Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Carta à Excelentíssima Presidenta Dilma Roussef

29 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Carta à Excelentíssima Presidenta Dilma Roussef

Excelentíssima Presidenta Dilma Rousseff,

Esta carta é uma manifestação de pessoas e organizações da sociedade civil e busca expressar nosso extremo desconforto com as mudanças ocorridas no campo das políticas culturais, zerando oito anos de acúmulo de discussões e avanços que deram visibilidade e interlocução a um Ministério até então subalterno. Frustrando aqueles que viam no simbolismo da nomeação da primeira mulher Ministra da Cultura do Brasil a confirmação de uma vitória, essa gestão rapidamente se encarregou de desconstruir não só as conquistas da gestão anterior, mas principalmente o inédito, amplo e produtivo ambiente de debate que havia se estabelecido.

Os signatários desta carta acreditam na continuidade e no aprofundamento das políticas bem-sucedidas do governo Lula. Essas políticas estão sintetizadas no Plano Nacional de Cultura, fruto de extenso processo de consultas públicas que foi transformado em lei sancionada pelo presidente, e que agora está sendo ignorado pela ministra. Afirmamos que, se a gestão anterior teve acertos, foi por procurar aproximar o Ministério das forças vivas da cultura, compreendendo que há um novo protagonismo por parte de indivíduos, grupos e populações até então tidos como “periféricos”, entendendo as extraordinárias possibilidades da Cultura Digital. Essa não é apenas uma discussão sobre ferramental tecnológico e jurídico, mas sobre todo um novo contexto criativo e cultural, pois essas tecnologias têm sido apropriadas e reinventadas em alguma medida por esses novos atores. É nesse território fundamental, da inserção da Cultura Digital no centro das discussões de políticas culturais do Ministério e da busca da capilaridade de programas como o Cultura Viva, com os Pontos de Cultura, que a Ministra sinalizou firmemente um retrocesso.

Ao bloquear o processo de reforma da lei dos Direitos Autorais, ignorando as manifestações recebidas durante 6 anos de debates, 150 reuniões realizadas em todo o país, 9 seminários nacionais e internacionais, 75 dias de consulta pública através da internet que receberam 7863 contribuições, a Ministra afronta todo um enorme esforço democrático de compreensão e elaboração. Se há uma explicação constrangedora nessa urgência em barrar uma dinâmica política tão saudável, é a de vir em socorro a instituições ameaçadas em seus privilégios, como o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) e as associações que o compõem, que apoiaram de forma explícita e decidida as políticas culturais e o candidato derrotado no pleito eleitoral presidencial.

Mas esse “socorro”, como dissemos, se dá ao arrepio da Lei 12.343 de 2 de dezembro de 2010, que aprovou o PNC, estabelecendo claramente a obrigação de reforma da Lei dos Direitos Autorais (conforme os itens 1.9.1 e 1.9.2 que determinam “criar instituição especificamente voltada à promoção e regulação de direitos autorais e suas atividades de arrecadação e distribuição” e “revisar a legislação  brasileira sobre direitos autorais, com vistas em  equilibrar os interesses dos  criadores, investidores e usuários,  estabelecendo relações contratuais mais  justas e critérios mais  transparentes de arrecadação e distribuição”). Ao afirmar que o texto da lei é “ditatorial” e que a proposta construída durante o governo Lula é “controversa” e não atende os “interesses dos autores”, a Ministra deliberadamente mistura o interesse dos criadores com o dos intermediários, e contrabandeia para o seio do governo Dilma precisamente as posições derrotadas com a eleição da Presidenta.

A questão da retirada da licença Creative Commons do portal do MinC também merece ser mencionada, por seu simbolismo. O Ministério da Cultura do governo Lula foi pioneiro em reconhecer que as leis de direito de autor estão em descompasso com as práticas desta época, e que seria imperioso aprimorá-las em favor dos criadores e do amplo acesso à cultura. Esse avanço foi expresso no PNC no item 1.9.13, que prevê  ”incentivar e fomentar o desenvolvimento de produtos e conteúdos culturais intensivos em conhecimento e tecnologia, em especial sob regimes flexíveis de propriedade intelectual”. Ao contrário do que tem dito a ministra, as licenças CC e similares visam regular a forma de remuneração do artista, e não impedi-la. Elas buscam ampliar o poder do autor em relação à sua obra e adaptar-se às novas formas de produção, distribuição e remuneração, aos novos modelos de negócio que essas tecnologias possibilitam.

Assim, entendemos que as iniciativas da atual gestão do Ministério da Cultura não são fiéis nem à sua campanha presidencial, nem ao Plano Nacional de Cultura e nem à discussão acumulada, representando, na melhor das hipóteses, um voluntarismo desinformado e desastroso, e na pior delas um retrocesso deliberado. Apoiamos a Presidenta Dilma Rousseff em sua manifestada intenção de continuar valorizando e promovendo a cultura brasileira, fortalecendo uma liderança global em discussões onde a nossa postura inovadora vinha se destacando dos modelos conservadores pregados pela indústria cultural hegemônica dos Estados Unidos e da Europa. Para isso é necessário que o Ministério da Cultura se coadune à perspectiva do governo Dilma, de compreender, aprofundar e ampliar as conquistas das políticas culturais do governo Lula.

Mobiliza Cultura utiliza WordPress. Creative Commons; 2011

* fonte: www.mobilizacultura.org



Foi disponibilizado o LibreOffice 3.4 Beta 3

29 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A The Document Foundation sente-se feliz em anunciar o LibreOffice 3.4 beta 3. A versão 3.4 é o segundo lançamento importante do projeto LibreOffice e vem com várias novas funcionalidades. Lembre-se que o LibreOffice 3.4 Beta3 ainda não está pronto para uso em produção, você deve continuar a usar LibreOffice 3.3.2.

Libreoffice

A versão beta está disponível para Windows, Linux e Mac OS X da nossa QA constrói na página de download, clique aqui

Se você encontrar erros, por favor comunique-o Bugzilla FreeDesktop, clique aqui ...

Para outras formas de se envolver com projeto LibreOffice - por exemplo, pode contribuir com o código, clique aqui ...

LibreOffice tradução para seu idioma, clique aqui ...

ou ajudar com o financiamento da nossa fundação, clique aqui ...

A lista de problemas conhecidos com 3.4 Beta 3 está disponível no nosso wiki, clique aqui ...

Por favor, procure a lista de mudanças contra LibreOffice 3.4 Beta 2 clique aqui ...

Vamos fechar novamente com um muito obrigado a todos vocês que contribuíram para o projeto LibreOffice - esta libertação não teria sido possível sem a você.

O Comité de Direcção da Fundação Documento



Firefox 4 atingiu 100 milhões de downloads

26 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O navegador Firefox 4 atingiu 100 milhões de downloads no último final de semana, um mês depois de ter sido lançado pela Mozilla. No dia de seu lançamento oficial, em 22 de março, o browser alcançou a marca de 1 milhão de downloads em três horas.

Firefox 4 atinge 100 milhões de download em um mês (Foto: Reprodução)

Site oficial da Mozilla mostra a contagem de downloads do Firefox 4 (Foto: Reprodução)

O lançamento do navegador aconteceu quase oito meses depois de a primeira versão beta do Firefox 4 ter sido disponibilizada. Uma semana antes, a Microsoft havia anunciado o download do seu novo navegador Windows Internet Explorer 9 em 40 idiomas.

Firefox4

Conforme o site TechCrunch, o Firefox 4 alcançou 7,94% do mercado mundial de navegadores, segundo pesquisa da StatCounter. Já o Internet Explorer 8 tem 29,99% de participação, seguido pelo Firefox 3.6, com 24,43%, e pelo Chrome 10, com 15,35%.



Sony anuncia dois tablets com sistema Android e certificado PlayStation

26 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Em evento promovido no Japão, nesta terça-feira (26), a Sony apresentou dois tablets com sistema Android 3.0 (Honeycomb) e certificado PlayStation (assim como o Sony Xperia Play). O Sony S1 e S2 são seus respectivos nomes, sendo que o segundo possui duas telas com tecnologia touch, como adiantamos em fevereiro.

Sony S1 e S2 (Foto: Divulgação)Sony S1 e S2 (Foto: Divulgação)

O Sony S1 é focado no consumo de entretenimento, por isso ele tem tela de 9.4 polegadas e integração com a rede Qriocity, da própria Sony. Ele ainda possui processador Tegra 2, da Nvidia, função "Quick and Smooth", câmera frontal e traseira e uma integração via infravermelho com diversos aparelhos da empresa japonesa, o que permite transformar o tablet em um grande controle remoto, como visto nos filmes futuristas.

Sony S2 fechado (Foto: Divulgação)Sony S2 fechado (Foto: Divulgação)

Já o segundo modelo, o S2, possui duas telas de 5,5 polegadas cada uma com resolução de 1.024 x 480, em um sistema "clamshell". Claro, como não poderia faltar, ele também possui uma câmera. Como você pode ver na foto acima, o design é bem diferente do que estamos acostumados a ver por aí. Com acabamento que dá um to sofisticado, o S2 se abre em duas telas como um DS, mas possui poder de processamento similar aos principais tablets do mercado.

mbos os modelos possuem o tal certificado PlayStation, que permite integração com suas respectivas redes e rodar jogos menos exigentes da Sony, como os produzidos na era PlayStation 1. A dupla possui também conectividade WiFi e 3G/4G. Logo abaixo você pode conferir o vídeo oficial de apresentação destes produtos:

http://youtu.be/VLRd3J1JunA

Pelos formatos, podemos apostar que o S1 será focado mesmo no consumo dos vídeos da rede Qriocity (não disponível no Brasil), enquanto o S2 parece mais agradável para jogar games, pois além de ter uma "pegada" melhor, pode se abrir um mundo de possibilidade com jogos que podem usar as duas telas.

Resta agora aos fãs esperarem para saber quais os jogos estarão disponíveis para esta plataforma, e se ele será realmente competitivo neste difícil mercado de tablets. Entretanto, todos sabemos que a Sony não entra em uma briga para perder. Correto?

* Veja mais detalhes aqui ....

Via: Engadget

* fonte: TechTudo



Ministério das Comunicações cria secretaria de Inclusão Digital e a titular será a Lygia

25 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Lygia Pupatto, do PT do Paraná, será a titular da secretaria. Pasta terá dois departamentos: Articulação e Formação e Infraestrutura.

O Ministério das Comunicações anunciou nesta quarta-feira (20) a criação de uma secretaria exclusiva para a inclusão digital. Conforme o comunicado, a nova secretaria ficará responsável por coordenar todos os projetos de inclusão digital do governo da presidente Dilma Rousseff, como os telecentros comunitários, em sintonia com o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRkE6pdtKvrx7jjVDRVL-Fi6_kODnaCsvI8p3hnUUHr6xq0EOehiw

A secretaria de Inclusão Digital será dividida em dois departamentos: Articulação e Formação e Infraestrutura, que criará um grupo de trabalho específico para traçar um projeto de expansão da internet para a zona rural.

A titular da secretaria será Lygia Pupatto, do PT do Paraná. A nova secretaria foi publicada na edição desta quarta-feira (20) do Diário Oficial da União. Porém, o nome de Lygia como titular ainda não foi publicado.

* fonte: G1 Globo



a TDF lança o Beta2 do LibreOffice 3.4

23 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda
A The Document Foundation anuncia o segundo pacote beta do LibreOffice 3.4. A versão 3.4 será o segundo release importante do projeto LibreOffice, e virá com muitos novos recursos. Note que o LibreOffice 3.4 Beta2 ainda não está pronto para utilização em produção, e recomendamos utilizar o 3.3.2 para esta finalidade.
http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTFa-ztjz2vjqu8lPpN-LI69NI40JcqDGCbbQQ73m4pwnSYOQ37

O release beta está disponível para Windows, Linux e Mac OS X a partir de nosso servidor de teste em

http://www.libreoffice.org/download/pre-releases/

Ao encontrar algum bug, relate-o no FreeDesktop Bugzilla:

https://bugs.freedesktop.org

Para contribuir e se envolver com esse projeto e oferecer melhorias no código:

https://www.libreoffice.org/get-involved/developers/

Ou para nos ajudar com fundos e doações

http://challenge.documentfoundation.org/

Uma lista de problemas conhecidos pode ser vista em nosso wiki:

http://wiki.documentfoundation.org/Releases/3.4/beta2

Uma lista novidades no LibreOffice 3.4 Beta1 está aqui:

http://download.documentfoundation.org/libreoffice/src/bugfixes-libreoff...

Gostaríamos de dar um grande *MUITO OBRIGADO* a todos os que contribuíram com o projeto LibreOffice. Este release não seria possível sem sua ajuda.

Atenciosamente
O Conselho de Administração da The Document Foundation

Fonte: http://blog.documentfoundation.org/2011/04/22/libreoffice-3-4-beta-2-ava...



Agora o BrOffice chama-se LibreOffice

23 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

BrOffice agora se chama LibreOffice

 

A comunidade brasileira de software livre tem o orgulho de anunciar que o produto BrOffice passará a se chamar LibreOffice, que conta com uma comunidade internacional da qual, nós, voluntários brasileiros, somos ativos participantes e colaboradores.

 

O pacote de escritório BrOffice ainda permanecerá com este nome na versão 3.3.x, tendo o nome substituído definitivamente a partir das versões 3.4.x. Já os demais projetos desenvolvidos pela comunidade brasileira, como portal, listas de discussão, revista, entre muitas outras iniciativas, já passam a adotar o nome “LibreOffice” em todos seus trabalhos. O projeto é mantido pelos milhares de desenvolvedores ao redor do planeta que optaram por seguir este caminho mais livre para o desenvolvimento a pleno vapor, respeitando a meritocracia e a liberdade. O amadurecimento e crescimento deste incrível pacote de escritório livre, multi-idiomas e multiplataformas pode ser comprovado pela rápida evolução comparado ao seu predecessor, o OpenOffice.org, trazendo ainda mais tranquilidade e segurança para todos os nossos usuários.

 

O projeto OpenOffice.org surgiu em 2000 e contou com a participação brasileira a partir de 2001. Naquela época, surgiu a comunidade OpenOffice.org.br que o traduziu e o divulgou no Brasil até 2004. Em 2005, a comunidade enfrentou problemas com o registro da marca no país. Assim surgiu o BrOffice.org, o mesmo produto OpenOffice.org em português do Brasil (pt-BR), mais as ferramentas linguísticas para nosso idioma.

 

BrOffice era o OpenOffice.org mais ferramentas idiomáticas

Em novembro de 2010, a comunidade brasileira passou a apoiar o projeto LibreOffice, nascida da dissidência dos desenvolvedores do projeto OpenOffice.org que não concordavam com os rumos que o projeto seguia desde a compra da Sun Microsystem®, principal mantenedora do projeto OpenOffice.org, pela Oracle®, também no ano passado. Assim, o LibreOffice sofreu uma adaptação em seu código de forma que, ao detectar um computador configurado para português do Brasil, trocasse o nome do produto para “BrOffice”, sem o “.org”. Isto aconteceu no lançamento da versão 3.3.0. Os usuários do BrOffice.org que “atualizaram” seus sistemas para esta versão, passaram de um produto baseado tecnologicamente no OpenOffice.org para o LibreOffice de maneira transparente.

 

Evolução do BrOffice até chegar a LibreOffice

 

Dentro do projeto LibreOffice, a comunidade tem muito mais espaço e liberdade de participar em seu desenvolvimento, além de trazer para o nosso usuário todas as evoluções que foram feitas no projeto OpenOffice.org mais as inovações exclusivas do LibreOffice.

 

E agora, sem problemas relacionadas a marcas no País, a comunidade brasileira optou por seguir também com este novo nome, se integrando ainda mais ao projeto internacional e contando com esta incrível ferramenta de escritório.

* fonte: LibreOffice Brasil



Campanha propõe universalização da banda larga

18 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

SÃO PAULO - "Banda Larga é um Direito Seu". Essa é o nome da campanha que será lançada no dia 25 de abril, simultaneamente em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília. O objetivo é garantir que todas as pessoas tenham acesso ao serviço de banda larga, de qualidade, barato e rápido.

De acordo com o site da campanha (www.campanhabandalarga.org.br), o modelo de prestação do serviço no País faz com que as empresas não tenham obrigações de universalização. Os preços são altos para a população de baixa renda e os serviços não alcançam as localidades fora dos grandes centros urbanos.

"É preciso pensar a banda larga como um serviço essencial. A internet é instrumento de efetivação de direitos fundamentais e de desenvolvimento, além de espaço da expressão das diferentes opiniões e manifestações culturais brasileiras por meio da rede", diz o site.

Estão envolvidas na campanha 59 instituições, entre elas o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), a Ordem dos Advogados do Brasil - Seção São Paulo, Proteste - Associação dos Consumidores e a UNE (União Nacional dos Estudantes).

Manifesto
Entre as propostas apresentadas, está o reconhecimento do caráter essencial da banda larga e a definição como serviço público. Além disso, a campanha propõe a implementação de mecanismos de controle público da gestão de redes e a democratização das licenças para prestação de serviços de banda larga fixa.

Quando se trata da qualidade do serviço, a proposta é delimitar as condições de prestação do serviço, assegurar o atendimento adequado ao consumidor e implantar, no Plano Nacional de Banda Larga, velocidade de download e upload compatíveis com os conteúdos e aplicações da rede.

Lançamento da campanha
"A proposta é unir os cidadãos e cidadãs brasileiros em uma vigília permanente em defesa do interesse público na implementação do Plano Nacional de Banda Larga e da participação da sociedade civil nas decisões que estão sendo tomadas", diz o site da campanha.

A campanha "Banda Larga é um direito seu!" será lançada:

- às 19h, no Sindicato dos Engenheiros de São Paulo - São Paulo - SP
Rua Genebra, 25 - Centro 

- às 20h30, no Auditório do SindJor Rio - Rio de Janeiro - RJ
Rua Evaristo da Veiga, 16, 17º andar 

- às 19h, no Auditório 2 da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia - Salvador - BA
Avenida Reitor Miguel Calmon s/n - Campus Canela 

- horário a confirmar, no Balaio Café - Brasília - DF
CLN 201 Norte, Bloco B, lojas 19/31

A campanha também será transmitida pela internet, no site www.campanhabandalarga.org.br.

* fonte: UOL Economia



Está disponível Ubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2

15 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Está no ar o segundo beta da próxima versão que sairá em abril o Ubuntu 11.04 Natty Narwhal.  Cumprindo o calendário:

http://www.todoespacoonline.com/imagens/20101226131548Ubuntu-Logo1.png

Quem já fez a instalação do Natty, seja alfa 1,2,3 ou beta 1, apenas atualize e estará com o beta 2, não sendo necessário reinstalar.

Nesta versão é possível ver um ambiente bem maduro, pronto para uso. Faltando 14 dias para o lançamento, neste período só deve acontecer correção de bugs, e não há mais tempo para inclusão de grandes ou novas funcionalidades. Dentre as novidades temos:

http://andregondim.eti.br/wp-content/uploads/2010/10/unity_ars-thumb-640xauto-17498.jpg

Algumas versões:

  • Linux Kernel 2.6.38

  • Xserver 1.10

  • Gnome 2.32.1

  • Shotwell 0.9.1

  • Firefox 4.0

  • LibreOffice 3.3.2

  • Banshee 2.0.0

  • Evolution 2.32.2

  • PiTiVi 0.13.5

  • Totem 2.32.0

  • Brasero 2.32.1

  • Gwibber 3.0.0.1

  • Transmission 2.13

  • Empathy 2.34.0

  • Nautilus 2.32.2.1

 

Ubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2

i386 Desktop Torrent
AMD64 Desktop Torrent

Lubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2
i386 Desktop Torrent

Kubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2
i386 Desktop Torrent

amd64 Desktop Torrent

Xubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2
i386 Desktop Torrent

i386 Alternate Torrent

amd64 Desktop Torrent

amd64 Alternate Torrent

Edubuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2
i386 Desktop Torrent

AMD 64 Desktop Torrent

Mythbuntu 11.04 Natty Narwhal Beta 2 (Ainda não está no ar)
i386 Desktop Torrent

AMD 64 Desktop Torrent

Ubuntu Studio Beta 2
i386 Torrent

amd64 Torrent

Apenas uma observação, alguns blogs fizeram confusão sobre se essa versão sairia ou não com o Unity na versão final, mas como já havia mostrado neste blog, o que irá acontecer é que a próxima versão Ubuntu 11.10 não terá a versão clássica, pois já espera que o Unity esteja suficiente e maduro para tal. Logo a versão 11.04 ainda terá como opção a versão clássica.

Twitter: @AndreGondim

Conheça a comunidade Ubuntu Brasil
http://www.ubuntu-br.org/participe

* fonte: blog de André Gondim

Ubuntu troca de interface no 11.04

Por Sami Souza

Interface Unity num laptop com Ubuntu Natty Narwhal

O vindouro Ubuntu 11.04 (que também atenderá pelo codinome Natty Narwhal) trará uma mudança que já iniciou rebuliço na comunidade opensource: a mudança de ambiente gráfico. Atualmente, estamos trabalhando sob a interface Gnome e que já foi bem absorvida por todos os usuários, porém, parece não ter agradado Mark Shuttleworth, o Big Boss da Canonical, desenvolvedora do Ubuntu, e por isso, resolveu adotar a interface Unity na próxima versão de seu OS.

http://mb-c.pro/wp-content/uploads/2010/12/ubuntu-unity.jpg

A Unity é uma interface bastante convidativa e simples, já utilizada em netbooks, celulares e outras telas de reduzido tamanho. Há quem diga que Shuttleworth está vislumbrando uma tendência para os computadores pessoais de unificar estilos de ambiente gráfico. Outros se opuseram à mudança afirmando que o chefão do Ubuntu simplesmente esteja de birra com os produtores do Gnome por estes não assumirem as mudanças sugeridas pela Canonical nas próximas versões da interface. Clique na imagem acima para ler a matéria e os comentários interessantíssimos do Br-Linux que originaram essa postagem. A minha opinião é que devemos estar abertos a mudanças, senão estaremos atrofiando nosso raciocínio e, talvez, ferindo a liberdade de escolha.

* fonte: blog Ilustra Mangá



IV Fórum de Tecnologia em Software Livre - Curitiba - PR

11 de Abril de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A coordenação do IV FTSL vem por meio desta convidar toda a comunidade a participar de reunião da organização do evento.

Data: 13/04/2011 - quarta-feira
Local: Serpro - Regional Curitiba,  Rua Carlos Pioli, 133 Bom Retiro - Curitiba - PR - CEP: 80520-170
Telefone Geral: (41) 3593.8200
Hora: 14:00 h

Pauta:

  • Organograma da organização
  • Local da realização
  • Programação do evento
  • Patrocínios
O evento esta sendo discutido virtualmente no fórum abaixo:
sourceforge.net/apps/phpbb/forumslcuritiba/viewforum.php?f=1&sid=f50f79aaa8cf9213bf8872c7ffd35694

Antonio Carlos Tiboni
Coordenador Regional de Tecnologia - SERPRO Curitiba



Tags deste artigo: firefox