Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia
 Feed RSS

GNU Rock Reggae

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Migrando Fedora para Opensuse parte 2

8 de Novembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Continuando o artigo, seguem alguns mais tópicos

2.1 Yast
Quem já usou o Suse/OpenSuse em algum momento já deve conhecer o Yast, para quem não conhece, ele é uma ferramenta de configuração do sistema, como o Painel de Controle do Windows, sendo ponto único para as ferramentas de configuração de Hardware, instalação de Software, Administração de Serviços e Contas de Usuários etc. Acho esse modelo melhor do que diversas ferramentas soltas, como o system-config-etc do Fedora/RedHat. Suas ferramentas são módulos que podem ser removidos/adicionados/substituidos sem alterar o ponto central de configuração.

2.1 Repositórios
Configuração de Repositórios extras no OpenSuse é muito legal. Ele já traz um serviço de busca por repositórios da comunidade de forma que pelo próprio Yast2 é possível adicionar/remover repositórios. Não é necessário uma única intervenção por linha de comando. Para usuários menos experientes, isso é ótimo.

Segue a lista dos repositórios que adicionei em minha instalação:

name=Repositório principal (NON-OSS)
baseurl=http://download.opensuse.org/distribution/11.3/repo/non-oss/
name=Repositório principal (OSS)
baseurl=http://download.opensuse.org/distribution/11.3/repo/oss/
name=Repositório principal (Contrib)
baseurl=http://download.opensuse.org/repositories/openSUSE:/11.3:/Contrib/standard/
name=Repositório principal de atualização
baseurl=http://download.opensuse.org/update/11.3/
name=Packman Repository
baseurl=http://ftp.uni-erlangen.de/pub/mirrors/packman/suse/11.3/

Instalação de Programas
O módulo do Yast para Gerenciamento de Software é muito semelhante ao Package-Manager do Fedora, sendo que para que já usa não terá nenhum problema para operar essa ferramenta. Uma pequena diferença fica por conta do solver, um script responsável por resolver os problemas de conflitos de dependências de pacotes. Ele permite maior administração por parte do Administrador do Sistema que pode inclusive ignorar os problemas detectados e manter o ambiente inconsistente. Não acho que isso seja bom para usuários menos experientes. Para usuários mais avançados, existem outras formas de fazer isso. Na minha avaliação, ponto para o Fedora nesse aspecto.

CompizFusion / Sax2

Infelizmente nessa versão, 11.3, o Sax2 ficou de fora. Sax2 é uma ferramenta de configuração de vídeo, e eu achava o diferencial do OpenSuse. Sempre senti falta de uma ferramenta a altura nas outras distros. De qualquer forma, não tive nenhum problema com configuração de vídeo em meu desktop. O hardware foi detectado e não precisei configurar nada, da mesma forma foi com Fedora e Ubuntu. Quanto ao CompizFusion, o OpenSuse já vem com um módulo de configuração dos Efeitos da Área de Trabalho com alguns recursos a mais que Fedora e Ubuntu. Ainda assim é menos completo do que o compizconfig-settings. De qualquer forma, gostei dessa ferramenta, que já vem integrada ao sistema, não é necessário instalar pacotes adicionais para configurar alguns efeitos extras. Ponto para o OpenSuse.

Ao final desse artigo, avalio o OpenSuse, até aqui como um Desktop muito bom, com algumas vantagens em relação ao Ubuntu e ao Fedora, e algumas outras, de forma que deixo os 3 num mesmo nível. No próximo artigo falarei sobre a instalação de plugins e codecs (Java, Flash e Vídeos) Google Chromium e Adobe Reader.



Migrando de Fedora para Opensuse

4 de Novembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Já algum tempo recebi venho analisando os avanços do OpenSUsE, mas agora resolvi instalar e usar essa grande distro, e começarei a relatar numa série de artigos minha experiência na migração do Fedora para ela.

Incialmente devo dizer que odeio esse modelo de atualização adotado pela distro em que ele baixa e instala cada pacote. Na maioria das outras distros, primeiro baixa-se todos os pacotes para depois instalá-los. Os riscos de gerar uma incosistência no sistema são bem menores dessa forma. Porém há uma maneira simples de solucionar esse problema:

Como root, edite o arquivo /etc/zypp/zypp.conf

Pesquise pela linha com o valor "commit.downloadMode"
Remova o comentário e altere seu valor para "DownloadInAdvance" , sendo que a linha deve ficar assim:

commit.downloadMode = DownloadInAdvance


Dessa forma, durante a atualização ou instalação de pacotes, primeiro é feito o download de todos os arquivos para depois iniciar a instalação dos mesmos.

Por hoje, fico por aqui, em breve mais relatos.



M$ doa refeição em troca de Download do Ie8

16 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://info.abril.com.br/noticias/negocios/ms-doa-refeicao-em-troca-de-download-do-ie8-15062009-35.shl

Legal, agora download para combater a fome no mundo. Opa, no mundo não, só nos States.

Bom, é como comprar cocaína na crença de que o traficante doará parte do dinheiro a uma ONG de tratamento contra o câncer.

Só falta a refeição ser um BigMac Double X-Bacon + Fritas + Coca-Cola 500 ml.

Com a medida continua-se a proliferar vírus e brechas na segurança de nossos computadores, continua-se presos ao RWindows ® e às políticas sujas e promíscuas da sua desenvolvedora em um browser que não suporta padrões.


- Ah, mas vocês, nada que a M$ faça agrada. Ela está batalhando por um mundo melhor.

Tudo bem, então ajude-a. Vamos todos fazer downloads do IE8 e ajudar aos que passam fome nos Estados Unidos, afinal, devemos lutar pela liberdade dos seres humanos onde quer que eles estejam.

Segue uma linha de comando bem simples, para facilitar todos o processo.

# wget "http://www.microsoft.com/downloads/info.aspx?na=90&p=&SrcDisplayLang=pt-br&SrcCategoryId=&SrcFamilyId=79154fb4-c610-4a1e-811d-dfe0f1dd84d1&u=http%3a%2f%2fdownload.microsoft.com%2fdownload%2f2%2f0%2f2%2f2024A339-1256-445A-9B8B-1D509B44D46F%2fIE8-WindowsVista-x86-PTB.exe" -O /dev/null



Meu novo blog

16 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Aê galera, comecei um blog recentemente no blogspot.com e vou deixar os dois atualizando em paralelo.

não sou muito bom de escrita, mas resolvi arriscar umas palavras nessa onda ai. Ás vezes começo dizendo umas coisas e acabo entrando por outras, meu raciocínio é muito mais rápido do que o que eu consigo digitar e isso vem sendo um problema na hora de escrever uns pensamentos, aí as coisas começam se perdendo etc e tal, mas vamos ver até onde consigo ir nisso aqui.

 

Hoje ficamos por aqui, queria dizer mais algumas coisas, mas já pensei e já esqueci, então, deixa queto.

 

 

Até o próximo post.



Repositórios Extras para o Ubuntu Intrepid Ibex

3 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Alguns respositórios extras para o Ubuntu Intrepid Ibex - 8.10


Medibuntu
Alguns pac otes multimídia, como:
  • Acrobat Reader
  • Google Earth
  • MPlayer / MEncoder
  • Codecs
  • Skype
Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://packages.medibuntu.org/ intrepid free non-free
Ao término, instale os pacotes medibuntu-keyring e app-install-data-medibuntu


Wine
Emulador para rodar programas do Windows no Gnu/Linux

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://wine.budgetdedicated.com/apt intrepid main
Ao término, instale o pacote wine


OpenOffice.org 3
Atual versão dessa suíte de escritório.

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/openoffice-pkgs/ubuntu intrepid main
Ao término, realize uma atualização.


Opera
Navegador Web alternativo ao Firefox.

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://deb.opera.com/opera/ stable non-free
Ao término, instale o pacote opera


Google Chrome
Navegador Web desenvolvido pelo Google.

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/chromium-daily/ppa/ubuntu intrepid main
Ao término, instale o pacote chromium-browser


Banshee
Gerenciador de Músicas para o ambiente Gnome.

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/banshee-team/ubuntu intrepid main
Ao término, instale o pacote banshee


VideoLanClient (VLC)
Player de Vídeo

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/c-korn/ubuntu intrepid main
Ao término, instale o pacote vlc

Elisa
Central Multimídia

Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/elisa-developers/ppa/ubuntu intrepid main
Ao término, instale o pacote elisa


KDE4 (Kubuntu)
Ambiente de Trabalho
Adicione essa linha no /etc/apt/sources-list:
deb http://ppa.launchpad.net/kubuntu-members-kde4/ppa/ubuntu intrepid main
Ao término, realize uma atualização


Mais informações em http://blog.ibeentoubuntu.com/2009/03/extra-repositories-for-ubuntu-810-you.html



Gerenciador de Coleção de Filmes Griffith.

3 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários aindaO Griffith é um gerenciador de coleção de filmes bem amigável e simples de usar. Com ele é possível cadastrar todos os filmes, inserindo informações como título, atores, diretor, ano de produção, sinopse e várias outras informações sobre seus filmes. Também há suporte para baixar informações sobre os filmes direto da internet, indicar os filmes que já foram assistidos e os filmes que estão emprestados. Vamos agora ver um pouco mais sobre cada uma dessas funcionalidades do Griffith.


Para adicionar um filme, basta clicar no botão Adicionar novo filme (sinal de +) ou em Editar - Adicionar. A janela de Adicionar um novo filme é aberta. Digite o título original do filme. Agora, selecione o servidor do qual deseja baixar as informações da internet. No caso do Brasil é aconselhável usar o servidor E-pipoca que já traz as informações em português, em compensação, sua base de informações não é tão vasta com o servidor Imdb, o servidor padrão do Griffith. Caso haja mais de um filme com titulos semelhantes ao digitado, ele mostra uma relação de filmes a ser escolhido, caso contrário, ele já baixa as informações do único filme encontrado. Caso você não possua acesso à internet ou não encontre o filme procurado, é possível digitar as informações do filme, simplesmente navegando pelas guias da janela de Adicionar um novo filme. Ao término, clique em Adicionar filme para salvar os dados e adicionar um novo filme, ou Adicionar filme e fechar para salvar as informações e retornar à lista de filmes.


Para emprestar um filme, é necessário, anteriormente cadastrar as pessoas para quem você irá emprestar seu filme. Para isso vá no menu em Empréstimos - Pessoa. Clique no botão Adicionar uma nova pessoa (sinal de +) e coloque seu nome, email e telefone. Após cadastrar todos os seus amigos selecione o filme desejado e, no lado direito, clique na guia Empréstimos. Clique no botão emprestar, selecione seu amigo e clique em ok. Quando a pessoa lhe devolver o filme, retorne nesse local e clique em devolver filme.


Quando um filme está emprestado, você pode enviar um email ao seu amigo lembrando-o de lhe devolver seu filme, mas é necessário uma pequena configuração inicial. Primeiro vá em Ferramentas - preferências e selecione a guia Empréstimos. Solicite ao seu provedor de acesso à internet os dados do servidor smtp que aparece nessa tela. Segundo passo, selecione o filme que está emprestado, e novamente na guia Empréstimo, clique no botão Lembrete por email.


Clicando com o botão direito do mouse sobre cada filme é possível marcá-lo como Filme já assistido. Após marcar todos os seus filmes que já foram assistidos, vá no menu em ferramentas e clique em Sugerir um filme não assistido, prepare a pipoca e divirta-se.

Este é o fim desse artigo, em breve mais novidades.

Linux @ Home

3 de Junho de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Linux em Casa. Um blog com várias dicas para usar linux sem segredos.

Aqui postarei diversas dicas sobre aplicativos de uso comum bastantes úteis para o uso doméstico do computador. Usarei meu bom e velho (mas não tão velho assim) Ubuntu por ser uma distribuição simples e super amigável com o intuito de quebrar esse paradigma de que Linux é difícil.

Não percam nossas próximas edições e lembre-se: Não use softwares piratas, seja livre!