Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia
 Feed RSS

Blog da fabs no Portal Software Livre Brasil

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | 1 pessoa seguindo este artigo.

P2P: o vilão da hora na indústria de entretenimento

22 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil


A difĩcil tarefa de documentar e produzir ao mesmo tempo

7 de Julho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil


A difĩcil tarefa de documentar e produzir ao mesmo tempo

7 de Julho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil


Carta Aberta ao XPTA.lab

22 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil

Confesso que, em um primeiro momento, assustei-me com as palavras utilizadas no texto de divulgação. Tanto que comentei com o Paulo que estava um tanto receosa sobre o tratamento que a cultura teria através dele. Tenho como princípio que cultura não pode ser tratada como mercadoria, e a redação que li me pareceu ter uma certa tendência neste sentido. Também tenho um entendimento de que dinheiro público deve ser gasto com coisas públicas.

Então para não ficar apenas no campo das idéias, gostaria de elencar alguns exemplos bem sucedidos e sustentáveis do uso de tecnologias livres, pois sei que existe muito FUD sobre a viabilidade destes ambientes.

O primeiro case que cito é o da Suíte 3D Blender . O Blender era um software inhouse da NeoGeo, empresa holandesa desenvolvedora de games, e tinha seu código fechado. O Tom Roosendaal, mastercoder da ferramenta, resolveu coloca-la no mercado e fundou, com mais algumas pessoas no quadro societário, a Not A Number. Mas a empresa faliu. E a solução que ele encontrou para dar continuidade ao desenvolvimento da ferramenta foi abrir o seu código. Só que como muita gente tinha investido nela, havia uma dívida de 100.000 euros a ser paga. Como a comunidade de usuários acreditou na proposta, em apenas 7 semanas arracadou-se o necessário para que o código do Blender se tornasse público e licenciado como tal, inaugurando aquilo que a Blender Foundation, entidade criada para cuidar do código do Blender, chamou de "The dot org Era":

http://www.blender.org/blenderorg/blender-foundation/history/

A ferramenta então passou a melhorar a passos largos, e seu exemplo se fez tendência, como muito bem ilustra um artigo da slashdot sobre a SIGGRAPH de 2004:

http://features.slashdot.org/article.pl?sid=04/08/22/1721254


O segundo caso que cito é da Caixa Econômica Federal, que utiliza GNU/Linux Debian e confirma que softwares livres podem ser estáveis e confiáveis, podendo ser utilizados em sistemas de complexidade crítica como o de casas lotéricas:

http://estudiolivre.org/el-gallery_view.php?arquivoId=6626



E o terceiro caso é o pioneirismo da ferramenta livre Firefox na implementação da tag no html5 renderizando vídeos em formato livre ogg theora:

http://www.techcrunch.com/2009/06/09/demo-firefox-35-treats-videos-like-web-pages-why-cant-flash-do-that/


Então, como vocês puderam perceber pelas ilustrações feitas através dos cases acima citados, as tecnologias livres são, sim, viáveis, além de socialmente justas e economicamente sustentáveis. Não há porque teme-las ou rejeita-las. Muito pelo contrário, só temos a ganhar ao incentiva-las. E é isso que eu espero que este edital faça, como uma forma coerente de aplicação de dinheiro público:

http://news.bbc.co.uk/1/hi/technology/7910110.stm

http://ec.europa.eu/idabc/servlets/Doc?id=1641


http://www.iosn.net/government/case-studies/extremadura

http://news.northxsouth.com/2008/11/09/expresso-livre-an-example-of-communitygovernment-free-software-collaboration-in-latin-america/

http://upsidedownworld.org/main/content/view/1289/63/


http://news.northxsouth.com/2008/10/08/serpro-chooses-debian-gnulinux/

http://www.celepar.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=71

http://www.iosn.net/education/case-studies/parana/view

http://www.softwarelivre.gov.br



Grata pela atenção de vocês,

//fabs



Inagurando mais um blog

7 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil

Caramba, a gente se espalha tanto que já nem sabe mais como gerenciar tantos espaços. Não sei muito bem como utilizarei este aqui, mas enfim, escrever nele já é um começo... ;-)



Tags deste artigo: midia livre estudio livre