Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

IV Fórum de Tecnologia em Software Livre, 03 a 55 NOV 2011, Curitiba - PR

14 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados, empresa do Ministério da Fazenda, com 45 anos de experiência desenvolvendo e administrando serviços de tecnologia da Informação e Comunicação para o setor público, tem investido estrategicamente em Software Livre buscando a otimização dos recursos públicos, incentivando e estimulando o compartilhamento de conhecimento e a cooperação entre as esferas federais, estaduais e municipais, iniciativas do segmento acadêmico e sociedade.

Início
De 3 a 5 de novembro de 2011 em Curitiba

Nesse intuito, promoveu durante os últimos três anos o Fórum de Tecnologia em Software Livre – FTSL - regional Curitiba, onde são ofertadas palestras, minicursos, oficinas e workshops relativos ao Software Livre para empresas públicas e privadas, profissionais liberais, estudantes e comunidade em geral.

No último fórum foi iniciada uma discussão entre a sociedade e o SERPRO regional Curitiba sobre a criação de um evento de maior porte na cidade para o ano de 2011, em outro local que não as dependências do SERPRO.

Motivos para o direcionamento:

  • Limitações de espaço físico e aumento gradual do público interessado;
  • Dificuldades de negociação de parcerias e patrocínios devido as determinações da legislação Federal;
  • Carência de eventos de software livre de maior porte na cidade de Curitiba;
  • Mudança do modelo de eventos direcionados exclusivamente para a comunidade de software livre e desenvolvedores;
  • Carência no mercado de informações sobre profissionais e empresas prestadores de serviços em software livre.

Objetivo do evento:

  • Fomentar a geração de negócios em software livre;
  • Demonstrar a qualidade e o crescimento regional na área tecnológica;
  • Incluir a cidade de Curitiba no calendário nacional de eventos de Software Livre;
  • Promover e estimular o compartilhamento de experiências entre comunidades de software livre e empresariado visando maior integração entre as partes;
  • Promover o uso e o desenvolvimento de software livre e de código aberto como alternativa econômica a pequenos, médias e grandes empresas, sobre as tradicionais soluções proprietárias de custos de licença elevados;
  • Estimular o desenvolvimento de tecnologia local com o uso do software livre, seja no campo empresarial, junto a administração publica ou ainda no âmbito acadêmico e comunitário;
  • Oferecer aos participantes um momento de socialização envolvendo a temática do evento.

Mais informações no site do IV FTSL:

Início
De 3 a 5 de novembro de 2011 em Curitiba


Desenvolvimento do CoGrOO - Corretor Gramatical

14 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O CoGrOO é um corretor gramatical livre para a língua portuguesa que pode ser acoplado ao LibreOffice. Hoje acumula mais de 135 mil downloads<http://sourceforge.net/projects/cogroo/files/stats/timeline?dates=2005-07-04+to+2011-07-11> contando apenas os downloads diretos da página oficial.

O projeto sempre contou com uma incrível comunidade de usuários, tanto pelas listas do BrOffice, como pelas listas específicas do projeto. No entanto o projeto é muito carente de desenvolvedores.
http://1.bp.blogspot.com/_rwM53ZN38-E/TIGHzbqMbdI/AAAAAAAACZ4/Nji-K6GN2zY/s1600/cogroo_comunidade.png
Gostaria de convidar todos a conhecerem melhor o projeto. Existem muitos recursos online para entender seu funcionamento. Um interessante para conhecer sua capacidade é o portal CoGrOO Comunidade. Visite a página http://ccsl.ime.usp.br/cogroo/comunidade/grammar e experimente algumas frases. Clique no + verde para ver a análise feita pelo Cogroo, depois em exibir agrupamentos sintáticos. Ainda no CoGrOO Comunidade visite as regras atuais na página http://ccsl.ime.usp.br/cogroo/comunidade/rules

Para quem estiver interessado em conhecer o código fonte e contribuir com patches, um excelente recurso é a nossa página Wiki com tutoriais para desenvolvedores: http://ccsl.ime.usp.br/redmine/projects/cogroo/wiki/How_to

Venham participar da lista do CoGrOO: https://lists.sourceforge.net/lists/listinfo/cogroo-pt-dev. Entre e se apresente.

Outros links:
Página do CoGrOO: http://cogroo.sourceforge.net/
Download: http://cogroo.sourceforge.net/
CoGrOO Comunidade: http://ccsl.ime.usp.br/cogroo/comunidade/
Fontes do CoGrOO: https://cogroo.svn.sourceforge.net/svnroot/cogroo/cogroo3/trunk/

William Colen



O Governo do Paraná é um dos principais usuários e desenvolvedores de software livre de todo o país.

13 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A opção pelos programas de código aberto faz parte das políticas estratégicas de governo. Sua execução é de responsabilidade da CELEPAR.

A política de software livre é responsável por uma série de projetos inovadores. Do banco de dados à interface gráfica, o software livre tem propiciado o desenvolvimento de programas de computador que tem auxiliado as secretarias e demais órgãos na execução de programas nas mais diversas áreas.

http://www.pr.gov.br/logos/brasao_192x80.png

A característica mais importante do software livre é a liberdade de uso, cópia, modificações e redistribuição. Esta liberdade é conferida pelos autores do programa e é efetivada através da distribuição do código fonte dos programas, o que os transforma em bens públicos, disponíveis para utilização por toda a comunidade e da maneira que seja mais conveniente a cada indivíduo, grupo, empresa ou corporação.

A liberdade para usar, copiar, modificar e redistribuir confere ao software livre uma série enorme de vantagens sobre o software comercial. Este modo de produção tem resultado em produtos de excelente qualidade e grande penetração em alguns setores do mercado mundial de software. A mais importante delas é a disponibilidade do código fonte. Isto evita que os usuários se tornem reféns de tecnologias proprietárias. Além desta, as vantagens técnicas são também consideráveis. A comunidade de desenvolvimento de software livre está espalhada pelo mundo todo e seus participantes cooperam nos projetos através da Internet.

Com esta ordem de grandeza e produtos de excelente qualidade, o modo de produção de software livre é um novo e fundamental componente da economia moderna.

Sua diferença em relação ao software proprietário é que este último é produzido com a finalidade de obtenção de lucros e, portanto, está sujeito há pelo menos três tipos de pressões de mercado:

- [1] inclusão de funcionalidades ‘imprescindíveis’ (e freqüentemente inúteis),

- [2] obsolescência programada para possibilitar a venda de novas versões, e

- [3] prazos de desenvolvimento e testes muito curtos para atender às pressões já mencionadas. Na tentativa de atender ao mercado, e especialmente ao departamento de marketing, produtos importantes de software são vendidos antes de terem passado por testes suficientes, e estarem portanto estáveis e livres da maioria dos erros de programação.

No caso de software livre, como não existe uma entidade que detenha os direitos de propriedade sobre o código fonte dos programas, não existe a possibilidade de que um determinado ‘produto’ seja descontinuado segundo a conveniência comercial do fornecedor do sistema.

Da mesma forma, mesmo que alguma das empresas que distribuem software livre seja extinta, existem várias outras provendo serviços e produtos similares que poderiam facilmente substituir àquela que desapareceu. Além disso, estando o código fonte disponível na Internet, se houver um número razoável de usuários de determinado aplicativo e/ou sistema, a demanda por suporte gerada pelos usuários tem se mostrado suficiente para que suporte e manutenção sejam oferecidos por algum grupo de programadores através da Internet. Se a necessidade o justificar, sempre é possível contratar programadores para efetuar manutenção nos programas pois seu código fonte está disponível. Esta opção simplesmente inexiste com software proprietário.

Quando se considera a dificuldade de obtenção de software confiável no modo tradicional de produção empregado na indústria e que os sistemas empregados nas sociedades modernas são cada vez mais complexos, sofisticados e imprescindíveis, a existência de um modo alternativo, que produz sistemas de qualidade freqüentemente superior àquela do modo tradicional, adquire importância estratégica para o país.

Segundo Roberto A. Hexsel, professor de informática da Universidade Federal do Paraná (UFPR),  a qualidade técnica do sistema GNU/Linux advém do modo de produção que envolve grandes números de desenvolvedores voluntários. É esta qualidade técnica, segundo ele, que atrai novos usuários, vários dos quais passam a agir como testadores e desenvolvedores. "Este ciclo virtuoso deve-se à existência de massa crítica, em nível mundial, tanto de usuários como de desenvolvedores", destaca.

REDUÇÃO DE CUSTOS - Outra característica dos softwares de código aberto é que os benefícios econômicos são muito maiores e mais importantes que a simples economia com o licenciamento de software. A robustez e confiabilidade do software livre provocam reduções significativas de custos operacionais.

A disponibilidade do código fonte permite que os sistemas sejam adaptados às condições e necessidades dos usuários. Estas adaptações podem ser efetuadas por profissionais de qualquer lugar do planeta, que passam a ter oportunidades de desenvolvimento muito distintas daquelas vigentes num mercado monopolístico.

Além disso, a possibilidade de consulta ao código dos programas permite condições de estudo e aprendizado que são absolutamente inviáveis com o software comercial.

Ciência - O código de um programa distribuído como software livre é um bem público à disposição de toda a sociedade. Neste sentido, o software assemelha-se ao conhecimento científico, que uma vez difundido pode ser livremente utilizado por todos, possibilitando o próprio avanço da ciência. Portanto, os benefícios sociais da publicação e do uso de software livre são a liberdade na utilização das ferramentas e especialmente na disponibilidade do conhecimento envolvido na produção e na evolução das soluções desenvolvidas.

Outro benefício social é a transparência na codificação das informações tratadas pelos programas. Os formatos empregados para armazenar e tratar as informações são abertos porque o código fonte dos programas pode ser livremente examinado. No serviço público isto ganha importância fundamental, pois devido às características desses serviços não é recomendável que seus dados sejam mantidos em formatos proprietários. O mesmo raciocínio se aplica aos protocolos de comunicação empregados para a transferência de informações entre computadores ou sistemas.

LICENÇA - Existem vários estilos de licenças para a distribuição de software livre que se distinguem pelo grau de liberdade outorgado ao usuário. No caso do Governo do Paraná, os sistemas de titularidade dos órgãos da administração direta, indireta, autarquias e fundações estão disponíveis para uso da sociedade. Esta liberalidade foi determinada pela edição de uma Licença Pública Geral (GPL) baseada na legislação internacional de copyright, o que garante cobertura legal para o software licenciado.

DESENVOLVIMENTO - Em termos gerais, o desenvolvimento do software livre se baseia na cultura de engenharia praticada pela comunidade que desenvolve os protocolos empregados na Internet. Isto ocorre com a publicação de propostas de protocolos ou serviços e na avaliação destas propostas em listas de discussão via correio eletrônico.

Geralmente as propostas são acompanhadas de uma implementação de referência, cujo código fonte é disponibilizado a todos os interessados. De posse da especificação dos protocolos e de código que os implementa, a comunidade se lança à avaliaçâo, correção de eventuais erros e discussão e aperfeiçoamento da proposta ou  da implementação. Após o período de discussão aberta ao público, os protocolos são avaliados e sacramentados na Internet Engineering Task Force (IETF), que é a entidade responsável pela formalização e publicação dos protocolos. A disponibilidade das propostas de protocolos, através dos Request For Comments (RFCs) permite a discussão e a depuração dos protocolos por uma grande comunidade de especialistas.

Este processo tem produzido protocolos extremamente confiáveis, robustos e escaláveis, especialmente quando se considera que a Internet é heterogênea, multi-plataforma, geograficamente distribuída e que opera há mais de trinta anos mantendo compatibilidade entre várias gerações de tecnologia.

Software Público Livre - o jeito paranaense de ser latino

Esta página tem o objetivo de servir de repositório dos sistemas desenvolvidos em plataforma livre pelo Governo do Paraná com base no Decreto-Lei 5111/2005.

Os sistemas disponibilizados podem ser baixados e utilizados por qualquer interessado, mediante o preenchimento do cadastro.

* fonte: Celepar



Governo brasileiro vai colaborar com as comunidades de suítes livres

5 de Julho de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O Comitê de Implementação de Software Livre do Governo Federal (CISL) assumiu, durante o 12o. Fórum Internacional de Software Livre, o compromisso de formar um grupo para colaborar com o desenvolvimento das plataformas de suítes de escritório em software livre mantidas pelas Comunidades The Document Foundation (LibreOffice) e Apache Foundation (OpenOffice.org). O compromisso foi assinado por Marcos Mazoni (Coordenador do Comitê de Implementação de Software Livre), Sady Jacques (Embaixador da Associação SoftwareLivre.org), Jomar Silva (Membro da Comunidade Apache OpenOffice.org) e Olivier Hallot (Membro da Comunidade LibreOffice).

No Protocolo de Intenção, o CISL reconhece a importância do padrão ODF para garantir a interoperabilidade dos órgãos do governo e reconhece, também, que o Brasil é um dos maiores usuários desses softwares em todo o mundo. Agora, o o governo brasileiro se compromete a contribuir, também, para a manutenção e o desenvolvimento dos softwares -- que além de serem fundamentais para garantir a interoperabilidade, proporcionam economia de milhões de reis em licenças todos os anos.

Na prática, o Serpro vai liberar imediatamente duas pessoas para trabalhar no desenvolvimento das suítes, afirma Marcos Mazoni,  que além de ser coordenador do Cisl preside a empresa. De acordo com o próprio Mazoni, a expectativa é de que outros órgãos do governo federal, como a Caixa Econômica, o Banco do Brasil e a Dataprev, assim como as universidades federais, façam o mesmo.

Jomar Silva, da comunidade Apache, comemora o compromisso com o desenvolvimento dos softwares. "Até então isso era realizado através de pequenas contribuições junto às comunidades (e não com código fonte aos projetos). É uma mudança de paradigma importante", afirma ele.

Veja abaixo o texto do Protocolo de Intenção:

Protocolo de Intenção

O CISL – Comitê de Implementação de Software Livre do Governo Federal, sob coordenação do SERPRO com a participação de diversos órgãos da Administração Direta e Indireta, responsável por coordenar e articular o planejamento de projetos e ações para a implementação de Software Livre no âmbito do Governo Federal Brasileiro; dispõe sobre a colaboração para com os Projetos dos Softwares Livres LibreOffice, mantido pela The Document Foundation, e OpenOffice, mantido pela Apache Foundation:

Considerando que:
1. O padrão ODF é importante para o armazenamento de informações governamentais, como forma de se garantir interoperabilidade entre os órgãos de governo, recomendada na e-Ping, e continuidade das políticas de dados abertos;

2. O Brasil tem uma das maiores bases de usuários destes softwares no cenário internacional. A instituição do grupo de colaboração visa efetivar a contribuição do país nos projetos internacionais;

3. A disponibilidade de suíte de escritório em Software Livre é fundamental à execução da estratégia de utilização destas tecnologias no Governo Federal, promovendo a inovação e independência em TIC do Brasil, a democratização do acesso à tecnologia e aos conhecimentos técnicos necessários ao desenvolvimento do país;

4. Além disto, entendemos que a participação da Academia e dos Governos estaduais e municipais são de suma importância na consolidação das políticas públicas e no desenvolvimento tecnológico brasileiro. Desta forma, convidamos as diversas Universidades Brasileiras e demais Governos a participar desta iniciativa.

Os representantes do CISL reafirmam seu compromisso de uso do padrão ODF, efetivado na assinatura do Protocolo Brasília e propõem a formação de grupo de colaboração para desenvolvimento e incentivo à formação de plataforma de suíte de escritório em Software Livre mantidas pelas Comunidades The Document Foundation (LibreOffice) e Apache Foundation (OpenOffice.org).

Porto Alegre, 01 de Julho de 2011.

* fonte: A Rede



Tags deste artigo: firefox