Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

LibreOffice 4.2.1 já está Disponível

20 de Fevereiro de 2014, 10:59, por Henderson Matsuura Sanches

Berlim, 20 de fevereiro de 2014 - A The Document Foundation anuncia o LibreOffice 4.2.1, três semanas após a disponibilidade do LibreOffice 4.2. A primeira versão menor - com base em um ciclo mais curto do que o esperado - resolve mais de 100 problemas, introduzidas pelo maior do que o habitual refatoração de código do LibreOffice 4.2.
 
Em decorrência da gigantesca refatoração do código Calc para acomodar processamento numérico de alto desempenho por placa gráficas (GPU), a Document Foundation decidiu antecipar de uma semana o lançamento da versão 4.2.1. Esta versão corrige uma centena de bugs que foram reportados na versão 4.2.0 desde seu lançamento há menos de tres semanas quando atingiu uma base muito maior de usuários daquela que normalmente se atinge nas versões preparatórias.

Graças ao enorme retorno para nosso controle de qualidade, foi possível rapidamente consertar os bugs que não foram detectados, e foi o motivo da decisão de antecipar as correções em respeito a nossos usuários.

LibreOffice 4.2.1 está disponível  para download no seguinte link: http://pt-br.libreoffice.org/baixe-ja/



Latinoware: “País perderá ainda mais talentos se não valorizar as mulheres”

12 de Novembro de 2012, 0:00, por Desconhecido

A tecnologia da informação (TI) é uma das áreas ainda dominada pelos homens no Brasil. Em outros países, como a Alemanha, o Japão e os Estados Unidos, a realidade é bem diferente – cada vez mais mulheres têm se interessado pelas crescentes e vantajosas oportunidades de emprego nesta área. Mas, no Brasil, apesar dos avanços, menos de 20% dos profissionais de TI são mulheres. “Somos tão capazes quanto os homens, mas poucas pessoas admitem e se beneficiam disso”, aponta a desenvolvedora Eliane Domingos de Sousa, uma das fundadoras das Nerds de Batom. Criado em abril durante um fórum em Duque de Caxias (RJ), o grupo serve de apoio às discussões sobre as dificuldades e barreiras que encontram na área e como estimular a participação feminina na TI. Eliane conversou com a Gazeta do Povo durante a 9.ª Conferência Latino-Americana de Software Livre (Latinoware), em Foz do Iguaçu.

http://www.gazetadopovo.com.br/midia/tn_280_651_Eliane_Domingos_de_Souza_111112.jpg

Hoje os cursos tecnológicos são os mais procurados por quem está ingressando no ensino superior. A preferência das mulheres por carreiras clássicas, como Direito, Medicina e Pedagogia, é uma questão cultural ou de falta de incentivo?

As duas coisas. A tecnologia está presente em todas as áreas, desde a Medicina até a Pedagogia. Mas ainda há um pensamento machista muito forte quando se trata da mulher na tecnologia. De cada dez mulheres que começam um curso nesta área, apenas duas se formam. É muito comum os homens qualificarem as mulheres como incapazes de, por exemplo, programar ou desenvolver um sistema.

Falta também iniciativa das próprias mulheres?

Sim, principalmente se pararmos para analisar como era no passado. Antes era raro uma mulher ter um diploma de curso superior, hoje elas já são maioria nas universidades. Em quase tudo, somos tão capazes quanto os homens, basta querermos.

Você sentiu preconceito enquanto estava estudando e depois como profissional?

Sim. Depois de formada, fui fazer um curso de aperfeiçoamento e na sala eu era a única mulher. Confesso que não via muita boa vontade dos colegas em me ajudar. O que era bem diferente entre eles. A postura do próprio instrutor era a mesma. Falando sobre isso e vendo que o problema era comum com outras colegas e percebendo a pouca participação nos encontros da área, decidimos criar, em abril, as Nerds de Batom.

O preconceito aparece nos anúncios de emprego?

É muito comum ver “Procura-se desenvolvedor, do sexo masculino, com experiência...” Essas coisas também acabam desestimulando e restringindo o mercado de trabalho. Isso sem falar na diferença salarial.

Em países em que este setor é valorizado as profissionais de TI também sofrem este preconceito?

Não. Nos Estados Unidos e na Europa, para citarmos alguns, isso é muito diferente: as mulheres têm as portas abertas para a tecnologia. O Brasil não acordou para isso, corre um sério risco de novamente ficar à margem desse desenvolvimento, e poderá perder ainda mais talentos se não valorizar as mulheres. Pior, ter de pagar muito caro pela tecnologia que poderia ele mesmo produzir.

Como romper essas barreiras e em que áreas as mulheres podem se destacar?

O primeiro passo é não se deixar abater por comentários preconceituosos. Na área de tecnologia da informação, são vários os ramos: você não precisa ser apenas um desenvolvedor ou um programador, há muita oferta nas áreas de web designer, redes sociais, consultoria, criação de sites. Nós, mulheres somos muito detalhistas, e isso é um ponto positivo quando se fala em informática e na aparência das coisas. Em segundo lugar, os governos também precisam atentar para isso e estudar formas de atrair as mulheres para o universo da tecnologia.

* Fonte: Gazeta do Povo, 11 nov 2012



The Document Foundation anuncia a nova versão LibreOffice 3.6.2

4 de Outubro de 2012, 0:00, por Desconhecido
Berlim, 4 de outubro de 2012. A Document Foundation (TDF) anuncia o LibreOffice 3.6.2, para Windows, MacOs e Linux, resolvendo bugs e regressões e melhorando a estabilidade do programa para utilização empresarial. A melhor suite livre de escritório está se tornando o padrão de-facto para migrações, graças ao aumento de seus recursos e interoperabilidade melhorada com a suite de software proprietária.
O aumento do número de adoções do LibreOffice por empresas privadas e públicas é uma demonstração das melhorias trazidas ao código pela TDF, graças a mais de 500 desenvolvedores que estão focando na estabilidade e na qualidade (além dos novos recursos).
A cidade de Limerick na Irlanda é uma das mais recentes migrações para o LibreOffice, que será usado por 450 postos de trabalho nos seis prédios sob sua admisnitração incluindo três bibliotecas públicas, o corpo de bombeiros, o museu municipal e a galeria de arte da prefeitura.
A comunidade que apoia o LibreOffice se reunirá na segunda conferência do LibreOffice em Berlim entre 17 e 19 de outubro. Durante os três dias, representantes de empresas e voluntários comartilharão as suas experiências, no melhor espírito de comunidade.
A inscrição para a conferência termina dia 8 de outubro. Para aqueles que desejam participar, é necesário registrar-se no seguinte endereço http://conference.libreoffice.org/registration.
http://pt-br.libreoffice.org/assets/Uploads/PT-BR_imagens/libo-baixar.png
Softwares adicionais (extensões) para o LibreOffice estão disponíveis em: http://extensions.libreoffice.org/extension-center.
Os registros das correções da versão ficam em bugfixes-libreoffice-3-6-1-release-3.6.2.1.log (consertados na 3.6.2.1) e bugfixes-libreoffice-3-6-1-release-3.6.2.2.log (consertados na 3.6.2.2).
O infográfico abaixo é uma representação do crescimento de desenvolvedores nos últimos 12 meses, além do crescimento de downloads dos servidores espelhos da TDF.
Contatos para mídia:

Eliane Domingos de Sousa - Rio de Janeiro, Brasil
E-mail: elianedomingos@documentfoundation.org - Skype: elianedomingos


Florian Effenberger - Munique, Alemanha
E-mail: floeff@documentfoundation.org - Skype: floeff


Charles H. Schulz - Paris, França
E-mail: charles.schulz@documentfoundation.org


Italo Vignoli - Milan, Itália
E-mail: italo.vignoli@documentfoundation.org - Skype: italovignoli GTalk: italo.vignoli@gmail.com


Tradução: Olivier Hallot



SimLand — SimCity revival em HTML5

14 de Setembro de 2012, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Não dormi bem nos últimos 15 dias implementado (durante as madrugadas) o meu jogo para o concurso js13kGames. Como passei o fim da década de 90 jogando SimCity, naturalmente fui influenciado a recria-lo em puro HTML+CSS+Js.

SimLand
Jogue agora! Visite a página do SimLand e clique em "play the game".

(Você poderia clicar no "Like" também, se gostar)

Naturalmente todo o código fonte está disponível. :-)

Eu escrevi uma ajuda em inglês, mas segue aí a tradução:

Os menus estão no topo. A esquerda o menu de construção e a direita os controles. Preste atenção ao relatório de infelicidade!

Construindo

Tudo serviço público tem um custo de manutenção, ou seja, você não gasta apenas na construção, mas continua pagando para sempre. Ao menos o custo é mínimo.

Uma casa, uma fábrica, ou qualquer construção privada só será construída se houver demanda e mão de obra. Então, se você quiser mais fábricas ou shoppings, crie mais áreas residenciais e deixe a população crescer.

E mais: um dia alguma construção vai ruir. Esteja avisado.

A poluição pode te matar

Preste atenção! A poluição aparece de repente com o crescimento da cidade. Árvores salvam a cidade e o seu trabalho.

Roubando

Você pode executar métodos e modificar atributos do jogo acessando o objeto land pelo console javascript. Tente abri-lo com F12 (ou algum item do menu do navegador) e então execute:

 land.money = 1000000 

(o status só será atualizado na próxima passagem de mês)

Divirta-se!



Latinoware 2012: a sua caravana vai também?

5 de Setembro de 2012, 0:00, por Desconhecido

A organização da Latinoware 2012 tem o prazer de informar as caravanas sorteadas para esta edição.

Caro congressista, caso  queira utilizar o recurso, realize a sua inscrição e/ou entre em contato com o Coordenador de Caravana mais próximo de sua cidade.

Coordenação Latinoware.

1 – Cidade: GOIÂNIA (GO)

Coordenador: Gabriel Lino de Sousa Netto
Entidade: Universidade Salgado de Oliveira
email: gabriel@semprecs.com.br
site: www.semprecs.com.br/latinoware
Telefone para Contato: (62) 8406-7727

2 – Cidade: PIRAÍ DO SUL (PR)

Coordenador: Diego Moreirai
Entidade: Rota do Tropeiro Livre – prefeitura
Contato:  diego@soulivre.net
Telefones para Contato: (42) 9921.5518 ou (42) 3237.8500

3 –  Cidade: DOURADOS (MS)

Coordenador: Horácio Pereira dos Santos
Entidade: UEMS-Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
E-mail: horaciuss@gmail.com
Telefones para Contato: (67) 3452-9760 das 11h às 13h30, ou (67) 9921.5353-Vivo  das 7h às 18h

4 – Cidade: JANAÚBA (MG)

Coordenador: Thalis Antunes de Souza
Entidade: Associação dos Estudantes Universitários de Janaúba
E-mail: thalis@thalisantunes.com.br
Telefones para Contato: (38) 9968-4811 ou (38) 9108-4811 – Melhor horário para contato: das 9h às 16h

5 –  Cidade: TEÓFILO OTONI (MG)

Coordenador da Caravana: Diego Frederico Marques Neves
Entidade: Mucuri Livre – Comunidade de Software Livre dos Vales do Mucuri, Jequitinhonha e Sul da Bahia.
E-mail particular: diego@mucurilivre.org

6 –  Cidade : LAVRAS (MG)

Coordenador: Mário Henrique Torquete
Contato: mhtorquete@hotmail.com
Universidade Federal de Lavras
Telefones para Contato: (35) 9934.6104 ou (35) 8829.2338

7 – Cidade: BRASÍLIA (DF)

Coordenador: Luiz Guilherme Nunes Fernandes
Entidade: PSL-DF
E-mail: luiz.guilherme@latinoware.org e narutospinal@hotmail.com

8 – Cidade: PORTO ALEGRE (RS)

Coordenador: Eloir José Rockenbach
Local: Guaíba - RS (30km de Porto Alegre)
Entidade: Cidade: Rede Marista
E-mail particular: eloirjr@gmail.com
Telefones para Contato: (51) 9932.2252 / (45) 9759.9214

9 – Cidade: São Mateus – ES

Coordenador: Professor Temistocles Alves Roça
Faculdade: Empresa Norte Capixaba de Ensino, Pesquisa e Ext. LTDA – UNISAM
Site: www.unisam.edu.br
Telefone: (27) 3313.9700
Local de saída: Rod. Othovarino Duarte Santos S/n, Bairro: Residencial Park Washinton

10 – Cidade: ORLEANS-SC

Coordenador: Prof. Elcio Willmann
Coordenador Adjunto: Rogério Degasperi
Entidade: UNIBAVE
Curso: Sistemas de Informação
E-mail:si@unibave.net
E-mail: rogerio@unibave.net
Telefones para Contato: (48)3466.5645 ou (48) 3466.5631

11 – Cidade: Belo Horizonte – MG

Coordenador: Leonardo José da Rocha
Entidades: PSL-MG / GRUBrO-MG
e-mail: leopadawanvrb@gmail.com
Telefones para Contato: (32) 9116.5463 ou (32) 8825.2092

12 – Cidades: RIO GRANDE (RS) E PELOTAS (RS)

Coordenador: Júlio César Medina Madruga
Entidade: Universidade Federal de Rio Grande (FURG) - Centro de Ciências Computacionais
Bacharelado em Sistemas de Informação
e-mail: cesargr@gmail.com
Telefones para Contato: (53) 8122.2369 / (53) 8425.9345

13 – Cidade: São Bento do Sul – SC – Autopatrocinado
Coordenador: Tiago Hillebrandt
Entidade: UDESC
E-mail: tiagohillebrandt@ubuntu.com
Telefone: 
(47) 9937-1069

14 – Cidade: LONDRINA (PR)

Coordenador: Weigle Luiz Gonçalves Corrêa
Entidade: Universidade Estadual de Londrina (UEL) - Departamento de Computação
E-mail particular : weigle@latinoware.org
Telefones para Contato: Comercial: (43) 3371.4839 e Celular: (43) 8403.5417

15 – Cidade: Bandeirantes – Paraná

Coordenador: Prof. Me. Carlos Eduardo Ribeiro (Biluka)
Entidade: Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus Luiz Meneghel
Telefones para Contato: (43) 3542.8014 | Fax: (43) 3542.8008 | Skype: profbiluka
16 – Cidade: Curitiba – PR
Paulo Henrique de Lima Santana
Associação dos Professores da UFPR
Email: phls@latinoware.org
Telefone: (41) 9638.1897

17 – Cidade: CUIABÁ (MT)

Coordenador: Raissa Paiva
Entidade: Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) e demais instituições
E-mail: raissaizecson@gmail.com / raissaizecson@latinoware.org
Telefone para Contato: (65) 8134.1666

18 – Cidade: Timóteo- MG

Coordenador: Bruno Ferreira Araújo.
Instituição: CEFET – MG – Campus Timóteo
E-mail:  brunaofaraujo2005@hotmail.com
Telefone para Contato: (31) 8707.9002

19 – Cidade: Apucarana – PR
Coordenador: Lincoln Sergio Sorpilli
Email: lincolns@apucarana.pr.gov.br
Prefeitura do Município de Apucarana
(43 ) 3422.4000 ou (43) 3162.4244

20 – Cidade: Campo Mourão (PR)

Coordenador : Rodrigo Hübner
Entidade: Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Campo Mourão
email: rhubner@gmail.com / rodrigohubner@utfpr.edu.br
site: http://www.utfpr.edu.br/campomourao
Telefone para Contato: (44) 9931 6040

21 – Cidade: Goiana (GO) – II

Coordenador: Christiane Borges Santos
Entidade: Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia de Goiás/
Faculdade Estácio de Sá Goiás
Telefone de Contato: 62 81407468 / 62 99836509
e-mail de Contato: angel.chris@gmail.com

22 – Cidade: Votuporanga (SP)

Coordenador: Ubiratan Zakaib do Nascimento
E-Mail: birazn@ifsp.edu.br
Entidade: IFSP Campus Votuporanga
Fone: 17 3426-6990 (Campus IFSP)
Celular: 17 9134-5920

23 -Cidade: ALEGRETE (RS)

Coordenador : Maicon Venes Pereira
Entidade: Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)
E-mail particular : mvenes@gmail.com
Telefones para Contato: Celular: (55) 8147.9485 e Fixo: (55) 3422.7623

24 – Cidade: SANTA ROSA (RS)

Coordenador : Nilo Franco
e-mail: <franco.rs@hotmail.com
Telefone: (55) 8128.8120

25 – Cidade : SERRA (ES)

Coordenador: Thalison Jânio Pelegrini
e-mail: thalison.jp@gmail.com
Telefone: (27) 8878-7914 / (27) 88787924

26 – Cidade: Panambi – (RS) – Caravana Autopatrocinado

Coordenador: Prof. Christian Puhlmann Brackmann
Coordenador do Núcleo de Educação a Distância (NEAD)
Instituto Federal Farroupilha – Campuns Panambi
Telefone: (55) 33768800 | 8100 – 1819
brackmann@iffpb.edu.br

27 – Cidade: Florianópolis – SC

Coordenador: Klaibson Natal Ribeiro Borges
Entidade: Solisc (Software Livre SC)
Email: klaibson@solisc.org.br
Telefone: (48) 9625-8273.

28 – Cidade: DOURADOS (MS) ônibus Autopatrocinado
Coordenador: Horácio Pereira dos Santos
Entidade: UEMS-Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
E-mail: horaciuss@latinoware.org
(67) 9921-5353 Vivo das 07:00 as 18:00 h
Coordenador Adjunto: James Gotardi Castilho
E-mail: jamesgotardi@hotmail.com
(67) 9958-4780 Vivo das 9:00 as 11:00 h e das 13:00 as 17:00 h

29 - Cidade:  Posadas provincia de Misiones República Argentina – Autopatrocinado
Coordenadora: Professora Silvia Natalia Martíne
Entidade: Escuela de Educación Técnica N° 1 (EPET N° 1) “UNESCO
Contato: smartinez@epet1.edu.ar

30 – Cidade : Foz do Iguaçu – PR – Autopatrocinado
Coordenadora: Professora ALESSANDRA B G HOFFMANN
Entidade: Centro de Ensino Superior de Foz do Iguaçu, CESUFOZ
Contato: alefoz2003@hotmail.com

 31 – Cidade: Foz do Iguaçu – PR – Autopatrocinado
Coordenadora: Profª. Alessandra Bussador
Entidade:Faculdade Anglo-Americano – FAA
Entrar em contato direto coma coordenadora na Faculdade.

32 – Cidade: Medianeira – PR – Autopatrocinado
Coordenador: Jaqueline Nitsche
Entidade: Colégio Estadual João Manoel Mondrone
e-mail para contato: jaqueunipar@hotmail.com
Telefone: (45) 9918 – 4144

33 – Cidade: Dois Vizinhos – PR – Autopatrocinado
Coordenador: Daniela Tremea
Entidade: Sudotec – Associação para o Desenvolvimento Tecnológico e Industrial do Sudoeste do Paraná
e-mail para contato:sudotec@sudotec.org.br
Telefone: 46 3536 6281

34 – Cidade: Ijuí – RS

Coordenador: Robson Schutz
Entidade: Unijuí – Universidade Regional
e-mail: Robson.s@unijui.edu.br
Telefone 55 3332-0370 ou 55 99456615

35 – Colatina – ES – Autopatrocinado

Nome do Coordenador: Renan Osório Rios
IFES – Campus Colatina – Coordenadoria de Informática
Contato do Coordenador – e-mail renan@ifes.edu.br
Telefone. (27)9608-1415  

36 – UNE CDE

Nome do Coordenador: Juan A. Paredes
Universidad Nacional del Este – Facultad Politécnica
Contato do Coordenador – e-mail jparedesgon@gmail.com
Telefone. (595)615996781  

* fonte: Latinoware 2012



Simon Phipps: Opinião: Como a Microsoft foi forçada a abrir o Office

21 de Agosto de 2012, 0:00, por Desconhecido

Com o código aberto, mesmo que não use o ODF, você se beneficia de um mercado mais competitivo e revigorado.

Em um texto publicado em um dos blogs da Microsoft esta semana, Jim Thatcher, executivo da empresa responsável pelo suporte a padrões no Microsoft Office, descreveu algumas das mudanças na próxima versão do produto:

"Na próxima versão do Office adicionamos dois novos formatos de arquivo que podem ser usados: Open XML estrito e Open Document Format (ODF) 1.2. Também adicionamos suporte à abertura de arquivos PDF, que podem ser editados dentro do Word e salvos em qualquer um dos formatos suportados. Ao adicionar suporte a estes formatos de arquivo padronizados, o Microsoft Office 2013 dá aos usuários mais escolhas na interoperabilidade de documentos."

http://static.lanyrd.net/cropped-profile-photos/4322158f60f87f3b2a30bcb92466aa9bfd89e089-s300.jpg


Nestas poucas palavras encontramos ecos de uma lição de história que demonstra o poder do código aberto no valioso estímulo à competição e inovação no mercado de sofware. Formatos de arquivo podem não ser o assunto mais interessante, mas o anúncio destaca dois fatos importantes sobre o código aberto. Primeiro, software de código aberto pode perfeitamente definir o ritmo do mercado de forma competitiva. Segundo, a inovação do código aberto fornece os “ombros dos gigantes” nos quais outros podem se apoiar.

O triunfo do ODF

No início da década passada o Microsoft Office havia eliminado quase toda a competição no mercado de software de produtividade. Diante desde quase-monopólio a Sun Microsystems lançou em 2000 um projeto de código aberto baseado em um pacote Office de nicho chamado StarOffice. Batizado de OpenOffice.org, ele gradualmente ganhou notoriedade como a alternativa aberta ao Microsoft Office.

Embora alguns possam ser rápidos ao acusar o OpenOffice.org de ser um “derivado” do Office, seu desenvolvimento na verdade é paralelo à primeira versão do Microsoft Word (em 1983, para o sistema operacional Xenix), tendo sido criado em 1984 para os computadores domésticos populares da época: o Commodore 64 e o Amstrad CPC rodando o CP/M. Mais tarde ele evoluiu para um pacote office para o DOS, OS/2 Warp (da IBM) e Microsoft Windows.  Quando a Sun Microsystems adquiriu o StarOffice, em 1999, ele já era um aplicativo multifunção completo e capaz, disponível em versões para todas as plataformas populares da época.

Chegando à Sun, os desenvolvedores do StarOffice/OpenOffice.org aceleraram um projeto para criar um formato de arquivo moderno, baseado em XML, para seu software. O uso de um formato baseado em XML tornaria muito mais fácil promover a interoperabilidade com outras ferramentas de escritório, bem como manter a compatibilidade entre versões.

O segundo benefício era justamente o maior problema de todos os usuários de aplicativos de escritório, então a Sun tomou a iniciativa de ir à OASIS (Organization for the Advancement of Structured Information Standards - Organização para o Avanço de Padrões em Informação Estruturada) e propor uma solução: um formato de arquivo padronizado para softwares de produtividade. Estive envolvido no processo e sei que a Sun abordou outros membros da OASIS para colaborar no projeto. Entretanto a Microsoft rejeitou a iniciativa, declarando-a “redundante”. Afinal, a empresa ganhava muito dinheiro com os “upgrades” resultantes da pressão social aplicada por outros usuários do Word a cada vez que o formato de arquivo mudava.

A OASIS concordou com a proposta e o resultado foi o padrão OpenDocument, ou ODF. Apesar de um início tímido, a adoção do ODF cresceu como uma bola de neve, e hoje ele é reconhecido pela ISO (International Standards Organization - Organização Internacional para Padronização) e um padrão nacional aprovado em vários países no mundo. A pressão resultante sobre a Microsoft se tornou enorme, e a empresa respondeu manipulando organizações internacionais para criar um formato de arquivo XML baseado fortemente nos formatos usados pelo Microsoft Office. Este padrão foi ratificado pela ISO em 2008.

Demorou cerca de sete anos, mas a Microsoft finalmente cedeu. Em Abril a empresa anunciou que irá implementar totalmente no Office 2013 (Office 15) o suporte ao padrão que forçou à ISO (ISO/IEC 29500, chamado de OOXML pela maioria das pessoas) e o padrão aberto que ela emulou, desenvolvido pela comunidade (ISO/IEC 26300, chamado de ODF pela maioria das pessoas).

O código aberto mudou o mercado, forçando a Microsoft a responder e adotar tanto a compatibilidade de arquivos entre versões quanto o conceito de interoperabilidade. Sem o código aberto, nada disto teria acontecido. Com o código aberto, mesmo que não use o ODF, você se beneficia de um mercado mais competitivo e revigorado.

O PDF recebe o que merece. Ou quase

O segundo ponto no post no blog da Microsoft destaca o poder da inovação aberta. A comunidade de desenvolvedores do OpenOffice.org em sua maior parte migrou em 2010 - junto com o código-fonte - para um novo projeto Open Source chamado LibreOffice. Tanto o OpenOffice.org quanto o LibreOffice há muito suportam a criação de arquivos PDF. O Microsoft Office eventualmente copiou o mesmo recurso, inicialmente como um add-on para o Office 2007 e mais tarde como um recurso padrão. Mas o LibreOffice também inclui a valiosa capacidade de criar PDFs Híbridos, que podem mais tarde ser abertos e editados com o LibreOffice. O vídeo abaixo explica como utilizar este recurso. 

 

E parece que ele também irá aparecer no Microsoft Office:

"Nesta versão a Microsoft adiciona uma opção que chamamos de PDF Reflow, que permite abrir arquivos PDF como documentos Office editáveis. Tristan Davis, gerente de programa do Word na Microsoft, explica: “Com este recurso você pode transformar um PDF de volta em um documento do Word completamente editável. Nós “rehidratamos” cabeçalhos, listas numeradas, tabelas, notas de rodapé e outros elementos, analisando o conteúdo do arquivo PDF."

O problema aqui é que a Microsoft está limitando a interoperabilidade e a compatibilidade tanto do suporte ao ODF quando de sua versão dos PDFs Híbridos. Por motivos ainda não explicados, a empresa não irá oferecer a capacidade de salvar documentos num formato ODF compatível com versões anteriores (a versão atualmente suportada no Office 2010 é a 1.1), então será difícil usar o ODF em um ambiente de trabalho híbrido. Da mesma forma, apesar de suportar a abertura de arquivos PDF para edição, a Microsoft não irá suportar a abertura dos PDFs Híbridos do LibreOffice. Talvez a ameaça competitiva do software de código aberto ainda seja grande demais.

Assim como a adição da capacidade de gerar arquivos PDF, a decisão de incluir a possibilidade de editar estes arquivos é uma bem-vinda adoção do que já foi testado e experimentado com código aberto. Esta é a dinâmica da inovação. Ideias geram ideias, e a inovação é resultado da inspiração.

A diferença aqui é que as comunidades de código aberto tornam suas ideias livremente disponíveis para outros, então não haverá ameaças de processos e acordos de licenciamento coercivos (e confidenciais). É assim que as coisas devem ser se quisermos que a inovação continue a brotar como resultado de um mercado vigorosamente competitivo.

por Simon Phipps, InfoWorld EUA

* fonte: IDG Now



Software livre: militantes se dizem 'apreensivos' e cobram ação do governo Dilma

6 de Agosto de 2012, 0:00, por Desconhecido

O Fórum Internacional Software Livre, realizado em Porto Alegre-RS entre 25 e 28/7, divulgou uma Carta Aberta à Presidente Dilma Rousseff na qual cobra promessas feitas pelo governo Lula, com exemplos do que são apontados como recuos da atual administração em pontos caros à comunidade do código aberto.

Casos como a retirada da licença livre Creative Commons do site do Ministério da Cultura – episódio que marcou o início da gestão da ministra Ana de Hollanda – ou o acordo do Ministério das Comunicações com as operadoras de telefonia que eliminou obrigações de banda larga das metas de universalização, são citados como “apreensivos”.

Tampouco escapam fatos mais recentes, como a discussão do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) sobre patentes de softwares e os pregões da Caixa Econômica Federal para aquisição, por cerca de R$ 112 milhões, de programas de computador proprietários.

“O governo federal tinha ciência dos benefícios do tratamento dos bens imateriais como bens de domínio público, e da importância da manutenção do livre acesso ao conhecimento e seu compartilhamento como ferramenta de incentivo à democracia. No entanto, hoje algumas questões pontuais têm deixado a todos nós, militantes do software e do conhecimento livre, apreensivos”, diz a carta.

Para a comunidade, o incentivo ao software livre, a ausência de patentes de software e a proteção da criação pela lei dos direitos autorais, bem como a neutralidade de rede na Internet são considerados “indispensáveis para o despontar do Brasil como um país internacionalmente competitivo no que diz respeito à manutenção da inovação tecnológica, bem como para a manutenção das estratégias de democratização do conhecimento através da Inclusão Digital”.

http://www.prontofalei.blog.br/wp-content/uploads/2012/07/lula-290x290.jpg

Leia a íntegra do documento:

Carta aberta à Presidente Dilma Rousseff

Nós, participantes do 13º Fórum Internacional Software Livre, realizado em Porto Alegre entre 25 e 28 de julho de 2012, tomamos a liberdade de escrever esta carta pública endereçada a Excelentíssima Presidente da República Dilma Rousseff, em nome da comunidade software livre brasileira, com o objetivo de manifestar nossa posição diante das políticas públicas na área de tecnologia da informação e internet implementadas por vosso governo.

Não poderíamos deixar de relembrar aqui a histórica visita que Vossa Excelência, e o então Presidente Lula, fizeram a este mesmo fórum, em sua décima edição, em 2009. Esta visita, que muito nos orgulhou, foi uma verdadeira celebração das liberdades digitais, e um reconhecimento dos esforços da comunidade software livre internacional, e, especialmente brasileira, na luta pela manutenção do conhecimento como bem comum. Os avanços e conquistas invejáveis produzidos pelas políticas públicas do governo federal do Brasil em direção às liberdades e à soberania tecnológicas foram reconhecidos e reafirmado o compromisso com esses valores.

Além do encontro do então Presidente Lula com os principais expoentes da comunidade software livre internacional, o momento foi marcado por seu discurso memorável, no qual o Presidente afirmou que em seu governo era “proibido proibir”, que “Lei Azeredo é censura”, além de determinar publicamente ao então Ministro da Justiça, Tarso Genro, a construção de um marco civil da internet.

Na oportunidade, Lula também reafirmou a defesa do software livre no seu governo, e foi ovacionado pelo público presente ao afirmar, em nome de todos os brasileiros:

"Nós tínhamos que escolher: ou nós iríamos para a cozinha preparar o prato que a gente queria comer, com os temperos que nós queríamos colocar e dar um gosto brasileiro para a comida, ou nós iríamos comer o prato que a Microsoft preparou para a gente. E, graças a Deus, prevaleceu, no nosso país, a questão e a decisão pelo software livre".

Além do compromisso assumido e cumprido durante o Governo Lula, e reafirmado pelo então Presidente durante o fisl10, em 19 de janeiro de 2010, no primeiro mês do vosso governo, foi publicada a Instrução Normativa nº 1, que dispôs sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela Administração Pública Federal. Dentre as diretrizes, destacam-se as determinações que proíbem o uso de componentes, ferramentas, códigos fontes e utilitários proprietários, e também a dependência de um único fornecedor, dando preferência ao uso de software livre - mais uma mostra de que o governo federal tinha ciência dos benefícios do tratamento dos bens imateriais como bens de domínio público, e da importância da manutenção do livre acesso ao conhecimento e seu compartilhamento como ferramenta de incentivo à democracia.

No entanto, hoje algumas questões pontuais têm deixado a todos nós, militantes do software e do conhecimento livre, apreensivos:

A retirada da licença livre Creative Commons do site do Ministério da Cultura e sua mudança de posicionamento em relação à reforma dos direitos autorais e às liberdades civis na internet;

A introdução, no acordo do Ministério das Comunicações com as Teles em relação ao plano nacional de banda larga (PNBL), de um grave precedente de limitação e tarifação do volume de dados que trafegam pela conexões das operadoras - como uma espécie de pedágio ou taxímetro cobrado por conteúdos de terceiros;

A iniciativa no INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial - de abrir uma consulta pública indicando o patenteamento do software no Brasil, na contramão de uma das maiores lutas do movimento software livre internacional;

O Pregão Eletrônico (N. 116/7066-2012 – GILOG/BR) da Caixa Econômica Federal, na ordem de 112 milhões de reais, que contraria um histórico de investimento em desenvolvimento e adoção de softwares livres produzidos especificamente para a instituição.

Algumas décadas depois de os softwares e a internet terem se tornado elementos indissociáveis de nossas rotinas, já podemos afirmar com sólidos argumentos econômicos, científicos e sociais que:
o incentivo e a manutenção da luta pelo Software Livre,
a ausência de patentes de software, e a proteção da criação dos mesmos pela lei dos direitos autorais,
a manutenção de uma internet livre, neutra e inimputável,
são estratégias não só viáveis como indispensáveis para o despontar do Brasil como um país internacionalmente competitivo no que diz respeito à manutenção da inovação tecnológica, bem como para a manutenção das estratégias de democratização do conhecimento através da Inclusão Digital.

Por fim, confiantes de que podemos restabelecer a interlocução do governo federal com a comunidade software livre, da cultura digital e ativistas por direitos civis na internet, pedimos, publicamente, uma audiência de nossos representantes com Vossa Excelência para que possamos retomar o diálogo construtivo que sempre tivemos com o governo federal nestes últimos anos.

Aproveitamos também para manifestar nosso apoio e parabenizá-la pela condução da política econômica, dos programas sociais, em especial de combate à fome e à pobreza, e na firme postura contra a corrupção em nosso país.

por Luís Osvaldo Grossmann

* fonte: Convergência Digital



fisl 13: Carta aberta à Presidenta Dilma Rousseff

3 de Agosto de 2012, 0:00, por Desconhecido

Carta aberta à Presidenta Dilma Rousseff


Nós, participantes do 13º Fórum Internacional Software Livre, realizado em Porto Alegre entre 25 e 28 de julho de 2012, tomamos a liberdade de escrever esta carta pública endereçada a Excelentíssima Presidenta da República Dilma Rousseff, em nome da comunidade software livre brasileira, com o objetivo de manifestar nossa posição diante das políticas públicas na área de tecnologia da informação e internet implementadas por vosso governo.

photo

fisl 10 - Dilma e Presidente Lula

Não poderíamos deixar de relembrar aqui a histórica visita que Vossa Excelência, e o então Presidente Lula, fizeram a este mesmo fórum, em sua décima edição, em 2009. Esta visita, que muito nos orgulhou, foi uma verdadeira celebração das liberdades digitais, e um reconhecimento dos esforços da comunidade software livre internacional, e, especialmente brasileira, na luta pela manutenção do conhecimento como bem comum. Os avanços e conquistas invejáveis produzidos pelas políticas públicas do governo federal do Brasil em direção às liberdades e à soberania tecnológicas foram reconhecidos e reafirmado o compromisso com esses valores.

Além do encontro do então Presidente Lula com os principais expoentes da comunidade software livre internacional, o momento foi marcado por seu discurso memorável, no qual o Presidente afirmou que em seu governo era “proibido proibir”, que “Lei Azeredo é censura”, além de determinar publicamente ao então Ministro da Justiça, Tarso Genro, a construção de um marco civil da internet.

Na oportunidade, Lula também reafirmou a defesa do software livre no seu governo, e foi ovacionado pelo público presente ao afirmar, em nome de todos os brasileiros:

"Nós tínhamos que escolher: ou nós iríamos para a cozinha preparar o prato que a gente queria comer, com os temperos que nós queríamos colocar e dar um gosto brasileiro para a comida, ou nós iríamos comer o prato que a Microsoft preparou para a gente. E, graças a Deus, prevaleceu, no nosso país, a questão e a decisão pelo software livre".

Além do compromisso assumido e cumprido durante o Governo Lula, e reafirmado pelo então Presidente durante o fisl10, em 19 de janeiro de 2010, no primeiro mês do vosso governo, foi publicada a Instrução Normativa nº 1, que dispôs sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela Administração Pública Federal. Dentre as diretrizes, destacam-se as determinações que proíbem o uso de componentes, ferramentas, códigos fontes e utilitários proprietários, e também a dependência de um único fornecedor, dando preferência ao uso de software livre - mais uma mostra de que o governo federal tinha ciência dos benefícios do tratamento dos bens imateriais como bens de domínio público, e da importância da manutenção do livre acesso ao conhecimento e seu compartilhamento como ferramenta de incentivo à democracia.

No entanto, hoje algumas questões pontuais têm deixado a todos nós, militantes do software e do conhecimento livre, apreensivos:

  • A retirada da licença livre Creative Commons do site do Ministério da Cultura e sua mudança de posicionamento em relação à reforma dos direitos autorais e às liberdades civis na internet;

  • A introdução, no acordo do Ministério das Comunicações com as Teles em relação ao plano nacional de banda larga (PNBL), de um grave precedente de limitação e tarifação do volume de dados que trafegam pela conexões das operadoras - como uma espécie de pedágio ou taxímetro cobrado por conteúdos de terceiros;

  • A iniciativa no INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial - de abrir uma consulta pública indicando o patenteamento do software no Brasil, na contramão de uma das maiores lutas do movimento software livre internacional;

  • O Pregão Eletrônico (N. 116/7066-2012 – GILOG/BR) da Caixa Econômica Federal, na ordem de 112 milhões de reais, que contraria um histórico de investimento em desenvolvimento e adoção de softwares livres produzidos especificamente para a instituição.

Algumas décadas depois de os softwares e a internet terem se tornado elementos indissociáveis de nossas rotinas, já podemos afirmar com sólidos argumentos econômicos, científicos e sociais que:

  • o incentivo e a manutenção da luta pelo Software Livre,

  • a ausência de patentes de software, e a proteção da criação dos mesmos pela lei dos direitos autorais,

  • a manutenção de uma internet livre, neutra e inimputável,

são estratégias não só viáveis como indispensáveis para o despontar do Brasil como um país internacionalmente competitivo no que diz respeito à manutenção da inovação tecnológica, bem como para a manutenção das estratégias de democratização do conhecimento através da Inclusão Digital.

Por fim, confiantes de que podemos restabelecer a interlocução do governo federal com a comunidade software livre, da cultura digital e ativistas por direitos civis na internet, pedimos, publicamente, uma audiência de nossos representantes com Vossa Excelência para que possamos retomar o diálogo construtivo que sempre tivemos com o governo federal nestes últimos anos.

Aproveitamos também para manifestar nosso apoio e parabenizá-la pela condução da política econômica, dos programas sociais, em especial de combate à fome e à pobreza, e na firme postura contra a corrupção em nosso país.

Sem mais, subscrevemo-nos.

Ricardo Fritsch
Coordenador geral da Associação Software Livre.org, em nome dos participantes do 13º Fórum Internacional Software Livre

* fonte: Software Livre



LibreOffice 3.6.0 será lançado na próxima semana, com muitas novidades

28 de Julho de 2012, 0:00, por Desconhecido

LibreOffice 3.6.0 será lançado provavelmente na próxima semana, início de agosto, com muitos recursos novos e melhorias, incluindo espaçamento contextual para Writer, melhorias na importação .DOCX, .RTF, suporte para importação de SmartArt, Assistente de Etiquetas, formato widescreen para os slides. No Calc: Formatação condicional Exportar para .xlsx, melhoria importação de arquivos CSV. No Draw: Importação de arquivo CDR do Corel Draw, Export PDF com opção de marca d'água. Melhorias de desempenhoe muito mais.

http://wiki.documentfoundation.org/images/thumb/1/15/LibreOffice_3.6.0.3_Splash_Screen.png/400px-LibreOffice_3.6.0.3_Splash_Screen.png

Segue a principais melhorias na suite LibreOffice 3.6.0:

Writer

  • O pincel formatar agora diferencia atributos de formatação automática de caracteres aplicados ao parágrafo daqueles aplicados à parte de texto dentro do parágrafo. Esses atributos de formatação automática de caracteres são passados para o parágrafo inteiro, por padrão; se a tecla Ctrl for pressionada, enquanto o formato é passado, estes atributos são aplicados para a parte do texto selecionado. (Maxime de Roucy)
  • Suporte para não espaçamento entre parágrafos consecutivos de mesmo estilo conhecido por espaçamento contextual. (Miklos Vajna)

Criada uma nova opção de espaçamento entre parágrafos.

  • A importação de VML (usado dentro de arquivos DOCX mais antigos) agora lida com linhas, rotações e viradas de página. (Miklos Vajna)
  • A importação de DOCX agora lida com campos GetExpression e SetExpression. (Miklos Vajna)
  • A importação e a exportação de RTF e DOCX agora lidam com a configuração de ampliação (zoom) do documento. (Miklos Vajna)
  • Pressionando Ctrl com [ ou com ] diminuirá ou aumentará, respectivamente, o tamanho da fonte do texto selecionado. fdo#36187 (Cameron Paul)
  • Contagem de palavras (para o documento inteiro e para a seleção) na barra de status fdo#34772, assim como correções para dois erros de contagem: fdo#46757, fdo#50141. (Muhammad Haggag)

Também é exibida no rodapé a contagem de palavras do texto selecionado.

  • Autoformatação de tabelas agora registra as seguintes propriedades da tabela: fdo#31005 (Muhammad Haggag)
  • Quebras
  • Manter com o próximo parágrafo
  • Repetir cabeçalho da tabela
  • Permitir dividir a tabela em várias páginas
  • Permitir a quebra de linhas em várias páginas
  • Mesclar estilos de linhas adjacentes
  • Sombras da tabela
  • Mostrar Limites do texto dependendo da escolha de mostrar caracteres não imprimíveis fdo#46073 (Cédric Bosdonnat).
  • Suporte para importação de Smart Art. (Miklos Vajna) Experimente este documento DOCX (File:Smartart.docx) como exemplo.

Um exemplo de utilização do Smart Art é mostrado.

Etiquetas / Assistente de cartões personalizados

  • Foram estendidas as definições de etiqueta com tamanho do formulário (página, papel). Etiquetas que não estão centralizadas no formulário agora são criadas corretamente. (Winfried Donkers)
  • Todas as mais de 1.700 definições de etiquetas foram modificadas para incluir o tamanho do formulário; as definições obsoletas foram removidas. (Winfried Donkers)
  • Recálculo da posição das etiquetas no formulário. Definições de etiquetas com intervalos entre estas mais largos do que a margem direita agora produzem documentos corretos. Etiquetas definidas pelo usuário são automaticamente estendidas ao tamanho do formulário. (Winfried Donkers)
  • O tamanho do formulário pode ser modificado na caixa de diálogo do assistente. (Winfried Donkers)

Novo formulário permite a modificação do tamanho da etiqueta.

Calc

  • Ctrl com D preenche para baixo em formas mais conhecidas, atribuindo o conteúdo da célula acima, se nenhuma célula estiver selecionada, e preenche múltiplas células com múltiplas seleções. (Kohei Yoshida)
  • Nova opção para especificar um prefixo de nome personalizado da planilha em novos documentos. (Albert Thuswaldner)

Nova guia de opções para criar um prefixo padrão na planilha.

  • O desempenho da tabela dinâmica foi melhorado. A atualização da tabela dinâmica deve ficar até 50% mais rápida do que na versão anterior (3.5). Além disso, o espaço de memória alocado para a tabela dinâmica foi significativamente reduzido. (Kohei Yoshida)
  • Células marcadas agora podem ser unidas através do menu de contexto (botão direito do mouse). fdo#37210 (Greggory Hernandez)
  • As planilhas podem ser escondidas e mostradas na opção do menu de contexto. (Noel Power)
  • Mensagem de erro melhorada para nome inválido de planilha. fdo#45285 (Albert Thuswaldner)
  • Exportar a formatação condicional para XLSX. (Markus Mohrhard)
  • Aprimorada a importação de arquivos CSV.
    • Manipulação de linhas com mais de 64k caracteres. fdo#48501 (Eike Rathke)
    • Mensagens de erro diferenciam entre "máximo de linhas ultrapassado" e "máximo de colunas ultrapassado" e "tamanho máximo de células foi excedido". fdo#48516 (Eike Rathke)
    • Melhor manipulação de arquivos CSV que não seguem a RFC 4180, regras de citação. fdo#48621 (Eike Rathke)
    • Importar números em notação científica sem ter que verificar "importação de números especiais". fdo#39716 (Eike Rathke)
    • Melhor definição para o separador inicial: vírgula (,) ponto e vírgula (;) tabulador (tab). fdo#38088 (Eike Rathke)
  • Adicionada uma opção "Salvar fórmulas de células em vez de valores calculados" ao exportar CSV. fdo#45664 (Florent Gallaire)

Opção para exportar fórmulas (CSV).

  • Nova função DATADIF definida pelo padrão ODF OpenFormula e para interoperabilidade com MS-Excel. fdo#44456 (Winfried Donkers, Eike Rathke)
  • Novas funções para números complexos do padrão OpenFormula IMTAN, IMSEC, IMCOSEC, IMCOT, IMSENH, IMCOSH, IMSECH and IMCOSECH. fdo#51017 (Regina Henschel)
  • Suporte a campos em células. É possível inserir data, nome da planilha e título do documento em células. Para inserir um campo, entre no modo de edição da célula e utilize o menu de contexto Inserir campos. (Kohei Yoshida)

Inserir campo nas células.

  • Permite agora classificar dados pelo menu do autofiltro. (Kohei Yoshida)

Opção de classificação no menu do autofiltro.

  • Colagem rápida de texto, valor ou fórmula a partir do menu de contexto da célula. (Noel Power)

Opção no menu de contexto para "Colar somente".

  • Opções de configuração detalhada para cálculos de fórmulas. Pode-se agora configurar a sintaxe das referências para funções internas do tipo INDIRETO. No futuro, poderemos adicionar mais opções de cálculo para permitir que os usuários configurem suas fórmulas em tempo de execução. (Kohei Yoshida)
Nova página de opções de cálculos. Caixa de diálogo para detalhamento das configurações de cálculo.
  • Remoção da limitação de 3 critérios de classificação no Calc. fdo#45747 (Albert Thuswaldner)

Nova caixa de diálogo de classificação permitindo mais de 3 chaves.

  • Número padrão de planilhas em novos documentos será 1 no lugar de 3 – fdo#50183, (Stefan Knorr). Note que desde a versão 3.5 é possível editar este parâmetro em Ferramentas-> Opções-> LibreOffice Calc-> Padrão.
  • Suporte para barras de erros X e gráficos de espalhamentos e de barras, importação e exportação para XLS e ODS utilizando ODF 1.2 Estendido. fdo#33773 (Rafael Dominguez)
  • Suporte para escala de cores e barra de dados. Importação do XLSX e importação/exportação do ODS em ODF 1.2 Estendido. Atenção: persistem algumas limitações que serão consertadas na versão 3.7.0. (Markus Mohrhard)

Nova escala de cores e barra de dados.

  • Novas caixas de diálogo da formatação condicional para suportar as escalas de cores e barra de dados. (Design: Stefan Knorr, Implementação: Markus Mohrhard)

Impress

  • Novo formato "widescreen" (tela de 16:9) para slides do Impress. fdo#42986 (Rob Snelders)
  • Detecta corretamente o monitor de vídeo externo e coloca a console do apresentador no monitor de vídeo local. (Michael Meeks)
  • Dez novos modelos de página mestre. (Alexander Wilms, Mateus Machado Luna, Björn Michaelsen)

Novos modelos.

Math

  • As caixas de diálogo para formato (fonte, tamanho da fonte e espaçamento) e símbolo (Ferramentas-> Catálogo) agora possuem botões de ajuda. fdo#47860, fdo#47862, fdo#47863, fdo#47864 (Karan Desai)

Botão de ajuda adicionado em algumas caixas de diálogo.

IDE do Basic

  • Painel para Catálogo de Objetos Encaixados. (Bence Tomcsik)

Catálogo de objetos integrado ao IDE.

Núcleo

  • Suporte a tamanho de cartão postal japonês em todas as aplicações. (Takeshi Abe)
  • Lista dos documentos recentes é atualizada ao Salvar, Salvar Como, Salvar tudo e Fechar. fdo#37775 (Muhammad Haggag)
  • Permite editar documentos somente leitura (Stephan Bergmann). Conforme a mensagem da correção [1]. Por exemplo, ao visualizar anexos de mensagens eletrônicas (que foram armazenados em somente leitura numa pasta pela aplicação de e-mails), seria interessante se o usuário pudesse modificar temporariamente o documento (digamos, trabalhar numa planilha, mudar alguns números e recalcular as fórmulas) ao clicar no botão Editar arquivo sem a obrigação de criar uma cópia para edição e assim:
    • O botão Editar arquivo alterna o status somente leitura da visualização. Não há mais uma pergunta para salvar uma cópia para editar se o documento estiver fisicamente em somente leitura.
    • Quando um documento modificado é alternado para somente leitura pelo botão Editar arquivo, o LibreOffice ainda perguntará para salvar ou descartar as mudanças. Porém se o documento for fisicamente somente leitura, a caixa de diálogo Salvar como será aberta, no lugar da operação Salvar (o que acarretará um erro no documento somente leitura).
    • O título do documento agora mostrará "somente leitura", se e somente se a visualização for somente leitura ou o documento for fisicamente somente leitura (ou ambos).
  • Adicionada a opção Suporte a ferramentas de tecnologias assistenciais no processo de instalação. fdo#39833 (Andras Timar).
  • Adicionado o algoritmo Lanczos para redimensionamento de imagens e sua utilização no lugar do algoritmo de interpolação. Esta mudança aumenta a qualidade das imagens quando ocorre a redução da resolução na exportação para PDF. fdo#46378 (Tomaž Vajngerl)

Exemplo de imagens com a qualidade aumentada pelo algoritmo Lanczos.

  • A gravação de macros pode ser ativada em uma opção separada no menu Ferramentas-> Opções-> Geral-> Habilitar gravação de macro. fdo#41865 (Cor Nouws) Isto permite a utilização desta funcionalidade, de forma limitada, não necessitando ativar os recursos experimentais, por estarem ainda instáveis.

Opção para habilitar gravação de macro.

Filtro

  • Filtro de importação para documentos Corel Draw. Mais detalhes podem ser observados nestes artigos de abril e junho.
Arquivo "terra_v16.cdr" visualizado no Corel Draw. Arquivo "terra_v16.cdr" visualizado no Corel Draw com uma aproximação maior. Arquivo "terra_v16.cdr" visualizado no LibreOffice Draw.
  • Exportação de PDF com opção de marca d'água. Acesso pelo menu Arquivo-> Exportar para PDF. (Andreas Mantke)

Nova opção de marca d'água para exportação de PDF.

  • A exportação ODF agora vem como ODF 1.2 Estendido (modo de compatibilidade), que fornece uma interoperabilidade melhor com outros usuários de softwares para Open Document Format. Resultará em um menor rigor na aderência ao padrão ODF. (Thorsten Behrens)

Interface gráfica do usuário (GUI)

  • Visual mais limpo da GUI no Windows Vista, 7 ou posterior: foram removidas as bordas 3D nas réguas e nas barras de status; barras de ferramentas estão sem bordas com um fundo gradiente suave para melhor visualização. (Mirek Mazel, Stefan Knorr, Jan Holesovsky, Michael Meeks)
LibreOffice 3.5 LibreOffice 3.6
Visual da GUI do LibreOffice 3.5 no Windows 7. Visual da GUI do LibreOffice 3.6 no Windows 7.
Visual da GUI do LibreOffice 3.5 no MacOS X 10.6.8. Visual da GUI do LibreOffice 3.6 no MacOS X 10.6.8.
  • As réguas estão com um visual mais limpo e mais leve. (design de Mirek Mazel, implementado por Jan Holesovsky)

Novo visual das réguas.

  • O conjunto de ícones padrão é agora o Tango no OS/X. (Michael Meeks e time da interface do usuário)
  • Nova tela de abertura. (Andrea Soragna, Stefan Knorr (astron))

Tela de abertura capturada no MacOS X 10.6.8, idioma alemão.

  • A caixa de diálogo Sobre (acesso pelo menu Ajuda-> Sobre) foi redesenhada com uma aparência mais limpa (Andrew Higginson) e recebeu uma nova arte. (Stefan Knorr (astron), baseada na tela de abertura idealizada por Andrea Soragna)

Caixa de diálogo "Sobre" capturada no MacOS X 10.6.8, idioma alemão.

  • Nova arte para a janela inicial de abertura. (Stefan Knorr (astron), baseada na tela de abertura idealizada por Andrea Soragna)

Janela inicial capturada no MacOS X 10.6.8, idioma alemão.

  • Writer e Calc usam botões separados para cor, tornando-se possível aplicar a última cor utilizada com um clique do mouse para fonte, fundo, borda e realce. (Winfried Donkers)
Possibilidade de aplicar a última cor utilizada no realce. Possibilidade de aplicar a última cor utilizada na fonte.
  • Ao clicar em >>, o botão de expansão não mostrará mais as opções da barra de ferramentas. Estas opções podem ser mostradas pelo menu de contexto (botão direito do mouse) da própria barra de ferramentas. fdo#38276 (Iain Billett)

O botão de expansão mostra somente as opções específicas.

  • Integração e suporte para Trinity Desktop Environment (widgets, diálogos de abrir/salvar, e catálogos de endereços). (Timothy Pearson e time original de integração do KDE3)
  • A escolha do dicionário foi removida quando houver somente um dicionário ativo. fdo#40778 (Caolán McNamara e Rob Snelders)
  • O zoom agora é com progressão geométrica ao invés de aritmética. fdo#44173 (Tim Hardeck)
  • Os temas GTK são capazes de exibir gradientes no plano de fundo. As imagens abaixo utilizam o ramo "LibreOffice" do oxygen-gtk. (Ruslan Kabatsayev)

Gradiente no plano de fundo das janelas.

  • Os temas GTK podem agora pré-iluminar as guias das caixas de diálogo. (Ruslan Kabatsayev)

Guias das caixas de diálogo são pré-iluminadas.

  • Os temas GTK agora implementam linhas fixas e quadros. (Ruslan Kabatsayev)

Janela do menu "Opções-&gt; Ferramentas-&gt; Exibir" com um gradiente.

Localização (Internacionalização)

  • Implementados padrões de data dependentes de aceitação, conforme a localidade, para a entrada de datas incompletas.
    Isso impede a detecção errônea de datas na entrada de célula e importação de arquivos CSV (Calc e Writer).
    Leia o artigo para mais detalhes. (Eike Rathke)
  • Adicionada a localidade "Inglês" da República do Malawi (en_MW). (Eike Rathke)
  • Adicionada a localidade "Erzya" da Federação Russa (myv_RU).
  • Melhorias nas ferramentas de idiomas (dicionários para verificação ortográfica, tesauros, regras de hifenização). Informação do repositório de dicionários:
    • Corretor VERO (VERificador Ortográfico) atualizado e autocorreção. (Raimundo Moura)
    • Dicionário ortográfico sueco atualizado.
    • Dicionário ortográfico e tesauro em francês atualizados.
    • Tesauro checo atualizado.
    • Grande melhoria nas ferramentas de idiomas em alemão (de-DE, de-AT, de-CH) com mais de 30.000 novas palavras adicionadas ao dicionário ortográfico alemão e 7.000 novos sinônimos adicionados ao tesauro. A hifenização também foi melhorada.
    • Melhorias importantes para o verificador ortográfico e tesauro em dinamarquês.
  • A localidade padrão passa a ser a localidade do sistema operacional. fdo#45830 (Rob Snelders)

Desempenho

  • Aprimoramento substancial na importação de documentos OLE2: DOC, XLS e PPT. (Caolan McNamara, Michael Meeks)
  • Aprimoramento substancial na importação simples de DOC e DOCX. (Michael Meeks, Caolan McNamara)
  • Aperfeiçoamento na rolagem, redesenho e edição interativa de documentos grandes. (Caolan McNamara)
  • Listas de autocorreção manipuladas com o dobro da velocidade. (Michael Meeks)
  • Aprimoramento na manipulação de tabelas dinâmicas no Calc. A atualização de uma tabela dinâmica deve ser agora entre 35-50% mais rápida que na versão 3.5. Além disso, o consumo de memória da tabela dinâmica foi reduzido substancialmente. (Kohei Yoshida)
  • Aprimoramento na importação de valores das células de documentos XLSX. (Daniel Bankston)
  • Aprimoramento na manipulação de células mescladas e importação de intervalos de matrizes de documentos ODS. (Daniel Bankston)
  • O mecanismo de bancos de dados embutido (HSQLDB) ficará agora com tamanho menor antes de ser salvo (LibreOffice usa "DEFRAG CHECKPOINT" e não apenas "CHECKPOINT"). O espaço ocupado por registros excluídos será liberado, resultando numa demora de tempo um pouco maior para salvar ou fechar o arquivo.

* Para testar o Release Candidate, clique aqui

* fonte: Wiki The Document Foundation



Dicas-L: Defenda sua liberdade de instalar Software Livre

6 de Julho de 2012, 0:00, por Desconhecido

A Microsoft anunciou que se fabricantes de computadores desejam distribuir máquinas com o símbolo de compatibilidade com o Windows 8, terão que implementar uma medida chamada "Boot Seguro" (Secure Boot). Contudo, ainda se está por saber se esta tecnologia honrará o seu nome, ou se em vez disso merecerá a alcunha de "Boot Restrito".

Quando feito de modo correto, o "Boot Seguro" está projetado como proteção contra malware, impedindo computadores de carregar programas binários não autorizados quando inicia. Na prática, significa que computadores que o implementam não irão iniciar ("bootar") sistemas operacionais não-permitidos — incluindo sistemas anteriormente autorizados que foram modificados sem ser reaprovados.

Esta pode ser uma qualidade merecedora do nome, se a pessoa usuária é capaz de autorizar os programas que quiser usar, podendo executar software livre escrito e modificado por ela mesma, ou pessoas de sua confiança. Contudo, estamos preocupados de que a Microsoft e fabricantes de hardware implementem essas restrições de inicialização (boot) de um modo que impeça seus usuários de iniciar (boot) qualquer coisa que não seja Windows. Nesse caso, a melhor pedida é chamar essa tecnologia Boot Restrito (ou Inicialização Restrita), já que tal requisito seria uma restrição desastrosa para os usuários de computadores e de modo algum um atributo de segurança.

Por favor acrescente o seu nome declaração, para mostrar a fabricantes de computadores, governos e à Microsoft que você se importa com a liberdade e trabalhará para protegê-la.

O texto a seguir foi extraído do  site da Free Software Foundation.

Assine a já declaração

* fonte: Dicas-L



Tags deste artigo: firefox