lei 16583 - 29 de Setembro de 2010

* fonte: Celepar



Com suporte técnico da Celepar, Paraná em ação reúne 30 mil pessoas em Curitiba

13 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Com a presença de mais de 30 mil pessoas e 90 mil atendimentos, a Feira de Serviços Paraná em Ação realizada em Curitiba no último final de semana contou com a participação decisiva da Companhia de Informática do Paraná (Celepar), que desde o início do programa em 2004 é responsável pelo suporte técnico do evento.

Além da instalação das redes lógica e elétrica e manutenção de máquinas e programas de computador, a Celepar também executa os serviços de conexão com a Internet através de redes sem fio para todos os estandes das secretarias e demais órgãos que prestam serviços de atendimento ao público durante os cinco dias da feira. A empresa também mantém um telecentro dentro da Feira para acesso à internet e a outros serviços que exigem o uso de processos informatizados. A manutenção e monitoramento dos diferentes sistemas de comunicação, como os de confecção de carteira de identidade, carteira de habilitação e registro de veículos, também é feito pelos técnicos da Celepar.

JosecastroDurante visita à feira, o presidente da Celepar, José Antonio de Castro, acompanhou de perto a atuação dos técnicos da empresa e ouviu muitos elogios e sugestões por parte dos organizadores do evento. Segundo Marcírio Machado Sobrinho, sem o suporte da Celepar o sucesso do evento estaria comprometido, já que uma de suas características é a agilização de processos que a tecnologia da informação e comunicação possibilita. Este fato foi comentado pela chefe da Defensoria Pública do Estado Josiane Fruet Benetti Lupion, que na Feira presta atendimento aos casos relacionados à família, como as denúncias de violência contra a mulher, abusos de menores, entre outros.

Orlando_pessutiPolítica Pública – Durante a feira o governador Orlando Pessuti comemorou a aprovação do Projeto de Lei 208/2010 que transforma o Paraná em Ação em Política Pública do Estado. Ele disse que até o final desse mês de setembro o projeto de lei deve chegar às suas mãos para ser sancionado.

Paraná em Ação“O Paraná em Ação deverá permanecer não como um programa de governo e sim como programa de estado, garantindo a continuidade desses serviços independente do governot que assuma nosso Estado”. O Paraná em Ação está em sua 84ª edição e já beneficiou mais de 2 milhões de paranaenses, com atendimentos gratuitos em todas as regiões do Estado.

A próxima edição está marcada para os dias 24 a 26 de setembro em Umuarama, no extremo Oeste do Estado.

*Lei 16583 - 29 de Setembro de 2010

* fonte: Celepar



WordCamp Curitiba acontecerá no dia 22 OUT na FESP

13 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Está aberta a submissão de trabalhos para o WordCamp Curitiba

A comunidade WordPress-BR está organizando o WordCamp Curitiba, que ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro na FESP, localizada no centro da cidade.

Esta, que será a segunda edição do WordCamp no Brasil se diferencia do evento do ano passado, que tinha como objetivo ser um encontro nacional e mais abrangente. Desta vez, seguindo os caminhos do WordCamp Central a ideia é criar um encontro local e descentralizado e que, como a comunidade espera, seja o primeiro de muitos por todo o país.

O WordCamp é um tipo de conferência originada nos Estados Unidos que trata sobre todos os assuntos relacionados ao WordPress, a plataforma de código aberto de publicação de conteúdo. Os eventos são organizados pelas próprias comunidades de usuários da ferramenta. Neles, desenvolvedores, designers, blogueiros e usuários casuais podem assistir a palestras e apresentações, trocar ideias e se conhecer num ambiente informal.

Inscrições, palestras, grade de atividades e outras informações logo estarão disponíveis no site do evento.



Tags deste artigo: firefox