Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Dataprev investe em tecnologia livre

28 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://nickmartins.com.br/atualidades/wp-content/uploads/2011/05/concurso-dataprev1.jpgEsse ano, a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), publicou a Instrução Normativa 01, que dispos sobre os procedimentos para o desenvolvimento, a disponibilização e o uso de aplicações hospedadas no Software Público Brasileiro. A iniciativa mostra a importância que o tema alcançou no governo federal. A Dataprev segue essa diretriz há muito tempo, desde o ínício do projeto Cacic em 2005, sendo inclusive, pioneira na inserção desta aplicação no Portal do Software Público. Acompanhe na entrevista com o gerente da Unidade Desenvolvimento Software Livre (UDSL), Érico Ferreira, as principais iniciativas da empresa no desenvolvimento de soluções livres.

http://portal.dataprev.gov.br/wp-content/uploads/2011/07/101015_Tela_Inicial_CAJU_editada_380x171.jpg
DTPNet - Como o Software Livre se incorporou às rotinas e processos na Dataprev?
Érico - O início de uma experiência na área de Software Livre teve início há, aproximadamente, dez anos, quando técnicos resolveram substituir o sistema operacional dos computadores da empresa e de algumas procuradorias do INSS, que passou do sistema proprietário Novell Netware para a solução livre Linux. O objetivo era ter um domínio maior do sistema (já que o Linux tem código aberto), maior atualização tecnológica e economia de custos, o que realmente aconteceu pois tivemos redução de gastos com licenças e atualizações.

Depois disso, outras ações foram implementadas como a adoção do servidor Samba, que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows, do servidor proxy Squid, que permitiu controlar os acessos à internet, identificando quem fazia mau uso da ferramenta, do Concurrent Versions System (CVS), ferramenta de apoio ao desenvolvimento de software (A Dataprev, inclusive, virou referência na utilização da ferramenta na área governamental), entre outros.

DTPNet - E de que forma as soluções livres foram institucionalizadas dentro da empresa?
Érico - Como o Software Livre vinha crescendo, sentiu-se a necessidade de estruturar um setor para organizar e disseminar novas propostas. Por isso, no início dos anos 2000, foi criada uma Coordenação Geral de Software Livre, que, posteriormente, se transformou na Unidade Desenvolvimento Software Livre (UDSL) com foco no desenvolvimento de soluções em tecnologia livre sobretudo para a área-meio e no incentivo do uso do SL em outras unidades.

DTPNet - Hoje como está o desenvolvimento de soluções em SL na empresa?
Érico - Já desenvolvemos diversas soluções com tecnologia livre, entre elas o Configurador Automático e Coletor de Informações Computacionais (Cacic), pirmeiro programa a integrar o Portal do Software Público; o Controlador Centralizado do Ambiente de Rede (Cocar), a TV Digital Social e o Sistema de Gerenciamento do Atendimento (SGA Livre).

Atualmente, estamos desenvolvendo o Sistema de Gestão de Frequência (SisGF), para o controle de ponto dentro da empresa; o Controle e Acompanhamento Jurídico (Caju), que fará o gerenciamento de atividades, mapeamento e controle das demandas e produção de relatórios para o jurídico; o correio eletrônico Expresso, que substituirá o Exchange entre outros.

 

 

 

O novo Expresso é outro software livre em desenvolvimento

 

 

DTPNet - Além do incentivo dentro da empresa, como a Dataprev vem apoiando as iniciativas em SL?
Érico - Fazemos parte do Comitê Técnico de Implementação de Software Livre (Cisl) e patrocinamos eventos na área já há algum tempo. A empresa já foi patrocinadora do Fórum Internacional Software Livre (Fisl), do Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico (Consegi), do Encontro Nacional do BROffice, da Conferência Latino-Americana de Software Livre (Latinoware ),da PostgreSQL Conference (PGCon). Desde 2009, a empresa investiu aproximadamente R$ 332 mil nesses eventos. Além de ser um momento de troca de experiência, esses encontros são uma oportunidade de capacitação de nosso pessoal por meio de palestras e cursos com especialistas na área. Infelizmente por restrições orçamentárias, nem sempre a empresa pode patrocinar todos os eventos que gostaria.

Curso sobre o Cacic ministrado durante o Fisl

Postada por: Érico José Ferreira, erico.ferreira at dataprev.gov.br

* fonte: Dataprev



Mozilla terá sistema operacional para smartphones e tablets

27 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Mozilla Foundation, empresa criadora do popular navegador Firefox, anunciou hoje (26) que começará a desenvolver um sistema operacional focado para o mundo móvel. O embrionário sistema se chamará Boot to Gecko (B2G).

http://www.rodrigopadula.com/wp-content/uploads/2010/11/mozilla-foundation-logo-250x235.png

A proposta do sistema é dar foco maior aos padrões abertos da web, criando lojas e aplicações que não sejam obrigatoriamente úteis em apenas um sistema operacional, como é o caso do iOS, da Apple, e do Android, do Google. Para a Mozilla, as ferramentas abertas podem ser uma alternativa competitiva ao formato atual, que depende de kits de desenvolvimento fornecidos pelas empresas.

Segundo Andreas Gal, engenheiro da Mozilla que vai liderar o projeto, o B2G ainda está em fase inicial e ainda há poucos detalhes sobre como ele será desenvolvido. "Algumas ideias ainda estão apenas em nossas cabeças", escreveu Gal na mensagem que abre o site do B2G.

* fonte: Folha de S. paulo



PSL Brasil dispara, 15.024 usuários cadastrados e 819 comunidades ativas

25 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://softwarelivre.org/image_uploads/0005/0297/psl-br_big.jpg?1302208344PSL Brasil dispara, 15.024 usuários cadastrados e 810 comunidades ativas.

Desde que surgiu o Linuxem 1991, o Software Livre vem conquistando novos usuários em todo o mundo.

No Brasil o Software Livre ganhou velocidade no início de 2.000. De lá para cá, o Software Livre e Código Aberto está presente no dia a dia de cada basileiro.

Às vezes criticamos o Software Livre mas, não paramos para analisar o quanto o usamos no nosso dia-a-dia.

Para ajudar as pessoas a fazer uma reflexão sobre uso de TI e principalmente sobre o Software Livre e Open Source em sua vida, segue algumas aspectos abaixo, provavelmente, você se encaixa em algumas ou em várias das situações listas:

Você possivelmente:
- Navega na Internet: praticamente tudo que tem na Internet é Software Livre, começando por HTML, PHP, Apache, etc

- Acho que você faz pesquisa no Google, pois é, praticamento tudo que ela faz e usa é Software Livre e Open Source.

- Você usa Wikipédia? claro que usa! Já usou alguma vez. É cara inteligente! Pois é, para sua informação o Wikipédia é totalmente em Software Livre e Open Source.

- Você usa Home Bank na Internet, Mais de 85% de dos Bancos usam software Livre.

- Você deve jogar na Mega-Sena, na esperança de ficar milionário. Pois é todos os computadores das Casas Lotéricas usam Software Livre.

- Você se alimenta, né! Faz compra em super e hipermercados. Pois é, Carrefour em todo o mundo usa Software Livre. Condor, Big, Walmater, Califórnia, Kusma, Mercadorama, etc.

- Você faz compras, lógico que sim! Pois é, Lojas Renner, Colombo, Americanas, Magazine Luiza, Casas Bahia, etc, Usam Software Livre.

- Você tem carro, abastece nos postos de combustível, claro que sim! Pois é, a Petrobras é um dos maiores usuário de Software Livre.

- Você viaja de avião! Já voou num boing, claro que sim! Pois é, a Boing é um dos maiores patrocinadores do Free Software e Open Source e ODF.

- Você usa produtos da Microsoft, claro que usa! Inclusive piratas! Isso é crime e você poderá ser preso! Você sabia? Claro que sabe! Pois é, Free Software e Open Source não é só bom mas excelente! Veja a fundação que a Microsoft criou http://codeplex.org

- Você é possivelmente um dos maiores usuários de Free Software e Open Source! Não Sabia? Pois é, quando navega na Internet, faz compras, se alimenta, anda de carro, vê TV, assiste filmes, se diverte, saca dinheiro no caixa eletrônico, etc.

- Você deve assistir filmes! Claro que sim! E, assistiu os filmes Shrek, Madagascar, Titanic, e muitos outros. Pois é, foram feitos em Software Livre.

- Você assiste novela, futebol, telejornal na Rede Globo, quase 100% de tudo que a Globo em TI é Software Livre. clique aqui...

- Você votou nas eleições! Claro que sim! Pois é, na máquina de votação o Software que tem nessas urnas eletrônicas é Software Livre!

- Todos os sites do Governo do Paraná, são quase 3.000, Foram feitos com software Livre, XOOPS. e, continuam sendo feitos em Software Livre.

- Você deve ter parentes, netos, sobrinhos, filhos de amigos que estudam nas escolas estaduais do Paraná. São 44.000 estações no Estado do Paraná. Pois é, tudo em Software Livre.

- Você possui RG emitido pelo Instituo de Identificação do Paraná! Pois é, foi feito com Software Livre.

- Você tem carros! claro que sim, deve ter mais de um! Na emissão do registro de carro e multas no Paraná, são usados Software Livre.

- Você tem CNH do Paraná! Pois é, foi todinho feito em Software Livre

- A Receita Federal lançará a emissão de CPF pela Internet. Será em Software Livre.

- Você já fez refeições no McDonald’s! Claro que sim! McDonald’s usa Software Livre! Não vomite, por favor!

- Você deve ter um blog? claro que sim! Pois é, deve ser Software Livre!

- Se você quiser saber tudo isso e muito mais sobre software Livre. Use o Google, Wikipédia e Internet. Eles são Software Livre!

- O uso de Software Livre é uma questão de Inteligência e sabedoria! Você é inteligente e sábio! E, usa muito Software Livre!

- Você é um grande usuários de Free Software e Open Source! Sabia?

* Seja Livre! use Software Livre e seja Feliz!

by Furusho, Vitorio



Direito Autoral: Uma Lei para o Furusho

22 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://g1.globo.com/platb/files/2015/2010/02/marcelo-branco-picnik.jpgO debate sobre a reforma do direito autoral se insere num contexto das transformações nas relações sociais e econômicas provocadas pela internet, num choque entre os modelos bem-sucedidos da era industrial com as novas possibilidades e oportunidades deste período que vivemos: a era da informação.

No caso da música, para que chegasse ao grande público, além dos custos de produção e gravação num estúdio, necessariamente deveria passar por um processo industrial fabril. Nessa cadeia produtiva, o intermediário industrial assumiu papel preponderante em relação a toda cadeia produtiva e impôs o modelo aos demais elos da cadeia. A partilha da arrecadação do direito autoral também privilegiou o intermediário industrial, que fica com grande parte da receita em detrimento dos autores, produtores, músicos, técnicos de gravação etc.

Na era da internet, as obras que circulam não são produtos industriais materiais, portanto é inaceitável que justamente o modelo de negócios que evaporou com a internet imponha as regras. Devemos buscar o reequilíbrio do direito levando em conta apenas os interesses dos autores, dos novos atores dessa cadeia produtiva e do público.

Através do avanço da tecnologia, abrem-se novas possibilidades, mais baratas e universais de produzir, distribuir e consumir os conteúdos culturais. Mudaram também os hábitos do público consumidor e isso deve ser valorizado e não combatido. O público não é inimigo dos autores, pelo contrário.

Temos que acabar com a confusão entre "cópia privada" e pirataria. Pirataria é o uso e comercialização de cópias ilegais, para benefício econômico. Não devemos confundir "os limites ao direito do autor, com certas atividades que deveriam ficar à margem da proteção ao direito do autor”. O direito a uma cópia privada sem o intuito de lucro, na verdade, é uma expressão do princípio da liberdade do uso privado.

Quando compartilhamos conteúdos P2P pela internet, não estamos baixando de uma máquina central ou aderindo à pirataria. São conteúdos pessoais, disponibilizados por dispositivos de compartilhamento de arquivos, para uso privado. A única forma de tentar coibir essa nova prática social seria a colocação de filtros na porta de cada usuário, instituindo uma vigilância generalizada e a quebra de privacidade dos cidadãos, inaceitável no Estado de direito democrático. A nova lei dos direitos autorais deve admitir os avanços da internet e descriminalizar as práticas de compartilhamento de arquivo P2P, pois é uma relação privada de pessoa para pessoa, sem fins lucrativos.

É claro que a mudança da lei do direito autoral é uma oportunidade para atualizar e estabelecer um novo equilíbrio entre o direito do autor, a liberdade do uso privado e novas formas de remuneração da cadeia produtiva. A nova lei deve projetar o futuro e não se espelhar num modelo do passado.

MARCELO BRANCO é profissional de tecnologia de informação.

* fonte: O Globo



4Linux e BonitaSoft anunciam parceria comercial

22 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A 4Linux - empresa líder na oferta de soluções de TI baseadas em software livre e open source para o mercado brasileiro - e BonitaSoft – empresa líder na oferta de soluções BPM open source – anunciaram nesta quinta-feira, dia 30 de junho, durante a 12ª edição do FISL (Fórum Internacional do Software Livre) - na cidade de Porto Alegre - a parceria entre as duas empresas.

http://www.4linux.com.br/sites/all/themes/contrib/neotux/images/logo.png

Com esta parceria a 4Linux passa a ser um Certified Partner para o mercado Brasileiro da solução de BPM Bonita Open Solution.

“Nós estamos tendo uma boa procura no mercado brasileiro e com esta parceria nossos clientes poderão ter acesso a um amplo conjunto de serviços compreendendo suporte, consultoria e integração”, afirma Miguel Valdés Faura, Presidente e co-fundador da BonitaSoft.

“ Incluir em nosso portfólio de soluções open source uma solução de BPM, com a qualidade encontrada no Bonita Open Solution, que vem evoluindo rapidamente a cada novo release e além disso já integrado a solução de portal Java eXo Platform, da qual já somos parceiros oficiais para o mercado brasileiro, vai enriquecer bastante a nossa oferta de soluções baseadas em softwares livres e open source.”, afirma Rodolfo Gobbi, Diretor Geral da 4Linux.

O anúncio oficial aconteceu no stand do Consórcio OW2 da qual a BonitaSoft e a 4Linux são membros. O Consórcio OW2 é uma comunidade aberta comprometida em disponibilizar e popularizar as melhores e mais confiáveis tecnologias de middleware incluindo desde aplicações para o mundo corporativo até tecnologias para computação em nuvem.

“ O Bonita Open Solution se encaixa perfeitamente em nosso portfólio de soluções baseadas em software livre e open source. Das várias soluções pesquisadas optamos pelo BPM da BonitaSoft por ser uma solução robusta, flexível e aderente a padrões e também por estar alinhada com a nossa cultura de software livre e open source. Já estamos com a equipe capacitada e prontos para os primeiros projetos”, afirma Francisco Saito, Diretor de Tecnologia da 4Linux.


Sobre a 4Linux

4Linux é a empresa líder no mercado brasileiro na oferta de soluções, treinamentos e serviços baseados em softwares livres e open source. Com uma equipe técnica altamente especializada e experiente na construção de infraestrutura para ambientes de missão crítica de TI a 4Linux implementou com grande sucesso soluções de software livre e open source na Caixa Econômica Federal que serve mais de 50 milhões de brasileiros. A 4Linux também oferece treinamentos técnicos inclusive com aulas pela internet para todo o mundo.

Sobre BonitaSoft

BonitaSoft é a empresa líder na oferta de software BPM (Business Process Management) open source. Criada em 2009 pelos fundadores do projeto Bonita, BonitaSoft está popularizando o uso de BPM em empresas de todos os tamanhos com uma solução poderosa e intuitiva de ótimo custo. A solução Bonita já teve mais de 800.000 downloads por empresas e organizações de todo o mundo.

Sobre OW2

Fundada em janeiro de 2007, OW2 é uma comunidade independente de empresas dedicada ao desenvolvimento de codigo open source de infraestrutura (middleware e aplicações genéricas) e promover uma comunidade vibrante e um ecosistema de negócios. O consórcio OW2 hospeda mais de 100 projetos de tecnologia incluindo Acceleo, ASM, Bonita, eXo Platorm, Funambol, JOnAS, Lomboz, Orbeon Forms, PetALS, SpagoBI and XWiki. Visite o site.



Rio Grande do Sul: Concurso da Secretaria da Fazenda e Software Livre são assuntos do Governador Responde de julho

22 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O governador do Estado, Tarso Genro, respondeu a duas perguntas na edição de julho do Governador Responde. A primeira, sobre a convocação de aprovados no concurso para agente do Tesouro do Estado, cumpre o compromisso de, todo mês, responder a pergunta mais votada pelos gaúchos. A segunda pergunta respondida, sobre software livre, foi uma escolha do próprio governador.

http://www.sindsistema.com.br/imagem_site/noticias/447/img_1256811236.jpg

Com 2.295 votos, a pergunta mais votada refere-se ao concurso da Secretaria Estadual da Fazenda para agente fiscal do Tesouro. Tarso Genro esclareceu na última  sexta-feira (15/7) se pretende efetuar nomeações para o cargo ainda em 2011.

Pergunta mais votada: “O governo pretende efetuar nomeações para agente fiscal do Tesouro do Estado ainda neste ano?” Confira a íntegra da resposta do governador no vídeo abaixo:

http://www.governoescuta.rs.gov.br/videos/govresponde/18julho/1/0012.Governador_Responde_Julho_2011-1.ogv

O concurso foi aberto em 2009 e, desde então, o Governo do Estado convocou um grande número  de aprovados. Hoje, restam apenas três cargos vagos na classe inicial de agente fiscal do Tesouro do Estado. A Lei Complementar 13.452, de 26 de abril de 2010, prevê 170 cargos, dos quais 167 estão ocupados. “A quantidade atual de agentes fiscais supre as necessidades do Estado”, explicou Tarso Genro.

Pergunta de livre escolha do governador: “Qual a política estabelecida pelo governo sobre a utilização de softwares livres?”

http://www.governoescuta.rs.gov.br/videos/govresponde/18julho/2/0013.Governador_Responde_Julho_2011-2.ogv

O Governo do RS vem adotando um conjunto de políticas relacionadas ao software livre, o que motivou a escolha da pergunta pelo governador. “O nosso governo é adepto ao software livre, é uma política que está vinculada no programa de governo”, destacou Tarso Genro. Para o governador, a utilização destes conceitos tecnológicos é importante para a democratização não só da relação do Estado com a sociedade, mas também para que cada vez um número maior de pessoas possa ter acesso aos benefícios da internet.

No vídeo, Tarso Genro ressaltou que as grandes conquistas científicas e tecnológicas não devem estar atadas em princípios de lucratividade. “Esta revolução tem que ser socializada, aberta, gratuita e disponível”, afirmou o governador.

O Governador Responde é uma ferramenta do Gabinete Digital por meio da qual o chefe do Poder Executivo estadual responde todo mês, em vídeo, a pergunta mais votada dentre aquelas enviadas pelos cidadãos. Até o próximo dia 15 de agosto, uma nova resposta será produzida. As perguntas que já foram enviadas permanecerão no site e poderão continuar a receber votos.

Mobilize seus contatos, elabore outros questionamentos e continue fazendo campanha para as perguntas que já estão disponíveis.

Participe!

* fonte: Gabinete Digital - Governo do RS



Está disponível o release candidato 2 da suite de escritório LibreOffice 3.4.2 RC2

22 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Você pode baixar uma versão de pré-lançamento para avaliação, testes de qualidade, etc... Não recomendamos utilizar os pré-lançamentos do LibreOffice para trabalhos críticos. Para mais informações sobre o controle de qualidade, visite a   página de controle de qualidade. Veja também as notas da versão.

Libreoffice

Você pode baixar uma versão de pré-lançamento para avaliação, testes de qualidade, etc... Não recomendamos utilizar os pré-lançamentos do LibreOffice para trabalhos críticos. Para mais informações sobre o controle de qualidade, visite a   página de controle de qualidade. Veja também as notas da versão.

Se estiver interessado em versões binárias mais arrojadas de nosso atual desenvolvimento, verifique nossos builds diários - estes são ainda mais sujeitos a falhas e inadequados para trabalhos críticos,. São fornecidos por colaboradores individuais, sem qualquer controle de qualidade. Utilize-os por sua própria conta e risco.

Para baixar o LibreOffice 3.4.2 RC2, clique aqui ...

Para fazer download da versão estável, clique aqui ...

* fonte: LibreOffice



Linux Magazine lança edição especial do Portal do SPB

22 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Foi lançado durante a 12a edição do FISL, Fórum Internacional do Software Livre, em Porto Alegre a Linux Magazine Especial número 6, com o tema Portal do Software Público Brasileiro. A revista foi lançada pelo Ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

O lançamento foi coordenado pelo Gerente de Inovações Tecnológicas da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Corinto Meffe. Segundo ele, trata-se de "uma importante ferramenta para divulgar para a sociedade os esforços do governo no desenvolvimento de software a partir de investimento público".

A revista trás a análise completa de todas as ferramentas integrantes do Portal do Software Público, e diversas matérias sobre governo eletrônico, desenvolvimento de software no ambiente público, testes de qualidade e entrevistas. A edição ira chegar gratuitamente aos leitores junto com o número 82 da Linux Magazine.

A iniciativa conta também com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia através do Centro de Tecnologia da Informação, unidade pesquisa do MCT. A  instituição é líder da iniciativa 5CQualiBr e do projeto "Modelo de Referência para o Software Público", cujos resultados são apresentados na revista. O projeto da edição especial da revista é suportado pela FINEP.

Fonte: Revista Linux Magazine on-line



V ENSOL - Cooperação é a chave para o desenvolvimento

21 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://softwarelivre.org/articles/0029/5842/V_Ensol.jpeg?1296760478A abertura da quinta edição do Encontro de Software Livre da Paraíba (Ensol) promoveu o lema "liberdade ao extremo". O evento debateu a importância do espírito colaborativo e cooperativo frente ao paradigma da competição.

Na abertura do evento, realizada no final da tarde de ontem, 20 de julho, a palavra repetida por todos as autoridades foi "cooperação". De acordo com Marcos Mazoni, diretor-presidente do Serpro e coordenador do CISL, a cooperação deve ser o contraponto da competição. Ele falou por cerca de 10 minutos e iniciou uma discussão que foi fomentada pelos demais componentes da mesa.

De acordo com Mazoni, ao longo dos últimos anos, a primeira meta para a utilização de softwares de código aberto já foi atingida, que era tornar a tecnologia conhecida e reconhecida. "Deixou de ser utópico", esclareceu. Segundo ele, o momento atual é outro. "Não adianta muito mudar de tecnologia, se não mudar de filosofia. Ela tem de ser agregadora, valorizar o trabalho do outro e reconhecer o seu esforço. O mundo do software livre vive um momento crucial e precisa se firmar com a filosofia da cooperação, em contraponto à competição", disse.
A secretária de Planejamento da Prefeitura Municipal de João Pessoa, Estelizabel Bezerra, concordou: "A informática agora não é de competidores, é dos colaboradores".
O diretor de TI de Itaipu, Marcos Siríaco, direcionou sua fala aos professores. "Peço que os professores sejam educadores. São vocês que devem explicar esta filosofia aos seus alunos. É o estímulo a pensar desta forma, que fará mudanças nesta geração", apontou.
Investimento em Software Livre é questão de soberania
Siríaco ainda destacou que em 2010, no Brasil, incluindo-se a iniciativa pública e privada, gastou-se 32 bilhões com licenças e investimentos em software proprietário. "É como se todo o agronegócio do Estado do Paraná trabalhasse o ano inteiro para pagar este déficit da TI do Brasil", comparou. "É muito injusto este cenário. Esse dinheiro vai todo para fora do país", lamentou.
O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, comentou os dados apresentados. "Imaginem pegar estes R$ 32 bilhões e investir no Nordeste, que poderia sair de seu atraso secular. Software Livre, definitivamente, é questão de soberania nacional", concluiu.
Ensol termina no sábado
Também presente na mesa de abertura, o coordenador geral do evento, Rodrigo Vieira, agradeceu ao Serpro, lembrando que desde a primeira edição do Ensol, a empresa se fez presente, inclusive patrocinando quatro das edições do evento. Até sábado, o Ensol é realizado na Estação Cabo Branco, em João Pessoa. O tema deste ano é "Liberdade ao Extremo", em referência à intensificação da cultura livre e também à localização do evento, próxima à Ponta do Seixas, ponto extremo do continente americano, o local mais ao oriente que é possível se chegar em terra.
Saiba mais em www.ensol.org.br.   

 
 
 
 


10 tecnologias que vão mudar o mundo na próxima década

20 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda
Robôs substituindo pessoas, a internet ampliando sua capacidade de forma expressiva. Você sabe o que o futuro reserva?

Da mesma forma que o poder computacional aumenta exponencialmente, o mesmo acontece com as mudanças em TI. Isso quer dizer que os próximos dez anos devem ser pautados por novidades tecnológicas muito mais intensamente do que nos últimos dez anos.

Tecnologia disruptiva é, por natureza, imprevisível, mas ainda é possível identificar os trabalhos que serão desenvolvidos nos laboratórios de P&D em todo o mundo e verificar o que o futuro reserva. Esse é o trabalho em tempo integral de Dave Evans, futurista-chefe da Cisco e tecnólogo-chefe da Cisco Internet Business Solutions Group (IBSG).

Evans lista a seguir o que acredita ser as dez principais tendências que vão mudar o mundo em dez anos. 

1. A internet das coisas

A Cisco IBSG prevê que o número de coisas conectadas à internet vai chegar a 50 bilhões até 2020, o que equivale a mais de seis dispositivos para cada pessoa na Terra. Muitos de nós já temos três ou mais dispositivos, como PCs, smartphones, tablets e televisão, conectados em tempo integral na web. O próximo passo são as redes de sensores, que "coletam, transmitem, analisam e distribuem dados em grande escala", diz Evans.

Esses sensores, baseados em padrões como Zigbee, 6LoWPAN e Z-wave, já estão sendo usados de maneira surpreendente. O Zigbee está sendo incorporado em aparelhos inteligentes. Já o 6LoWPAN é usado pelo cientista norte-americano Vint Cerf para o sistema de monitoramento de clima de adega. O Z-Wave é a base para o serviço de automação inteligente residencial da Verizon. 

Mais formas criativas estão surgindo. A Sparked, uma startup holandesa, está implantando sensores nas orelhas de gados para monitorar a saúde do animal e sua localização no pasto. Sensores estão sendo incorporados em sapatos, na medicina, nos inaladores para asma e em dispositivos médicos. Há até uma árvore na Suécia com sensores que twittam (@connectedtree ou # ectree) sobre seu humor e pensamentos, com um pouco de ajuda de tradução de um motor de interpretação desenvolvido pela Ericsson.

2. Não mais grandes dados, mas um zettaflood

Cerca de 5 exabytes de informações únicas foram criadas em 2008 – o equivalente a 1 bilhão de DVDs. Três anos depois estamos criando 1,2 de zettabytes, sendo um zettabyte igual a 1.024 exabytes. "É o mesmo volume de dados que cada pessoa na Terra geraria ao twittar por cem anos, ou assistir durante 125 milhões de anos o seu programa de TV favorito de uma hora", diz Evans. Nosso amor pelo vídeo de alta definição é responsável por grande parte desse aumento. A Cisco acredita que 91% dos dados na internet em 2015 serão compostos por vídeos.

Grande parte do foco de desenvolvimento da Cisco prega o chamado "zettaflood”, que  exigirá que as redes sejam aprimoradas para que possam mover mais dados, e não deixar que o amor por vídeos acabe.

3. Tudo na nuvem

Grande parte do zettaflood de dados será armazenado na cloud. Certamente, a maior parte dele já está sendo acessada pela nuvem. Em 2020, um terço de todos os dados estará ou passará para a nuvem, prevê a Cisco. A receita dos serviços globais em cloud vai saltar 20% ao ano, e os gastos com TI com inovação e computação em nuvem podem chegar a 1 trilhão de dólares em 2014. 

Isso é suficiente para criar o próximo Google. "A nuvem já é poderosa o suficiente para nos ajudar a nos comunicar em tempo real por meio de tradução de idiomas, a aumentar nosso conhecimento de acesso a supercomputadores poderosos, como o Wolfram Alpha, e a melhorar a nossa saúde, utilizando plataformas de computação, como o novo Watson da IBM", diz Evans. "Somos capazes de nos comunicar de forma muito mais rica."

Além do vídeo, o poder de computação da nuvem entregue em dispositivos muda a nossa capacidade de nos comunicarmos em tempo real. Agora, a busca por voz em um telefone Android envia a consulta para a nuvem do Google para decifrar e retornar com os resultados buscados. "Vamos ver mais inteligência construída em comunicação, como informações contextuais e baseadas em localização".

Com um dispositivo sempre conectado, a rede pode passar informações de presença, identificar se uma pessoa está dormindo, e enviar uma chamada para a caixa postal. Ou saber ainda se a pessoa está viajando a 60 quilômetros por hora em um carro, e que aquele não é o momento adequado para realizar uma chamada em vídeo. É claro que, até lá, provavelmente vamos todos usar carros sem condutores e sermos livres para conversar enquanto nossos automóveis nos levam por aí.

4. A próxima internet

Para exemplificar como a rede melhorou nos últimos anos, ele cita a internet de sua casa. Segundo ele, o desempenho da sua rede aumentou 170 mil vezes desde 1990, quando ele tinha apenas uma conexão telnet.

Hoje, Evans tem uma conexão constante e mais de 50Mbps de largura de banda, o suficiente para realizar telepresença, streaming de filmes e jogos on-line ao mesmo tempo. Nos próximos dez anos, Evans espera que a velocidade da web em sua casa aumente 3 milhões de vezes.

Enquanto a maioria da indústria está focada em 40G e 100G, as novas formas de rede também estão sendo criadas. O cientista Cerf avalia os novos protocolos necessários para construir uma rede interplanetária, que pode enviar dados em grandes distâncias, sem esbarrar na latência.

Evans observa que redes multiterabit que usam lasers estão sendo exploradas. Um trabalho precoce nesse sentido está acontecendo em um conceito chamado "networking quantum", baseado na física quântica. Ele envolve "emaranhamento quântico", em que duas partículas estão entrelaçadas e que podem ser separados por qualquer distância. Quando uma é alterada, a outra também é. 

5. O mundo ficou menor

Com conectividade o tempo todo, as redes sociais, por exemplo, têm o poder de mudar culturas, assim como vimos na Revolução Egípcia. Influências sociais continuarão a se mover rapidamente entre as culturas.

Um mundo com pouca distância, situação gerada pela expansão do virtual, também significa disseminação mais rápida da informação. "Tweets de pessoas no Japão durante o recente terremoto foram enviados para os seguidores antes mesmo de o Serviço Geológico dos EUA emitir o alerta de tsunami oficial para o Alasca, Washington, Oregon e Califórnia", diz Evans.

A captura, a difusão e o consumo de eventos estão mudando de "tempo recente" para "tempo real". Este, por sua vez, vai ter mais influência entre as culturas.

6. Energia solar a caminho

A população humana também continua a crescer e Evans estima que uma cidade com 1 milhão de habitantes será construída a cada mês ao longo das próximas duas décadas. Métodos mais eficientes de energia dessas cidades serão uma necessidade.

“A energia solar sozinha pode satisfazer nossas demandas de energia. De fato, para atender à demanda global de hoje, 25 locais de transmissão de energia solar serão necessários. Cada uma composta por 36 quilômetros quadrados. Compare esse volume com 170 mil quilômetros quadrados de área de floresta destruída por ano", diz Evans. Um centro solar poderia ser concluído em apenas três anos.

Tecnologias para tornar esse cenário possível estão a caminho. Em junho, pesquisadores do Oregon State University mostraram um método de baixo impacto para "imprimir" células solares usando uma impressora a jato de tinta.

7. Pense em um alimento e faça-o na hora

Mais itens vão passar do físico para o virtual. Hoje, nós fazemos o download de livros e filmes, em vez de comprar livros e DVDs. A tecnologia chamada impressão 3D nos permitirá instantaneamente fabricar qualquer item físico, de alimentos a bicicletas, usando a tecnologia da impressora. 

"Impressão em 3D é o processo de juntar materiais para desenvolver objetos no modelo 3D, geralmente camada sobre camada", diz Evans.

Atualmente, alguns itens, como brinquedos, estão sendo impressos e como o processo é realizado em camadas de materiais, eles são impressos totalmente montados e decorados.

“Em um futuro não muito distante, seremos capazes de imprimir órgãos humanos", aposta Evans. Em março, o Dr. Anthony Atala do Wake Forest Institute para Medicina Regenerativa imprimiu o molde de um rim. Não era composto por tecido vivo, mas o conceito funcionou bem.

8. Outra árvore genealógica

Humanos virtuais, tanto robôs como avatares on-line serão adicionado à força de trabalho. "Personagens animados podem reconhecer a fala e converter texto em fala", diz Evans.

Em 2020, os robôs serão fisicamente superiores aos seres humanos. O projeto da IBM chamado Blue Brain, por exemplo, tem a missão de, em dez anos, criar um cérebro humano, utilizando hardware e software. 

Em 2025, a população de robôs vai superar o número de seres humanos no mundo. Em 2032, os robôs serão mentalmente superiores aos humanos. E até 2035, os robôs poderão nos substituir completamente na força de trabalho.

Além disso, veremos a criação de avatares sofisticados. Evans aponta o Watson da IBM como um modelo para o ser humano virtual. O Watson foi capaz de responder a uma pergunta retornando um único resultado preciso. Um paciente pode usar uma máquina virtual em vez de uma pesquisa de WebMD. Ou hospitais podem, por exemplo, aumentar o atendimento ao paciente com máquinas virtuais.

Realidade aumentada e baseada em gestos entrará nas salas de aula, em instalações médicas e nas comunicações. "Hoje, a visão de máquina permite aos usuários tirar uma foto de um puzzle Sudoku com seu smartphone e tê-lo resolvido quase que imediatamente", observa ele.

9. Sim, há uma cura

“Nada de usar marca-passos", diz Evans. Nos próximos dez anos, ele acredita que as tecnologias médicas vão crescer de forma muito mais sofisticada à medida que o poder da computação se torna disponível em formas menores. Dispositivos como nanobots e a capacidade de crescer órgãos para reposição de nossos próprios tecidos será comum. "A integração final pode ser interfaces cérebro-máquina que, eventualmente, permite que as pessoas com lesões na medula espinhal, por exemplo, possam ter vidas normais", diz ele.

Hoje, já temos cadeiras de rodas controladas por meio da mente, um software da Intel pode escanear o cérebro e dizer o que você está pensando e ferramentas que podem realmente prever o que vai fazer antes de fazê-la.

10. Seres humanos ou Borgs?

De acordo com Stephen Hawking, "os seres humanos estão entrando em uma fase de evolução”. "Se pensarmos na tecnologia médica em um próximo nível, pessoas saudáveis poderão criar ferramentas para si”. Evans dá alguns exemplos:

Julho de 2009 - Pesquisadores espanhóis descobrem substância para a memória fotográfica.

Outubro de 2009 - Cientistas italianos e suecos desenvolvem a primeira mão artificial com sentimento.

Março 2010 - Implantes na retina restauram a visão de pacientes cegos.

Junho 2011 - Texas Heart Institute desenvolve um coração sem pulso, sem obstruções e sem avarias.

Enquanto o uso precoce dessas tecnologias é direcionado para reparar o tecido saudável ou corrigir as consequências de uma lesão cerebral, melhorias de aparência também estarão disponíveis a todos.

Em última análise, os seres humanos usam tanta tecnologia para consertar, melhorar ou aprimorar nossos corpos, que se tornarão os Borgs, fictícia raça alienígena de ciborgues no universo de Jornada nas Estrelas. Futurista, Ray Kurzweil é pioneiro em relação a essa ideia, um conceito que ele chama de singularidade, o ponto em que homem e máquina se fundem e se tornam uma nova espécie. 

Kurzweil acredita que isso vai acontecer por volta de 2054. Evans não está convencido sobre a singularidade, particularmente em relação à visão de Kurzweil, mas concorda que estamos caminhando para que isso aconteça.

Por Julie Bort, da Network World/US
20 de julho de 2011 - 07h30

* fonte: Computerworld



Tags deste artigo: firefox