Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia

Consórcio Empresarial Livre

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 77 comentários | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 6292 vezes

O Brasil apresenta um cenário de possibilidades concretas e cada vez mais emergentes para a prestação de serviços em software livre, relacionado às demandas de um governo e de uma sociedade que passam a perceber todo o valor agregado relacionado a esta tecnologia, e que começam a estruturar as suas necessidades e objetivos com base nela e orientados ao seu uso.

Este cenário de crescimento permanente das possibilidades de prestação de serviços livres, coloca um desafio da maior relevância, que precisa ser superado o quanto antes: como desenvolver e organizar a base de atores (empresas, cooperativas, consórcios, etc.) para que possam atender a demanda reprimida e a que cresce a cada dia.

Esta comunidade de empresas livres busca desenvolver uma percepção mais clara da dimensão potencial de negócios livres por parte das empresas, um nivelamento das informações potencialmente relevantes para iniciar, desenvolver e evoluir negócios com ferramentas livres e uma sensibilização das empresas sobre a necessidade imperiosa de reestruturação do segmento econômico de TIC, através de ações de convocação, esclarecimento e autogestão que permitam dar a este setorial as condições de apoio efetivo à economia, a partir do crescimento sustentável do ecossistema livre.


Tags deste artigo: consórcio empresa negócio serviço

77 comentários

Enviar um comentário
  • Foto2012full minorSady
    10 de Setembro de 2009, 1:04

    Sejam bem-vindos!

    Conforme combinamos, eis a comunidade criada. Agora precisamos "animá-la". Minha primeira sugestão é que postemos aqui as ações que sugerimos como encaminhamentos possíveis, de forma que resgatemos a memória do debate. Depois disso, veremos quais são realmente importantes para execução.

    Boa memória a tod@s!

    Sady.


  • Jairo logo minorJairo Light
    14 de Setembro de 2009, 18:08

    Acoes propostas

    Sady e Pessoal,

    Ate agora so lembrei de uma ação proposta em nossa reuniao no Consegi 2009 em Brasilia, fazer gestao junto ao congresso no sentido de garantir 5% das compras do governo federal para software publico brasileiro e/ou livre.


  • Jairo logo minorJairo Light
    15 de Outubro de 2009, 18:53

    Excelente Noticia, Governo de Brasilia garante 5% das compras em software nacional !

    Espalhem a noticia, ideal seria que todos os governos apliquem leis similares.

    www.​sist​emaf​ibra​.org​.br/​fibr​a/in​dex.​php?​opti​on=c​om_c​onte​nt&v​iew=​arti​cle&​id=2​02&c​atid​=39

    O comprometimento dos poderes legislativo e executivo do DF em desenvolver instrumentos de incentivo e fomento ao setor produtivo da capital federal foi novamente concretizado, desta vez, em prol do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Em solenidade realizada ontem à noite (8/10), na Federação das Indústrias do DF (Fibra), o vice-governador e secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Paulo Octávio, apresentou o Projeto de Lei que cria o Programa de Incentivo à Investimentos no Setor de TIC no DF. O PL de autoria do poder executivo segue agora para leitura e consequente votação no plenário da Câmara Legislativa.

    A proposta é utilizar o poder de compra do governo local como incentivo à indústria de base tecnológica nacional, uma demanda feita inicialmente pelo Sindicato das Indústrias da Informação (Sinfor-DF), na pessoa do presidente Jeovani Salomão, à Câmara Legislativa, por intermédio do deputado Cristiano Araújo (PTB) – presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF), e encampada por Paulo Octávio, em virtude da sua história empreendedora na capital federal, que o faz ser mais sensível às diversas necessidades do empresariado local. “Venho hoje para entregar o projeto nas mãos do Jeovani. Assumi este compromisso com setor de TIC e hoje estou cumprindo”, disse Paulo Octávio, na ocasião.

    Na prática, se aprovado o Projeto de Lei, fica estabelecido que as contratações governamentais de hardware e software - pelos órgãos e entidades de administração direta, indireta, autárquica, fundacional e empresas públicas do GDF - obedeça o limite mínimo de 5% em hardware nacional e outros 5% em software nacional, do total de investimentos anual na aquisição destes produtos. Neste caso, os bens, produtos e serviços de TIC têm que ter sido produzidos no Brasil, por técnicos de comprovado conhecimento, residentes e domiciliados no País.


  • Foto2012full minorSady
    27 de Outubro de 2009, 0:49

    Convite para o debate em Brasília: I Encontro Nacional do Software Público

    Car@s, aos que puderem comparecer, uma ótima oportunidade para seguirmos conversando!

    Aproveitando, informo que na semana do dia 15 de outubro, houve reunião no SERPRO, em Brasília, onde a coordenadora do CONSEGI, embaixatriz Ana Amorim e equipe, definimos tornar o Open Business uma ação permanente da empresa, de modo a promover o crescimento do debate.

    Para não perdermos a oportunidade, organizamos uma reunião de última hora no Latinoware, participaremos desse debate em Brasília (anexo) e estaremos em Santa Catarina para conversar com os empreendedores livres locais, durante o SOLISC ( www.​soli​sc.o​rg.b​r ).

    Sugerimos a tod@s que acompanhem aqui pela comunidade esse calendário em construção e procurem estar presentes sempre que possível para avançarmos na análise e nos encaminhamentos.

    Como resultado do encontro no Latinoware, estamos providenciando órgão ou empresa para realizar uma pesquisa nacional detalhada sobre o SL, com foco nos empreendimentos e profissionais existentes. Pretendemos que o anúncio e início desse trabalho se dê neste evento.

    Abraços livres e espero encontrá-los em breve!

    Sady.

    ------------------------------------------------------------------------------------------
    (convite do Corinto - SLTI, para participação em Brasília)

    Prezados Cusnir, Sady, Salomon, Anahuac e Rafael.

    É com muita satisfação que os convidamos para apresentarem as suas visões sobre o modelo de negócios baseados no Software Livre e como o implementaram em suas empresas.

    A moderadora deste encontro será a professora da UnB, Christiana Freitas, que possui inúmeros trabalhos nesta área, dentre elas a Pesquisa Impactos do Software Público. (www.softwarepublico.gov.br/result_pesquisa).

    Nosso encontro acontecerá dentro do I Encontro Nacional do Software Público, no dia 29 de Outubro, das 09:00 as 17:00 hrs. O local é no Centro de eventos e convenções Brasil 21, no Setor hoteleiro Sul, Quadra 06, Lote 01, Conjunto A, em Brasília / DF. Este local é bem no centro, próximo à Antena de TV e do Parque da Cidade.

    A programação sugerida é :
    Hora Tempo Ação
    09:00 - 09:30 30 Abertura e contextualização do tema pela Moderadora
    09:30 - 11:10 100 Painel 1 - Iniciativa privada e negócios com o Governo
    Bull, Canonical, RedHat, FábricaLivre e SEA
    11:10 - 11:30 20 Provocadores: Cusnir (Softex) e Sady (Serpro)
    11:30 - 12:00 30 Debate palestrantes e publico
    12:00 - 12:10 10 Conclusões do painel 1 pela Moderadora
    Intervalo de almoço
    14:00 - 14:20 20 Contextualização do tema pela Moderadora
    14:20 - 16:00 100 Painel 2 - Modelo de negócios com software livre
    4Linux, Hostnet, KyaPanel, Propus e Solis
    16:00 - 16:20 20 Provocadores: Salomon (BrOffice) e Rafael (Linux New Media)
    16:20 - 16:50 30 Debate palestrantes e publico
    16:50 - 17:00 10 Conclusões do Painel 2 e encerramento pela Moderadora

    Em cada painel temos 100 minutos de apresentação, divididos por dois tópicos, onde cada empresa poderá apresentar seu modelo de negócios com Software livre e como o implementaram. Favor verificar na programação acima, o momento de cada um. Após esta fase, haverá um debate, onde todos são convidados a participar e responder às perguntas da platéia.

    Como sabemos que o público em geral se sente inibido neste tipo de interação, convidamos algumas pessoas, provavelmente conhecidas de vocês todos (lista abaixo), para serem os “provocadores”, pois conhecem bem do tema do nosso encontro, porém não são empresários como vocês. O papel dele é provocar a discussão que se seguirá, levantando assuntos mais sensíveis dentro do nosso tema. São eles :

    Jose C. Cusnir - Softex
    Sady Jacques - Serpro
    Roberto Salomon - Br Office
    Rafael Peregrino - Linux New Media

    Estamos abertos a sugestões que tornem a programação acima mais dinâmica e, como sempre, colocamo-nos ao seu inteiro dispor para esclarecer quaisquer dúvidas que porventura ainda existam.

    Agradecemos de antemão terem aceito compartilhar com a comunidade do software livre e com os empresários brasileiros interessados em conhecer as suas ricas experiências profissionais.

    Nos vemos no dia 29 !

    Obrigado pelo seu apoio

    Corinto Meffe
    corinto.meffe@planejamento.gov.br
    Gerente de Inovações Tecnológicas
    Departamento de Integração de Sistemas de Informação
    Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação
    Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
    +55 (61) 2020-1520


  • Latinoware minorGaby
    27 de Outubro de 2009, 23:02

    2º Open Business - Latinoware 24/10/2009

    Seguem abaixo os dados dos participantes do 2º Open Business.

    - Foi sugerido durante o evento a criação de um selo para empresas e profissionais da área de software livre, identificando e apontando determinadas características (a serem definidas) dos que possuem o selo desenvolvem/atuam...

    Nome: Felipe Santos
    e-mail: felipesantos@softwarelivre.org
    Empresa: ASL.ORG

    Nome: Guilherme Trolkel Vitoria
    e-mail: guitoria@gmail.com
    Empresa: Dell

    Nome: Ronaldo Cardozo Lages
    e-mail: rclages@solisc.org.br
    Empresa: Solisc.org

    Nome: Edna Bochi
    e-mail: ednabochi@gmail.com
    Empresa: Projeto Casa Brasil e Organização Solisc.org

    Nome: Marlei Grolli
    e-mail: marlei.grolli@gmail.com
    Empresa: Solisc

    Nome: Juliana Mokwa
    e-mail: julimokwa@gmail.com
    Empresa: Solisc

    Nome: Dirson Vergara
    e-mail: dirson.vergara@serpro.gov.br
    Empresa: Serpro

    Nome: Vera Cavalcante
    e-mail: veracape@openoffice.org
    Empresa: Serpro

    Nome: Gabriela Fonseca da Silva
    e-mail: gabriela.silva@serpro.gov.br
    Empresa: Serpro

    Nome: Tiago Giovanaz da Silva
    e-mail: tiago@solis.coop.br
    Empresa: Solis

    Nome: Marcos Martins Melo
    e-mail: marcos.melo@serpro.gov.br
    Empresa: Serpro


  • Eumim minorJean Carlos Coelho Duarte
    5 de Novembro de 2009, 21:15

    Apresentação

    Primeiramente parabenizo-os pela iniciativa. Precisamos cada vez mais fortalecer o lado profissional do software livre, quebrar barreiras e aproximar clientes e produtos/fornecedores. Para me apresentar, faço parte de uma empresa de Cuiabá - MT, cujo modelo de negócio se baseia em software livre. Pretendemos oferecer ao mercado produtos para gestão empresarial. O primeiro deles é o PDV Openbravo, o qual somos responsáveis pelo projeto de tropicalização. Para quem quiser conhecer o projeto, segue o link forg​e.op​enbr​avo.​com/​proj​ects​/ope​nbra​vopo​sbr . Gostaria também de sugerir dar uma olhada na Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas. Venho acompanhando o trabalho deles há algum tempo e acho que seria uma iniciativa válida para o nosso mercado, haja vista o rumo que o software livre vem tomando no mercado.

    Abraços,

    Jean Duarte


  • Jairo logo minorJairo Light
    25 de Novembro de 2009, 10:53

    SINFOR defende prioridade para o software nacional

    O Sindicato de Informatica de Brasilia reacende o debate sobre o uso do poder de compra do estado em prol da tecnologia brasileira de software que foi toda destruida durante 20 anos.

    SINFOR defende prioridade para o software nacional

    Fonte: Convergência Nacional

    Entre os dias 8 e 10 de dezembro, Brasília sediará a sétima edição do Fórum de TIC e o Fórum Empresarial, eventos que ocorrerão simultaneamente ao XXIV ENESI - Encontro Nacional das Empresas de Software e Serviços de Informática. Diversos temas de interesse do setor estarão em debate.

    Mas o SINFOR - Sindicato da Indústria de Informação do Distrito Federal está decidido a reacender uma velha bandeira de luta que ficou meio desgastada pelo tempo e pela própria inércia do setor: Mudança de postura da parte do governo federal em relação à política de uso de software livre.

    O sindicato quer colocar à mesa para um aprofundamento da discussão, mecanismos que permitam fazer com que o governo Lula empreenda esforços na direção do apoio à produção do software nacional e não apenas aos programas de computador de código aberto.

    Em entrevista à CDTV, o presidente do SINFOR, Jeovani Salomão, explicou que, ao apoiar o software livre, o governo federal até gerou alguma cadeia produtiva em torno dessa solução com as empresas locais. "Mas não gerou tanta riqueza quanto poderia ter gerado, se esse apoio tivesse sido canalizado diretamente para as empresas desenvolvedoras de software nacionais", esclareceu.

    A discussão sobre apoio ao software nacional é uma das principais pautas de debates do ENESI, que pela primeira vez ocorrerá em Brasília. Além dela, o setor de software também irá discutir a formação de mão-de-obra qualificada, as terceirizações e as contratações de desenvolvimento de software.


Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.