Ir para o conteúdo
 

Blog RSS feed

ou

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Colivre é finalista do Prêmio Banco do Brasil de Tecnologia Social

15 de Agosto de 2017, 14:21 , por Matheus Sampaio - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 299 vezes

Premio

Com o projeto Noosfero: plataforma web livre para a criação de redes sociais autônomas, a Colivre é finalista de mais um prêmio nacional: o Prêmio Banco do Brasil de Tecnologia Social, promovido pela Fundação Banco do Brasil. Realizado desde 2001 a cada dois anos, o Prêmio tem por objetivo identificar, certificar, premiar e difundir tecnologias sociais já aplicadas, implementadas em âmbito local, regional ou nacional, que sejam efetivas na solução de questões relativas a alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, renda e saúde. O prêmio é o principal instrumento de identificação e certificação de tecnologias sociais que compõem o Banco de Tecnologias Sociais – BTS da fundação.

O Noosfero é um software livre desenvolvido pela Colivre para construção de redes sociais autônomas, com características que permitem fácil adaptação para as mais variadas necessidades de comunicação das mais diversas temáticas, sejam redes econômicas, educacionais, de participação social, de pontos de cultura, de observatórios do trabalho, intranets, provedores de blogs, etc. Com o Noosfero, a organização deixa de ser apenas usuária de serviços proprietários e passa a ser provedora de uma rede social. A rede social da Economia Solidária Cirandas.net; a plataforma nacional de participação social Participa.br; a Rede Nacional de Observatórios do Trabalho; a rede social das cooperativas do estado da Bahia, Rede Olá; e a Universidade Católica do Salvador são alguns exemplos de redes sociais que utilizam o Noosfero,

Após oito anos de existẽncia o Noosfero já é utilizado tanto no Brasil como em outros países como além de Alemanha e Suíça, e também por uma rede Japonesa chamada World Museum Project e por uma rede internacional de educação artística chamada Another Rodmap for Arts Education. Por ser um projeto de software livre permitiu que outras organizações que se beneficiam da plataforma pudessem fazer parte da comunidade de desenvolvimento da ferramenta, como é o caso da USP, da UNB, do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). Esse ecossistema de colaboração permitiu autonomia tecnológica a essas e outras organizações além de possibilitar o desenvolvimento do Noosfero dentro das melhores práticas e critérios internacionais de software livre.

A cerimônia de premiação acontecerá em novembro, em data a ser confirmada. Na ocasião será divulgada a classificação dos finalistas. A Colivre concorre  com outras duas finalistas na categoria Cidades Sustentáveis/Inovação Digital. Confira aqui a lista dos projetos e organizações finalistas

Fundada em abril de 2006 na cidade de Salvador por estudantes e recém formados do curso de administração e de ciência da computação da UFBA, a Colivre utiliza os princípios do software livre para prestar serviços de desenvolvimento de software, capacitação, cursos, workshops e consultorias, prezando pela liberdade e autonomia tecnológica dos seus clientes. Confira este vídeo, onde um dos sócios da Colivre fala um pouco de como funciona o modelo de negócio da cooperativa.

Com o Noosfero, a Colivre já conquistou outros 3 prẽmios nacionais em primeiro lugar: o 9º Prêmio Cooperativa do ano em 2014, promovido pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB); o Prêmio Pontos de Mídia Livre do Ministério da Cultura, em 2015 e o Prêmio Especial Recursos Educacionais Abertos da Revista ARede Educa.

Para saber um pouco mais sobre como funciona o Noosfero, confira o vídeo produzido pela OCB para o 9º Prêmio Cooperativa do Ano:

 


Tags deste artigo: redes sociais livres educação noosfero campus virtual

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.